quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Entrevista com Ivete de Campos - Autora de: FESTA DE ANIVERSÁRIO

Nasceu em 28/04/1953, em Mogi das Cruzes, estado de São Paulo. Mudou-se para a capital para cursar Letras na Universidade de São Paulo, onde se licenciou em Alemão, Francês e Português. Certificada em inglês pela The University of Michigan, trabalhou 40 anos, sendo 8 anos como professora de inglês em escola particular e 32 anos como Secretária Executiva em grandes multinacionais. Aposentou-se em dezembro de 2009. Menos de um mês depois mudou-se para Taubaté no Vale do Paraíba. Aos 60 anos iniciou uma nova fase de sua vida, a de escritora.
Obras publicadas: Verdade Interior (2014) e Festa de Aniversário (2015).

Este livro convida você a analisar sua posição na família. Convida você a analisar cada comemoração que você faz, e se você vive sua vida com amor, com brilho nos olhos e um sorriso nos lábios. Analisamos a festa de 100 anos de Demedio Calanca, suas projeções, suas alegrias e confraternização. Fazemos uma análise de chegar lá, 100 anos de idade, ou não chegar, ou como chegar, mas principalmente fazemos uma análise criteriosa de cada passo que damos, cada esforço, cada momento de alegria. Repense você, seu modo de vida, sozinho, dentro da família, como ela é importante para você e, principalmente, como você é importante para ela.
Leia Mais ►

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Entrevista com Rafaela Manzo Barreto Queiroz - Autora de: QUEIMEI OS BARCOS

Formada em Comunicação – Jornalismo pela Universidade Federal da Bahia e com especialização em Comunicação Corporativa, Gestão de Pessoas e Gerenciamento de Crises, Rafaela é baiana e reside em São Paulo desde dezembro de 2006. Trabalhou por 17 anos no mundo corporativo tradicional, alcançando altos cargos de liderança nas empresas de comunicação mais renomadas do País. Decidiu mudar toda a sua jornada, abandonar o mundo que conhecia e onde era reconhecida, para viver o seu sonho de infância: assumir-se escritora. Inspirada por pessoas que também decidiram calçar um sapato onde seus pés caberiam com conforto, inicia agora sua jornada independente. Sempre preferiu a liberdade para se inspirar, criar, viver e contar histórias, mas se acostumou com a limitadora crença de que “só dá dinheiro” o que provoca suor (e lágrima). Aos 34 anos, com o primeiro livro escrito aos nove, ela decidiu não apenas apostar no seu sonho, mas assumi-lo contra tudo e todos que acreditavam que isso era impossível e arriscado. Foi lá e, em sete dias, fez um livro.

Motivação, Inspiração e outras Danças é a materialização de um sonho de uma jornalista que sempre quis ser escritora.

Desde pequena Rafaela queria escrever e sabia que tinha talento para isso, mas não acreditava verdadeiramente que podia “ser alguém na vida” vivendo a sua paixão, fazendo um trabalho com amor. Trabalho, para ela, era sinônimo de luta e sacrifício.

Precisou percorrer caminhos nem sempre fáceis para entender que o chamado do seu coração precisava ser atendido. Para escrever este primeiro livro, usou as histórias que aprendeu em 17 anos de mundo corporativo e as experiências pessoais que serviram de alerta para libertá-la das amarras e crenças limitantes que a impediam de realizar seu desejo de publicar um livro e iniciar uma nova jornada, numa vida mais saudável, com mais propósito e alinhada com sua missão.

Este não é seu primeiro livro escrito, mas o primeiro publicado. De forma independente, ela resolveu que tornaria seu sonho realidade. A prova de que isso deu certo é o livro que tem em suas mãos.

A autora deseja que sua história inspire outras pessoas a buscar uma vida com mais sentido. Para isso, ela já sabia, era preciso trabalhar respeitando e utilizando seus talentos, habilidades e dons para um propósito maior: fazer do mundo um lugar melhor.
Leia Mais ►

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Entrevista com Leonel Ferreira da Silva - Autor de: O NÃO EU E OUTRAS POESIAS

Leonel Ferreira da Silva
Nascido em 9 de outubro de 1927, o autor é médico psiquiatra, e começou a se interessar pela poesia depois de ter lido Augusto dos Anjos. Como é facilmente perceptível, o título deste livro está fortemente calcado no título da obra de Augusto, e a poesia que mais se identifica com a obra de Augusto é aquela intitulada de “Panegírico ao Indigente”, produzida nos tempos da faculdade de Medicina, em função das aulas de Anatomia. É uma homenagem aos indigentes, que antes de serem sepultados são enviados às faculdades de Medicina para serem dissecados. Além destas poesias, o autor dedica-se também a fazer paródias de músicas conhecidas, as quais deverão ser publicadas em um próximo livro. Espero que gostem destas poesias. Para os que quiserem dar opinião sobre elas, meu endereço eletrônico é: artedevivercomdeus@hotmail.com
Facebook: Leonel Ferreira 
Skype: leonelfdasilva
As músicas encontram-se no Youtube: Leonel Ferreira da Silva

O livro está dividido em duas partes: a primeira são poesias mais de cunho espiritual, por isso denominei de "Não Eu". A segunda parte contem poesias que versam sobre assuntos variados, e denominei de "Outras Poesias".

