segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Entrevista com Marcelo Grangeiro - Autor de: AI, PISARAM NO MEU PÉ!

Profissional especializado em danças de salão, dança afro-brasileira, populares, folclóricas e dança educacional; Pós Graduado em Teoria e Movimento da Dança com Ênfase em Dança de Salão pela Faculdade Metropolitana de Curitiba – FAMEC; Licenciatura em Educação Física pelo Instituto de Ensino Superior do Sul do Maranhão – Professor dos maiores e mais importantes eventos de dança e educação física do Brasil. Finalista da Dança dos Famosos em 2010 ao lado da atriz Sheron Menezes e coreógrafo da novela Além do Horizonte da rede globo.
Atua como professor nos Cruzeiros temáticos da Costa Cruzeiros: Dançando a Bordo e Tango e Milonga;
Professor palestrante da FIEP (Fédération Internationale d'Education Physique) ganhador do prêmio TOP FIEP como melhor profissional/professor de 2010/2011.

Se você que aprende e que ensina, pretende construir uma dança pautada na liberdade de expressão, esse pode ser um caminho.
Precisamos expandir nossos conceitos a cerca do ato de ensinar e aprender a Dança de Salão no século XXI, sem ficarmos atrelados aos conceitos retrógrados que herdamos historicamente e que ainda cercam o cenário atual, proporcionando aos nossos alunos um aprendizado em Dança de Salão que vai além de apenas realizar passos/movimentos pré determinados pelos professores. Esse será um dos nossos compromissos.
Aí, pisaram no meu pé! É um livro que trata com exemplos vivenciados na pratica, com sucessos e insucessos ao longo de vários anos de forma reflexiva e pautada nas teorias e ciências que nos auxiliam no processo de aprender e ensinar e vêm propor um novo conceito sobre aprendizagem e ensino na dança de salão.
Este livro é indicado para professores, alunos, bailarinos, dançarinos, coreógrafos, diretores e educadores de todas as áreas do conhecimento que desejam melhorar e evoluir no processo de aprendizagem e ensino. Aqueles que acreditam que não precisam mais melhorar e evoluir desafiamos a ler este livro e não mudar de opinião.

Olá Marcelo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Sempre pensei em contribuir com o desenvolvimento e crescimento da dança de salão por várias vias de acesso. Escrever o livro sobre os processos que envolvem o ato de aprender e ensinar através da Andragogia que é a arte de ajudar o adulto a aprender, surgiu da necessidade de ir além de passos pelo salão de dança. Depois que conheci a Andragogia tive a certeza que queria escrever sobre o assunto. Uma informação importante que a relação andragofia e dança é um assunto novo no mundo inteiro. Esta obra se destina a todos as pessoas que aprendem e ensinam de forma geral.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Esse foi meu primeiro livro e já estar sendo traduzido para o Inglês e em breve estarei fazendo o lançamento nos USA e Europa. Já estou trabalhando na construção de um segundo livro que será com atividades praticas como sugestão de como aplicar a andragogia. Meus interesses no mundo das letras são audaciosos e não pararei por aqui. Me aguardem!.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acredito que precisamos fazer o possível para tentar reverter essa situação. Em nove meses vendi 1500 exemplares. Não sei se é pouco ou muito, mas, acredito que dentro da minha área foi muito. Continuarei a buscar alternativas para driblar esses problemas e não parar de escrever.

 Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através da indicação de um amigo que fez um livro com vocês.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Porque nele as pessoas poderão encontrar muitas alternativas para discutir e construir processos de aprendizagens que fogem do tradicionalismo. Dúvido alguém lê o livro e não mudar de opinião a cerca da aprendizagem.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário