sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Entrevista com Hernando Feitosa Bezerra (Chagal) - Autor de: SIMPLES ASSIM

Hernando Feitosa Bezerra (Chagal)
É paulistano, filho de Sebastião Francisco Bezerra e Ambrozina Feitosa Bezerra. É formado pela Faculdade Paulistana de Ciências e Letras – SP. Cursou clarinete na Universidade Livre de Música Tom Jobim é Pós-graduado em Docência Superior pelas Faculdades Integradas Simonsen (RJ) e em Gestão e Coordenação Pedagógica pela Universidade Gama Filho (RJ) com cursos de extensão em literatura, linguística e semiótica pela USP. Hernando é Professor na rede pública Municipal de São Paulo e como poeta, adota o pseudônimo Chagal em homenagem ao pintor russo surrealista Mark Chagall. Participou de dezenas de antologias no Brasil sendo a primeira, Poetas Brasileiros de Hoje (1982) pela editora Shogun Arte – RJ. As antologias mais recentes são: Revista Literária Plural – RJ, (2010), Antologia Valeu Professor 2010, ‘Eu me Lembro’ pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, Agenda Poética 2011 pela editora All Print – SP, Agenda Poética 2011 pela Oficina Editores – RJ. Participou também da antologia di letteratura contemporanea multilíngue, (Trento) Itália – 1996 e Circulo de Poesia, (Montevideo) Uruguai – 2003. Chagal tem oito livros publicados: Os Poderosos e as Pombas (1986) Scortecci Editora-SP, Chagal o Poeta que Pariu (1992) Scortecci Editora, Poesia em Tom maior (1994) Scortecci Editora, Ingennus-Nascido livre (1996) Scortecci Editora, Flores para Babilônia (1998) Editora do Poeta/RJ, Cântaro (2002) Scortecci Editora, Cantares (2007) Scortecci Editora, Verso Samurai (2011) Scortecci Editora. Chagal tem alguns prêmios; destacando-se o 1º lugar no XI Concurso de Poesia em Mogi Guaçu 1993, Medalha Cultural E.D Almeida Vitor da Revista Brasília (1994), troféu Francisco Igreja (1996) da Associação Profissional dos Poetas do Estado do Rio de Janeiro (APPERJ), Concurso Poetas do Brasil 2006 (Arte Bahia), Medalha Valeu Professor (2009), Troféu Jacy Donadio 2010 (Casa de Cultura de Santo Amaro), Prêmio Literarte de Cultura (2013). Chagal é sócio da UBE – União Brasileira de Escritores e verbete no Dicionário Igreja de poetas Contemporâneos (1991), Guia dos Escritores Brasileiros ABNL (1997), Dicionário Bibliográfico de Escritores Brasileiros Contemporâneos Adrião Neto (1998). Participou por muitos anos da coluna Diversos Caminhos do jornalista e poeta Zanoto no Jornal Correio do Sul (MG).
Email: chagal@uol.com.br
Blog: http://blogdochagal.blogspot.com.br/

Simples Assim
É uma antologia dos melhores poemas do poeta chagal no decorrer de seus 35 anos de literatura poética. Neste livro encontra-se vários poemas, muitos deles premiados em concursos de poesia realizados pelo brasil afora inclusive no exterior.
O livro é dividido em várias partes com poemas românticos;poemas religiosos; poemas filosóficos, além de vários poemas no estilo Hai Kai.Este é um livro para ser lido com vagar, tranquilamente, absorvendo cada palavra de cada poema como tomasse um gole de maravilhoso licor.


Olá Chagal. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Eu escrevo poesia a 35 anos e sempre publiquei um livro em média a cada quatro anos e em 2014 me veio a ideia de fazer um livro com o melhor do que eu havia escrito no decorrer desses anos.
Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Eu nasci em uma família muito humilde e apesar disso aprendi a ler muito cedo e eu lia de tudo e leio muito até hoje. Essa gana por ler levou-me a querer transformar em palavras as coisas que me afligiam interiormente, então passei a escrever versos; o estopim de tudo foi a leitura do poema Cidadezinha Qualquer de Carlos Drummond de Andrade; aquele poema foi como um insight para mim e a partir dali passei a fazer poemas curtos, mas que tivessem um sentido completo.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Escrever para mim é um hobby, pois sou professor e é disso que me sustento. O brasileiro gosta e lê muita poesia, mas compra poucos livros desse gênero de literatura; acho que o único jeito do poeta ser lido nacionalmente hoje é conseguindo publicar seu livro em editoras que têm convênio com o MEC que distribui esses livros nas escolas e bibliotecas do Brasil inteiro.

 Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Conheço a Scortecci desde que era uma salinha numa galeria da Teodoro Sampaio à uns trinta anos atrás e eu cheguei à Scortecci através de poetas da época que publicavam seus livros independentes e os vendiam nas bienais do livro, nos barzinhos etc.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Este é o melhor livro que eu escrevi, alias, é o meu único livro que foi se desenvolvendo através de longos anos e chegou até aqui e está pronto; capa, título, folhas, conteúdo, tudo ficou da forma que eu queria. Só falta mesmo uma coisa: ser lido pelo maior número de pessoas possível. A mensagem que eu gostaria de dar aos meus leitores é que "O poema do poeta somente no leitor se completa". obrigado a todos pela oportunidade.


Obrigado pela sua participação.

Um comentário:

  1. eu ja li varios livros do chagal mas esse ultimo (Simples Assim )achei maravilhoso.

    Viviani

    ResponderExcluir