Para obter mudança
Companheiro, toma cuidado,
Com o mundo que em volta crias, 
É neste mundo assim criado,
Que vais viver os teus dias. 
Se desejas alguma mudança
Em teu mundo, em teu parceiro,
Por que não mudas  teus modos, 
Por que não mudas primeiro?
Leia Mais ►

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Entrevista com Julio César Mendes - Autor de: ESCRAFUNCHANDO O LAGAMÁ

Caiçara nascido na cidade de Caraguatatuba – SP, em 04 de março de 1962. Após dois dias de vida, passou a viver em Ubatuba. Neto de caiçaras e filho do casal caiçara Isaias Mendes e de Alcina Pereira Mendes. Profissionalmente é professor efetivo da rede pública estadual, com licenciatura em matemática, formado pela UNITAU - Universidade de Taubaté e técnico em Agrimensura pela ETEC Cônego José Bento de Jacareí-SP.
Brincante e amante da arte e da cultura caiçara é criador de grupos folclórico-musicais: Bumba-meu-boi, folia de Reis, blocos carnavalescos. É pintor primitivista (discípulo de João Teixeira Leite), contador e escritor de causos e crônicas (com contribuições em jornais e revistas da cidade e na Enciclopédia Caiçara volume V, organizado pelo antropólogo prof. Antônio Carlos Diegues – USP), compositor, autor de sambas de enredos, marchinhas carnavalescas e musicas de raiz, com CD’s: “Caiçarando” e o “Auto do Boi de Conchas”), é artesão, percussionista (mestre de bateria de Escolas de Samba), ex-presidente do Museu Caiçara, e atual coordenador do grupo musico-cultural "CANTAMAR".

Remexe a cultura caiçara, dentro do que vivenciou o autor em sua praia ubatubana. São causos, melhor dizendo, é um pirão de causos, tendo como ingrediente a farinha “do saber”, a banana “da verdade”, o peixe “da mentira”, o coentro da conscientização ecológica e, principalmente, a pimenta “faz me rir”.
Experimente esse pirão caiçara!
Leia Mais ►

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Entrevista com Caetano Cônsolo - Autor de: O CASARÃO DA RUA 62


Geógrafo, formado pela Universidade Ibirapuera-SP, Pós graduado em Gestão Ambiental, Ecoturismo Educação e Interpretação Ambiental e Mestre e Educação Ambiental.

Autor dos artigos "Um olhar para o futuro" e "Formação de agentes multiplicadores" Pela mais projetos. "Adventismo verde" lançado pela Revista Adventista, edição de Abril de 2010.
Foi professor de Geografia para o Ensino Fundamental e Médio nas redes públicas e privadas. Professor de Geografia para o cursinho preparatório para vestibular. Professor de Sociologia, Metodologia de Ensino de História e Geografia e Gestão Ambiental para os cursos de Comunicação Social, Administração de Empresas, Ciências Contábeis e Pedagogia.
Foi orientador de alunos universitários na conclusão de TCC no período de 2004 a 2006.
Atuou na capacitação de professores da Rede Estadual de Ensino da Capital de São Paulo.
É autor dos livros "O Meio ambiente numa perspectiva bíblica", publicado em 2006 (esgotado), "Nasce uma esperança", publicado em 2008, com a terceira edição esgotada em 2011, e "Quando a noite acaba", lançado em 2015.
Atualmente é escritor, diretor e consultor da CG Socioambiental.


O livro fala de um romance envolvendo um casal apaixonado envolvidos por tanto amor e felicidade que acreditava-se que nada poderia interferir nesse amor.

Renata sabendo o que poderia acontecer marca um encontro com Marco e desesperada pede socorro ao seu grande amor. Marco porém mede as consequências e pede para Renata aguardar apenas mais alguns dias para que ele possa tomar as providências para não perdê-la.
Certo dia sem aviso, Marco perde Renata seu grande amor sem que ele possa interferir.
Em desespero ele procura por Renata em todos os lugares que seria possível encontrá-la, porém sem sucesso.
Em desespero ele vaga pelas ruas da cidade até o dia amanhecer tentando encontrar uma resposta.A única solução para um homem loucamente apaixonado e de coração partido segundo sua mente, seria desaparecer daquele local e ir em busca de respostas em outros lugares.

Leia Mais ►

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Entrevista com Marcelo C Carvalho - Autor de: LUZ E ESCURIDÃO

Marcelo C. Carvalho
“Luz e Escuridão” é o segundo livro de Marcelo C. Carvalho. O autor de Reticências – Lembranças ao Vento, é especialista em Educação à Distância, pintor e desenhista nas horas vagas, e um leitor inveterado. Ele usa fatos do cotidiano e uma grande dose de fantasia para percorrer o fascinante caminho das letras.







Luz
e Escuridão

Martin estava vivendo em paz junto a Molly em um lugar místico e sagrado. Mas seu guardião precisava de sua ajuda para resgatar seus antigos amigos que também haviam-se perdido quando seu mundo foi destruído. Assim, ele retorna à Terra e, usando seus dons especiais, parte em busca de seus irmãos. Percorrendo vários lugares no mundo, ele irá conhecer histórias semelhantes à sua, mas carregadas de fortes sentimentos, contradições e angústias pelo inexplicável. Porém, um acontecimento, além do planejado, levou Martin a um reencontro inesperado com seu próprio passado. E foi sua vez de pedir ajuda.
Leia Mais ►

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Entrevista com Adelmo da Silva (colaborador) - Autor de: SIMPLESMENTE JOSEFA, UMA GUERREIRA


Adelmo da Silva é professor efetivo na rede estadual do estado de São Paulo. Graduado em Letras, com licenciatura e bacharelado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM/PR). Nasceu em Presidente Prudente (SP) em 27 de maio de 1960, mas cresceu e foi educado no norte do Paraná, região de Colorado, Uniflor e Nova Esperança, onde concluiu o ensino médio, antigo colegial. Aos 17 anos iniciou sua carreira de professor de ensino infantil na Prefeitura do município de Uniflor e mais tarde, nos anos 80, foi morar em Curitiba (PR) em busca de preparação para o vestibular e novas oportunidades de trabalho. De volta a Maringá, prestou vestibular na UEM, casou-se em 1991, trabalhou também em outras áreas da iniciativa privada, concluiu a faculdade e viveu até 2000, quando se divorciou. No ano seguinte, resolveu mudar-se para Sumaré (SP), onde já moravam alguns parentes. Foi quando ingressou na Rede Estadual de Ensino, primeiramente como temporário e, a partir de 2003, como efetivado por concurso público. Trabalhou também em redes particulares e cursinhos alternativos, na prefeitura de Campinas e de Sumaré, onde também atuou como Conselheiro Tutelar (cargo eletivo). Casou-se novamente em 2004 e hoje vive com a esposa Cristina e o filho Silvio, de 10 anos. Tem como filosofia de vida procurar seguir os princípios cristãos do amor ao próximo, da cidadania e da ética. Como estudioso constante, pesquisador de Linguística e Literatura, tem como frase preferida a seguinte: “A felicidade é encontrada nos momentos de descuido”, do grande Guimarães Rosa.


Marisa Bueno da Silva nasceu em Califórnia (PR), em 22 de novembro de 1961, filha de mineiros que foram para o Paraná ainda jovens e lá constituíram família. Nasceu e cresceu na roça, numa vida muito simples. Aos 12 anos mudou-se para a cidade, onde começou a estudar, tendo concluído a 8ª série em 1977. Em 29 de julho de 1978, casou-se com Alceu, ambos ainda muito jovens, ela com 16 anos e ele com 20. Em junho de 1979, mudou-se para o Parque das Nações, em Sumaré (SP), quando praticamente tudo era ainda mato. Terminou o ensino médio com dificuldade, já com os dois filhos, Fernando e Flávio. Desde fevereiro de 1989 trabalha em uma escola pública estadual, primeiro como Inspetora de Alunos e atualmente como Agente de Organização Escolar. Não possui curso superior. Escreveu este livro iluminada por Deus e por Josefa, que foi sua grande inspiração, e também com a orientação e colaboração de Adelmo da Silva. Agradece a Deus, pois esta obra foi uma experiência maravilhosa e gratificante. Gosta muito de leitura, poesias, músicas – enfim, tudo que envolve a escrita. Sempre acreditou na misericórdia de Deus e bem sabe que em todos os momentos Ele está presente e abençoando cada dia mais. Esta é uma das frases preferidas de Marisa: “Tudo posso Naquele que me fortalece”.

Nascida em uma família humilde, Josefa de Oliveira Pereira, simplesmente Josefa, cresceu e aprendeu a ler, o que na época era quase impossível para as mulheres, mas mesmo assim não desistiu de aprender. Mãe de dez filhos, casou-se ainda jovem e foi viver longe dos familiares. Atualmente, mesmo com a saúde precária, não se deixa abater, cuida de dois filhos especiais, ainda faz orações para as pessoas e sempre tem uma palavra amiga a todos.
É uma grande mãe, mas mãe de muita gente, não só de seus filhos biológicos, mas mãe de todos nós que a conhecemos, e sem dúvida é muito amada. Conheça a trajetória de vida maravilhosa dessa mulher especial. Com certeza você vai se emocionar com sua história, ao ver a fé que essa grande mulher tem e o amor que dedica a todos que a procuram. É uma pessoa abençoada, e muito, por Deus.
Leia Mais ►

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Entrevista com Afrânio Barbosa de Souza - Autor de: 1875 - MISSÃO AO FIM DO MUNDO

Nasceu há muito tempo em Uberaba, foi aluno interno do Colégio Marista Diocesano, mudou-se para o Rio de Janeiro onde se formou em direito e administração de empresas assimilando a alegria e ironia dos cariocas sem perder a desconfiança de mineiro. Mudou-se para São Paulo, atuando na area de Mercado de Capitais, Governança Corporativa absorvendo a objetividade dos paulistas. Autor do livro MENINOS DA ROÇA, esgotado. Quando lhe apresentamos seu histórico ele cortou, cortou, cortou e acrescentou a seguinte frase: "Quando o mercado de capitais entra em crise escrevo romances para fugir do estresse e se continuar assim acabarei um bom romancista"

Em 1875, a pedido do embaixador argentino, Alejando Meneng, um jornalista e politico cujo sonho é ser prefeito de porto alegre, amigo de Floriano Peixoto e financiado pelo Visconde de Mauá organiza uma missão de ajuda a Republica Argentina. Escravidão e Guerra do Paraguai são os conflitos apresentados no romance. A habilidade do texto, a detalhada pesquisa  nos leva a participar da Batalha de Tuiti,  ler anúncios verdadeiros  fuga, venda e locação de escravos, e o leitor muitas vezes não pode distinguir o que realmente ocorreu do que é resultado da mente criativa do autor. Como  escreveu a escritora ANNA MARIA MATINS DA ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS: "a criatividade do escritor Afrânio Barbosa de Souza  apropria-se da realidade e leva a imaginação do leitor a parâmetros  sem fronteiras".
Leia Mais ►

