terça-feira, 24 de março de 2015

Entrevista com Rejane Machado - Autora de: ONDE FOI QUE NÓS PARAMOS? e O MÉDICO DAS FLORES

Carioca, é Professora de Literatura, Crítica Literária, Filologia Românica, Linguística, História da Arte, diversas atualizações e cursos de Didática e Metodologia, entre outros campos de estudo. Labutou em jornais e revistas de vários estados e continua a estudar pois como Sócrates, tem consciência de que, “nada sabe”. Tem dez livros publicados entre crônicas, contos, romances, ensaios históricos-literários, muitos prêmios literários. Dedica-se atualmente à crítica literária, com ênfase na Estilística e Crítica Textual. Espiritualista, acredita na Esperança e sobrevivência dos valores morais, estéticos, no poder transformador da Arte e da Ciência. Taurina, persistente, fidelíssima nas amizades; alegre, positiva.
Pertence á UBE /REBRA/CIFEFIL. Estuda Música e Canto erudito: Madrigal do Leme.

Comentários leves, em linguagem descontraída, sobre fatos comuns da vida: memorabilias,"fait-divers", observações sobre o cotidiano envolvendo música, literatura, uma pitada de filosofia, episódios cômicos da vida em família, um pouco de crítica literária-com uma visão positiva e alegre da vida.




No jardim da tia Sônia, passeando ao Sol, Raquel e as crianças assistem à recuperação de uma rosa desmaiada, feita por um gnomo-médico ajudado por sua enfermeira e  auxiliares. O Dr. Petrus e Violet ainda resolvem problemas de flores que brigam, besouros malcriados, etc. O pior vai ser quando as crianças tiverem que explicar à mãe deles o que acontece no jardim. Porque gente grande não é fácil...
Olá Rejane. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Não é a primeira vez que publico um livro pela Scortecci editora. Ao final de 2012 saiu a inédita experiência em Crônicas, quando falo em 1a. pessoa, e assumo tudo o que escrevi. Na verdade, uma Miscelânea bem humorada, que inclui memorabilias, "fait-divers", anedotas familiares, casos curiosos, sempre focando a vida pessoal, profissional, comentários muito pessoais, sentimentos de participação na vida social e particular. Repito a experiência neste ano de 2014, devido à própria sugestão do Prefaciador, o amigo Médico Cardiologista, e escritor premiadíssimo Dr. Pedro Franco, Professor da UNi-Rio, que bondosamente  comentou que ao fim do espetáculo que agrada à platéia, costuma-se gritar: por quê parou? Parou por quê- e assim resolvi dar o título deste segundo volume de Crônicas: Onde foi que nós paramos? Publiquei também pela mesma, um livro infantil, que corresponde ao sexto para os  pequenos. Não sou principiante, venho do Jornalismo em jornais e revistas do Rio de Janeiro e alguns outros  lugares. O 1° livro foi publicado em 1973, resultante de Concurso literário,; A dimensão das pedras - é gênero conto, que repetiria em 2009 com O outro lado das coisas, tb. resultado na maior parte de prêmios. Tenho ensaios, romances, menos poesia que prefiro analisar.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Planos? Pretendo continuar a escrever, pois tenho muita coisa pronta em ponto de publicação, mas é um "esporte" meio caro, no nosso país. Igualmente sou apaixonada por música clássica, e canto num Madrigal erudito. Este vício de nascença divido com o amor pela Literatura, criada que fui assistindo aos Concertos que o meu pai Maestro  realizava, naquele Rio que já não existe. A Leitura, desde os 5 anos me foi dada pela minha sensível mãe.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Se não tivesse esperança de mudar o mundo, ficaria quieta no meu canto, e não tentaria lutar "com palavras" que pretendem levar emoção a alguém, despertando seu olhar para a cultura, para a História que nos humaniza, para a beleza que se constrói na imaginação dando sentido à nossa vida.....

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Não faz muito tempo soube - não sei como - que uma Editora de São Paulo precisava de alguém para escrever Prefácios e orelhas. E me deram o e-mail da Scortecci. A Hebe Costa mandou-me o livro dela, então fiz uma apresentação e ela gostou. Chama-se este prefácio "Mater et magistra"- então trocamos muita correspondência e ficamos boas amigas. Em seguida ela mesma me indicou a Ângela Xavier, pessoa muito alegre, o que se repetiu.
Pretendo fazer com a Scortecci mais dois livrinhos infantis. São todos, Diretor, Secretária, Funcionários muito GENTE FINA!

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Penso que sim. Porque escrevo meus livros principalmente com autenticidade. Não divulgo baixarias, não prego subversões, penso que divulgara cultura, provocar a sensibilidade é dever do escritor consciente. Quando me bato pela verdade histórica, sei que estou lutando pela verdade e, portanto, no caminho certo. Tenho orgulho de ser independente!

Obrigado pela sua participação.

Outras obras da autora

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário