terça-feira, 7 de abril de 2015

Entrevista com Maria Francisca C. Motta - Autora de: RECADOS RIMADOS - Para ti, ser Amor

Maria Francisca de Castro Motta
É mineira de São Lourenço e vive em São Paulo desde 1990. Pedagoga por formação, é servidora do Tribunal Regional Eleitoral há 24 anos. Desde criança é leitora voraz, “viajando” nos livros que lê. Também gosta de escrever, de pôr no papel ideias e reflexões sobre a vida, e esses escritos têm a peculiaridade de serem, em sua maioria, com rimas. Decidiu publicá-los com a intenção de que sejam úteis a quem os ler. Afinal, “...sempre há quem esteja precisando ouvir...”




Esse livro mira a pessoa que quer ser enxergada e cuidada, ao mesmo tempo em que quer reconhecer em si a força que tem. Num mundo onde as pessoas, de modo geral, têm andado ocupadas com mil coisas ao redor de si, acreditando que os recursos de que necessitam para bem viver são encontrados no mundo exterior, é válido e muito importante analisar as próprias concepções e experiências. Assim, os poemas deste livro são como uma conversa: eles se dirigem diretamente ao leitor, que é convidado a identificar os seus sentimentos, estimulado a refletir sobre as coisas que lhe acontecem e a acolher a complexidade de seu próprio ser. Pode ser lido de modo contínuo ou aleatório; cada um escolhe a forma de receber os seus Recados Rimados.
Olá Maria Francisca. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro é de poesias, e foi surgindo devagar, conforme relato na Apresentação dele:
"Há cerca de 7-8 anos, um dia, ao acordar, veio-me à mente uma frase. Sonolenta, decidi escrevê-la como costumava fazer com meus sonhos. As frases seguintes surgiram rapidamente, eu escrevia e me espantava. Não houve rasura e, ao final de poucos minutos, eu tinha escrito uma pequena história em forma de poesia.
Poucos dias depois, aconteceu de novo. Dessa vez era uma mensagem. Para quem? Não sei até hoje, pode ter sido para mim mesma, ou não.
Bem, o que importa é que as ideias foram aparecendo, as frases se encadeando, fluíam em minha mente e eu as colocava no papel.
No princípio, mostrei a pessoas próximas e  era  como se tivessem sido escritas para cada um que lia. Assim, com o passar do tempo fui percebendo que muitos dos escritos até podiam ser lidos como mensagens.
Assim, fui escrevendo e amadurecendo a ideia de lançar um livro, com o intuito principal de ser útil. Pois é esse o meu propósito de vida.
O livro destina-se a todo aquele que quer ouvir (ler) uma palavra de acolhimento, procura uma orientação, uma identificação, uma reflexão.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Como sempre amei ler e escrever, esse livro é, ao mesmo tempo, uma realização e um início.
Foi o primeiro e gostaria que acontecessem outros. Continuo escrevendo e penso em escrever outros tipos de livros, como ficção, por exemplo.
Mas também sou tranquila e vou me dedicando às letras conforme minhas possibilidades.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acho que a realidade existe e temos que ter consciência dela, embora essa realidade não deva ser exatamente um limitador aos nossos sonhos; que devemos fazer o que estiver ao nosso alcance para que ela possa ser mudada.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de uma amiga, organizadora de alguns livros (dos quais faço parte com algumas poesias) publicados pela Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim, meu livro merece muito ser lido!
É um livro agradável, seu conteúdo convida, acolhe e oferece argumentos para a reflexão, incentivando o leitor para que aplique o que lê ao que estiver vivenciando; pode ser lido de modo contínuo ou aleatório.
Como digo na quarta capa:
"São Recados Rimados
para quem está feliz,
para quem está triste,
ou até, simplesmente,
para quem apenas quer pensar...
O primeiro poema escrito
pode até ser o último a ser lido.
Qual é sua escolha,
qual a que faz, para você, mais sentido?
Amigo leitor,
esses Recados Rimados
são para você,
com amor."

Obrigado pela sua participação.


Um comentário:

  1. querida, seus recados rimados nos faz refletir muito sobre nossas emoções, gratidão por compartilhar sua sensibilidade e aguardo mais e mais recados rimados....

    ResponderExcluir