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Entrevista com Maria Vaneide Anjos Blanco - Autora de: CARTAS RASGADAS

É sergipana da Aquidabã, sertão do Rio São Francisco. É médica, pediatra, sanitarista, divorciada, mãe de quatro filhos e tem cinco netos. Sua marca é a generosidade no atendimento às pessoas e nos serviços que presta. Sempre os faz com padrão de excelência e honestidade em várias áreas do conhecimento. Aposentada pelo serviço público, trabalhou mais de trinta anos em apoio aos excluídos sociais, fazendo do seu trabalho uma defesa pelos direitos sociais. Considera de relevância na sua formação o contato com Irmã Dulce e a poesia de Cora Coralina, nos quais busca a explosão das suas poesias e histórias de vida, feitas no amor à arte, às crianças e seus núcleos familiares. Tem formação em Saúde da Família e Pedagogia, e mestrado em Saúde Coletiva sobre Aleitamento Materno. As viagens feitas por Israel e pela Europa, em especial a Grécia, foram seus incentivos para se eternizar o momento sobre a importância de se fazer história. Os seus sonhos e ideais lhe são permitidos e realizáveis, na medida do possível. Daí uma personalidade de paz e um semblante alegre e de humor vivaz. Nos seus livros Emoção de Viver, Sonetos: uma Tournée de Melodias e a participação no livro Tirando a Máscara, descobre seu potencial como mulher. Em O Que Virá? Virou! propõe a releitura do mundo infantil, abrindo o leque de histórias no processo de alfabetização. Pertence à União Brasileira dos Trovadores e tem várias poesias premiadas e participações em antologias. Católica fervorosa, tem em Santo Antônio o seu santo protetor. Assim, traz ao público seus escritos, embasados nos conhecimentos da Pediatria sobre o desenvolvimento infantil, na psicologia Kleiniana do professor José Vilson dos Anjos e na filosofia Freiriana desenvolvida na Administração Luíza Erundina. Daí, não parou mais de pensar, de escrever e de acreditar na construção de um futuro melhor para um povo rico, feliz e que, hoje, pouco pode usufruir do imenso potencial do seu país, o Brasil.
Elisabete Homor - Professora de Matemática, advogada e pianista

Quanto privilégio.... Quando recebi o convite para tarefa tão nobre, juro que fiquei assustada. Mas com a leitura dos textos, fui me ajeitando dentro das histórias e entendi que esta deixava de ser uma tarefa e passava a ser somente um grande prazer de vida. Grande Milton Nascimento: “Maria é a força, é o suor, é a dose mais forte... de uma gente que ri quando deve chorar... Quem traz no peito esta marca possui a estranha mania de ter fé na vida.” E então nasce Maria Vaneide Anjos Blanco. 
E sua história traz a guerreira leonina no coração, e junto o acreditar do amor universal, as travessuras da doce menina, a vaidade da mulher e o sonho dos contos de fadas. Quem passa pela Bahia de Todos os Santos, diferente há de ser. Ela vem com a sabedoria do olhar... Olha e sorri, sempre. Em seu silencioso olhar, começam a tomar forma as suas histórias e como magia, nascem os contos. Contos que encantam, trazem de volta momentos que parecem nossos. 
Cobranças de um final feliz, que a sociedade (principalmente a família) nos ensina ou  nos convence a ser o caminho certo, senão o único. E assim caminhamos, até sair do roteiro desenhado já na infância e de repente, vemo-nos perdidos. Aí chega Maria... Sorrindo, leva-nos aos sonhos, histórias vividas, superação, fé, resiliência, certos de que devemos e iremos sobreviver. Ah Maria!!! Ler seus contos é como caminhar em uma estrada conhecida, mas que agora ganha novas flores, às vezes pedras, buracos, mas no final há uma surpresa, sempre. Sua leitura é um convite a se ver, rever, sonhar e AMAR. Comecei com Milton, termino com Gonzaguinha: “Viver e não ter a vergonha de ser feliz”.

Rosana A. de Jesus - Mulher, mãe, educadora, jornalista e psicanalista
Leia Mais ►

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Entrevista com Mauro Mendes - Autor de: GARATUJAS

Nasceu em 1945, em Fortaleza (CE). Em 1972, formou-se em Engenharia Química pela Escola de Engenharia da Universidade Federal do Ceará e, em 1974, fez pós-graduação em Engenharia Sanitária na Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Instituto Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Rio de Janeiro. Desde 1976, reside em Salvador (BA), onde passou a atuar na área de controle do meio ambiente, inicialmente no Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (CEPED) e, posteriormente, no Centro de Recursos Ambientais (CRA), Órgão Estadual de Controle Ambiental, atual INEMA. Desde 1990, vem prestando serviços de consultoria a empresas públicas e a empresas do Pólo Industrial de Camaçari (BA), sobretudo nas áreas de licenciamento ambiental e de controle da poluição atmosférica.

É uma coletânea de poemas e prosa poética que abarca mais de quatro décadas de produção do poeta cearense Mauro Mendes. Todos os poemas são inéditos e abordam temas que vão do quotidiano ao mítico e ao religioso, sem falar na relação com a natureza, sobretudo o mar e a terra natal do poeta. GARATUJAS tem muito a ver com o sonho e o devaneio e o leitor também se deliciará com uma linguagem onde predominam a experimentação com as palavras e a forma lúdica e livre de dizer as coisas.  

Garatujas é uma coletânea de textos (poemas e prosa poética) escritos desde o início da década de 70 e que abrange, portanto, diversas épocas e diferentes fases da minha vida. Entre outros significados, o termo “garatuja” quer dizer desenho rudimentar, mal feito ou tosco, algaravia, borrões, burundangas, gatafunhos, garabulha, garafunhas, gatimanhos e houve mesmo quem me aconselhasse a não usá-lo como título do livro, por ser pejorativo. Que pejorativo que nada! Na verdade, o título não poderia ser outro e, de fato, ele surgiu de forma muito natural, há muito tempo, como sabem alguns poucos que leram os textos mais antigos. 

“Garatujas” e “garatujar” são os termos que melhor traduzem o conteúdo deste livro, no qual predominam a experimentação e a brincadeira com as palavras e a forma lúdica, livre e desorganizada de dizer as coisas. O leitor não deve, portanto, se espantar com a desobediência, aqui e ali, às tradicionais regras de acentuação e pontuação e da versificação clássica nem com os neologismos... Garatujas tem muito a ver com o sonho e o devaneio, onde as imagens, no mais das vezes, são borradas e o enredo é confuso... Um contorno de sombra...

Burundangas, gatimanhos, garafunhas... Garatujas é tudo isto, não é nada disto, é muito mais que isto. Não há a pretensão de que um poema seja perfeito ou uma coisa acabada ou a “última palavra”. Ao contrário, um poema, aqui, deve ser sempre considerado um fragmento, extrato de uma essência inacabada, sempre à espera de um lento por vir... Garatujas é brincadeira e é coisa séria...
Mauro Mendes - Salvador (BA), maio de 2015
Leia Mais ►

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Entrevista com Guy Werneck - Autor de: O TOM DE MEUS CANTARES

Natural de São Paulo, capital, nasceu em 14 de março de 1982: não por acaso, Dia dos Poetas.Guy despontou para a literatura poética quando morava nos Estados Unidos, numa pacata cidade do interior de Utah. Em sua juventude turbulenta, começou e abandonou vários cursos, como jornalismo, hotelaria, entre outros, porque não se encontrou nos moldes acadêmicos. Estudou História da Arte Moderna no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM). Após participar de oficinas literárias e saraus na Casa das Rosas, no Espaço de Poesia e Literatura Haroldo de Campos e no conceituado Instituto Palas Athenas, em São Paulo, sua escrita passou a tomar curso e forma, estilo e sofisticação. Sente como influências literárias Fernando Pessoa, Camões, Castro Alves, Pablo Neruda, Vinícius de Moraes, Mário Quintana, os poetas em especial românticos, escola da qual Guy considera-se encaixado, pleno, direcionado e expressivo. Poetas como Adélia Prado, Cecília Meireles, Hilda Hilst, Zeca Baleiro, Caetano Veloso, também passam por seus gostos e curiosidades. Além destes grandes nomes da música popular brasileira, o Rock e poesia nacionais sempre estiveram presentes e são influências até hoje em seus versos por vezes melódicos e um bocado irônicos, irreverentes. Dentre os principais nomes que Guy considera ter influência abrangente são Renato Russo, ex-líder da Legião Urbana, Raul Seixas e Cazuza.
Participou das seguintes antologias:
- Seleta Cultural Poesias I - LP-BOOKS – SP (2012)
- Portugal Feliz  - LP-BOOKS SP (2014) - antologia que fez homenagem a temas livres marcando um novo ano com as promessas e expectativas dos autores presentes e da comemoração de mais um ano de Editora. Temas como esperança, felicidade e perdão encontram-se nos poemas.
- Brésil en Scéne - Antologia da Divine Académie (2014) Paris. Seleção de 50 autores brasileiros de todas as partes do Brasil que discorrem sobre temas como política, sociedade e cultura brasileira nos tempos atuais.

A obra de poemas inéditos  traz um conteúdo recheado com uma multiplicidade de temas de cunho social, de anseios de uma sociedade e contrastes da vida, em contextos globais, que caminham constantemente em transformação e estagnação.

Entre versos ásperos, Guy Werneck,
que se considera um poeta romântico e contemporâneo, retrata o caos urbano, a solidão, o preconceito, o amor, a esperança de dias melhores, as desilusões presentes nas sociedades e culturas que por vezes, se estagnam no âmbito e contextos da desigualdade social.

Em poemas que dialogam entre si, como se fossem um só sujeito presente em sua voz ativa, Guy deixa mensagens sublimes e críticas fecundadas a conjunções e condições de uma sociedade ambígua e em conflitos.  O legado do autor neste livro nos traz uma recriação de seu universo próprio, através da inserção, indagações e diálogos entre personagens não só fictícios, imbuídos no conceito da obra, que permitem ao leitor refletir sobre os nossos tempos, sobre as nossas mudanças e, sobretudo um despertar para novos olhares e horizontes. Sobre as nossas incertezas e anseios naturais de gerações distintas, de maneira atemporal e consistente. Retratos de justiça, paz, igualdade, direitos humanos, de amor e de esperança, de um mundo com mais liberdade e democracia. Guy faz de suas críticas e indagações um elo entre sua inquietude e o universo ao seu redor, captado pelos seus radares, como é revelado em O Poeta Maldito.
Leia Mais ►

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Entrevista com Fernanda Pittella - Autora de: ALLEGRO VIVACE e ADAGIO CON BRIO

Mineira de Santos Dumont, Fernanda Pittella pertence à nova geração de escritores brasileiros cuja literatura inspiradora reflete um estado de espírito tradicional e regionalista muito peculiar. Estudou e viveu em diversos países, colecionando referências culturais enriquecedoras ao seu estilo coloquial e acessível. Graduou-se em odontologia pela Universidade Federal de Juiz de Fora e doutorou-se em Patologia Molecular pela Tokyo Medical and Dental University, no Japão. Viveu cinco anos na Bélgica, e após retornar ao Brasil, dedicou-se ao estudo de Arquitetura e Urbanismo pela Pontifícia Universidade do Rio de Janeiro. Atualmente reside em Singapura. Nunca perdeu suas raízes mineiras, o que é facilmente identificado em seus livros.

É o segundo livro da escritora brasileira Fernanda Pittella, que retoma os personagens do livro “Adagio com brio – Uma aventura Toscana”. Nessa nova aventura, Papamufle, Coccinella e sua barulhenta trupe embarcam rumo à Provence, na França. Embalados pelo aroma da lavanda, a família mineira de Cabangu vai explorar as delícias da culinária francesa, degustando os pratos típicos da região e se encantando com a descoberta das pequenas e antigas cidades provençais.
O texto, bem-humorado, é entremeado de passagens divertidas com as quais o leitor facilmente se identificará.
Cabangu se encontra perdida nas montanhas da Mantiqueira, um lugar imaginário onde as tradições mineiras são vividas com o fervor de antigamente, a culinária é a do tempo das avós, o bom mocismo permanece na província. Em Cabangu a memória se eterniza no não passar do tempo, o real e o fantástico se fundem e se confundem.
Apesar de Cabangu, a família de Papamufle esteve sempre disposta a desbravar outros horizontes. Desta vez, o lugar escolhido entre ruidosas tertúlias e almoços de domingo, foi uma região muito especial e perfumada ao sul da França: a Provence, um museu galo-romano a céu aberto, circundado por uma natureza ora dramática, ora serena.
Allegro Vivace é um andamento musical vivo e acelerado, que traduz com precisão o tom da narrativa que se desenrola entre a província e a Provence.

Misto de memórias e diário de viagem, o livro faz uma espécie de crônica do convívio dessa “turista acidental” com seu clã e seus simpáticos “agregados” durante uma jornada pela Europa. Roteiro, diga-se de passagem, permeado por recordações das terras mineiras.
Aquele setembro fez história: sete animados viajantes percorreram Itália e França seja a bordo da enorme van, capaz de carregar malas e tralhas, ou dentro de ônibus, metrôs e trens, com direito a estações com suas escadarias intermináveis.
A farra foi boa, em meio à magia de Trastevere durante noites agradáveis, ao poente em Assis, aos queijos da Toscana, terra de vinhedos inesquecíveis. Como esquecer o início do outono em Paris? Mais que mero cartão-postal, a aventura deixou memórias – de afetos.
Em meio a multidões de turistas esbaforidos ávidos em clicar tudo ao mesmo tempo agora, os Pittellas seguiram direitinho o conselho de Dante Alighieri: “E nós fomos adiante contemplar as estrelas”.
Leia Mais ►

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Entrevista com Simone de Souza - Autora de: O AMOR DE GIRASSOL



Paulistana nascida em 27 de setembro de 1972, estudou artes cênicas e trabalhou com grupos de teatro escola, ministrou aulas de teatro em ONGS pela secretaria de cultura.
No ano de 2004 escreveu o projeto "Viver e Conhecer"e algumas peças de teatro educativo.
Em 2014 lançou seu primeiro livro infantil paradidático.







Depois de espalhar alegria por onde passava, Girassol encontrou um local onde seria sua morada.


Foi aí que conheceu Margarida e também sentimentos que desconhecia. Apesar da turbulência inicial, se mostrou amigo e conquistou o que desejava.

Leia Mais ►

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Entrevista com Lilia Iasi - Autora de: A PRAIA E O SEGREDO

Nasceu em Botucatu (interior de São Paulo), em 1948. Casada, tem quatro filhos. É pianista, escritora, compositora e professora de Música. Formou-se no Conservatório Beethoven e fez vários cursos de Piano e Violão Popular. Ultimamente, tem participado de várias oficinas de Musicalização Infantil. Já escreveu vários livros: ‘‘Personalidade’’ (Objetiva), ‘‘Em Busca do Equilíbrio’’ (Letras e Letras) e ‘‘Ser Mulher’’ (Talentus). Atualmente, dedica-se também a escrever histórias infantis e poesias. Na Área Social faz, há alguns anos, um trabalho voluntário com crianças e idosos, em ONGs do seu bairro, promovendo atividades musicais.
Livros publicados: A FAZENDA DO VOVÔ (2009); A PET ESPERTA (2011); ALÉM DO SOM (2011); AS FRUTAS AMIGUINHAS (2013); COISAS DA VOVÓ (2013); MEU CAVALO ALAZÃO (2012); MUSICALIZAÇÃO INFANTIL (2010); O INDIOZINHO GUARANI (2010); PENSAMENTO EM POESIAS (2013).

Um certo dia, Dona Hipopótama resolveu levar as suas crianças à praia. Acordou cedo e logo arrumou a cesta de piquenique, cheia de quitutes. Eles só não imaginavam que lá iriam encontrar a Garça mortinha de fome! Que tal repartir? O pequeno leão marinho, gostava muito de "colecionar" tudo o que via pela frente. Pegava latinhas, copinhos, tampinhas, etc. guardava tudo dentro da sua caverna e não deixava que ninguém entrasse lá! Mas que grande diversão foi quando ele resolveu chamar seus amigos e começaram a montar vários brinquedos com toda aquela sucata! Reusar é mesmo muito legal!
Leia Mais ►

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Entrevista com Edite Zatta - Autora de: SIM, EU ACEITO!

Pós-graduada em Gestão de Pessoas e graduada em  Administradora pela Universidade de Passo Fundo, com formações em: Dinâmica de Grupo pela SBDG – Sociedade Brasileira de Dinâmica de Grupo, e Personal & Professional Coaching pela AIC – Academia Internacional de Coaching. Possui vasta experiência organizacional nas áreas de gestão de pessoas e de qualidade em empresas de pequeno, médio e grade portes, desde empresas familiares até multinacionais. Sua experiência profissional inclui o cargo de Diretora e Administradora da Intus Business – Consultoria em Desenvolvimento Humano e Organizacional, empresa que atua nas áreas de consultoria e instrutora. Autora de artigos, já participou de feiras e congressos nacionais e internacionais.

Com uma narrativa bem-humorada e, ao mesmo tempo, reflexiva, este livro traz exemplos práticos e estabelece comparativos do mundo privado com o organizacional. Afinal, quem protagoniza e, simultaneamente, vivencia os fatos é o mesmo protagonista.
O livro defende a tese de que a gestão de pessoas possui a mesma lógica de qualquer outra gestão e, portanto, não é correto afirmar que ela é mais complexa.
Administrar as pessoas também é fácil.
Leia Mais ►

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Entrevista com Wilson Domingues - Autor de: CAMPO DOS MIOSÓTIS

Nasceu em 1960, em São Paulo (SP), é casado, tem uma filha e reside atualmente em São Bernardo do Campo (SP).
Iniciou sua vida profissional em 1980 e desde então vem atuando na área da qualidade em empresas de diferentes ramos.
Seu primeiro contato com a doutrina espírita ocorreu, ainda criança, no final dos anos 60.
Apresentou os primeiros sinais da doença de Parkinson em 2003 e após cinco anos de tratamentos e convivência com a doença, iniciou um processo de revisão de seus valores de vida.
A paz de espírito que alcançou foi fundamental na abertura de um canal de comunicação com o plano espiritual, dando início ao processo de elaboração deste livro. Dia após dia, o livro Campo dos Miosótis foi tomando forma.
Agora, com sua publicação, o autor espera que a mensagem passada pelos obreiros do Campo dos Miosótis possa ser difundida.


Romance espírita focado na doença de Parkinson, descreve uma comunidade no plano espiritual, criada para prestar atendimento aos portadores da doença, estejam eles encarnados ou desencarnados.
O livro descreve em detalhes todo o processo de acolhimento, tratamento, estudo e, principalmente, os motivos que levaram o personagem principal a desenvolver a doença.

Usando uma linguagem simples e cativante, Campo dos Miosótis possibilita ao leitor fácil entendimento de todo o processo envolvido, promovendo momentos de emoção e aprendizado, e deixa, em seu final, uma mensagem de otimismo e esperança.

Leia Mais ►

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Entrevista com Adolfo Plínio Pereira - Autor de: LIDERANÇA HUMANA E DE RESULTADOS

É Mestre em Desenvolvimento Sustentável e Qualidade de Vida pelo Centro Universitário das Faculdades Associadas de Ensino – FAE, quando pesquisou, entre 451 trabalhadores, as correlações entre Liderança e Qualidade de Vida no Trabalho. Apresentou sua pesquisa no 47º Congresso Latino-Americano de Escolas de Administração em Lima, Peru. O livro Liderança Humana e de Resultados de sua autoria é fruto dessa pesquisa. Adolfo Pereira é especialista em Gestão Avançada de Pessoas pela PUC - Pontifícia Universidade Católica. Formou em Administração pelo Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos. Atualmente é Professor de Graduação e Pós-Graduação na Faculdade Pitágoras, campus Poços de Caldas, instituição na qual foi Coordenador dos Cursos de Pós-Graduação e Extensão. Por mais de 25 anos atuou em empresas de grande porte em cargos de liderança. Foi também gerente da Associação Comercial e Empresarial de São João da Boa Vista. É articulista das revistas Atitude Empreendedora, Incorporativa e Jornal de Empregos e Estágios do Rio de Janeiro. É consultor de empresas, facilitador de treinamentos e palestrante frequentemente requisitado para congressos e encontros empresariais e estudantis de grande porte, pois transmite conhecimentos de forma prática e lúdica o que faz de seus encontros momentos memoráveis. Adolfo Pereira considera-se um apaixonado pelos temas Liderança e Gestão de Pessoas.

O livro traz conceitos importantes sobre liderança, motivação e comportamento humano nas organizações. Assim, com base em várias pesquisas e estudos sobre o tema, o autor propõe uma forma eficaz de liderar equipes a qual denominou Liderança Humana e de Resultados. Para contribuir com os leitores, o autor traz instrumentos de pesquisas simples e eficazes para mensurar a presença dessa filosofia de liderança no ambiente de trabalho. A Liderança Humana e de Resultados é uma forma de liderar com foco nas pessoas que compõem a equipe do líder e nos resultados que essa sua equipe deve realizar. Para conquistar esse alto nível de gestão da equipe mesmo com todas as variáveis e influências que estão em torno das relações de trabalho, o autor traz; além de conceitos importantes sobre o assunto; sugestões, exemplos e dicas que visam contribuir com o sucesso do gestor em sua missão de liderar. O Líder Humano e de Resultados age em acordo com as mudanças que ocorreram nas relações de trabalho ao longo do tempo e, por isso, é desejado pelas boas organizações do século XXI e admirado pelos integrantes de sua equipe.
Leia Mais ►

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Entrevista com Angelino Pereira - Autor de: NA GUERRA SE FEZ AMOR

Mestre em Engenharia Humana e professor no ensino superior, desenvolve atividades de consultoria na área da prevenção de riscos profissionais e coordenação de segurança, com vários estudos publicados em revistas especializadas. Dada a sua grande paixão pelas Letras e sentido humanista, prefere dedicar o seu tempo à leitura, à escrita e ao trabalho pela causa social. Grande parte da sua obra tem sido doada em benefício de projetos comunitários. Colaborador em vários jornais, tem também participado em palestras e tertúlias prosaicas e poéticas. São ainda muitas as suas participações em coletâneas e antologias, entre as quais: Asas Vivas; Mãos Dadas, volumes I, II, e III; Antologia Poética de Autores Vimaranenses; Poesis I, II, XI e XII; (De) Corrente, Poesia a Onze; Os 30 autores do CD “Assim se Diz”; coautor da Coletânea Poesia a Doze “Resist (ir) Assim”, da coletânea de contos Conta-me Estórias; Tempera (Mental), Poesia a Dezasseis e Verbum, conto & poesia. Participou também nas dez antologias poéticas Poetas de Sempre, publicações de 2000 até 2009. É autor de dez livros: No Conto do Meu Poema (1995); Mensagem no Tempo (1997); Nostalgia entre Angola e o “Puto” (2000); O Problema da Gente São as Pessoas, lançado em 4 de dezembro de 2004; Renascer, apresentado em 23 de abril de 2006, Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor; O Preço da Vitória (2010), romance de sucesso, em 2ª edição; Encontros de Vidas, romance apaixonante, lançado em 17 de março de 2012, na Capital Europeia da Cultura; O Enviado, editado em São Paulo, Brasil, em julho de 2013 e apresentado em Portugal, na Cidade Berço e Patrimônio da Humanidade, no Tribunal da Relação, em 2 de novembro do mesmo ano, porque o romance veio para salvar o reino e a vida; Caminhando com Ela, apresentado na 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em 2014; e agora Na Guerra se Fez Amor, um romance dos amores na guerra colonial em Angola. Angelino Pereira é membro nº 905 da Associação Portuguesa de Escritores e beneficiário nº 16.251 da Sociedade Portuguesa de Autores. Tem merecido alguns prêmios e distinções desde março de 1985, quando recebeu menção honrosa da Câmara Municipal de Guimarães por um trabalho de pesquisa histórica sobre a nacionalidade portuguesa, com o título “24 de Junho, Dia 1 de Portugal”. Voltou a ser galardoado em 22 de junho de 1985 pela escola secundária Francisco de Holanda em parceria com a Câmara Municipal de Guimarães com o 1º prêmio em Poesia. Pertencem-lhe quatro primeiros prêmios, três segundos, três terceiros, dois quartos e um quinto, nas Competições Culturais do Clube de Pessoal da EDP, entre várias menções honrosas; 1º prêmio em poesia do Instituto Superior da Maia; 1º prêmio em quadras populares no 1º Encontro Nacional de Poetas, em Guimarães, em 2001, entre várias menções honrosas em anos seguintes, na modalidade de quadras populares, alusivas ao Gerês, entre outros... Sua atual paixão, porém, é o romance, para onde pretende transportar as emoções dos seus leitores. 

Uma guerra, três gerações e a força do Amor - Diz a lei do Universo que tudo tem sua hora certa. Este décimo romance de Angelino Pereira chega para dizer que depois de 41 anos, e mais 13 anos de guerra colonial em Angola, fica a prova de que na guerra se fez amor. Os combatentes de ambos os países – Portugal e Angola – foram adversários na guerra, mas não são inimigos porque se bateram pela vida em defesa da Pátria que lhes ordenou o combate... E hoje muitos descendentes luso-angolanos são a prova de que apesar de tudo a guerra colonial em Angola não foi apenas para matar, mas também para amar. Um livro interessante para saber como vencer a guerra com amor...
Leia Mais ►

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Entrevista com Rose Meire Scacciotti - Autora de: 36 CARTAS DE AMOR





Rose Meire lançou, no dia 25 de outubro de 2014 no Espaço Scortecci, o Livro 36 Cartas de Amor. Ao final, ela fez um agradecimento muito especial aos amigos que a prestigiaram. Veja o vídeo após a entrevista.



Olá, meu nome completo é Rose Meire Moreira Scacciotti, tenho 50 anos. Formei-me em letras e dei aula para pré-escola durante apenas dois anos depois de formada.
Casei e nunca mais dei aulas ou fiz qualquer atividade no ramo. Pelo contrario, fiz um curso e montava bijuterias que eu mesma vendia e cheguei ate vender joias.
Fiquei casada por vinte anos e quando me separei resolvi escrever, mas mesmo assim, escrevia sem o intuito de publicar o que eu escrevia.
Cheguei a querer publicar um livro que falasse sobre "mente e corpo", mas não tinha muita certeza se era sobre isto que eu gostaria de escrever. 
Como encontrei muitas pessoas separadas e casadas infelizes e sempre com os mesmos problemas, não tive dúvidas e resolvi escrever sobre "amor".
Estes dois livros, "36 Cartas de Amor" e "63 Frases de Amor", são o começo de muitos que ainda virão ...
Leia Mais ►