quarta-feira, 8 de abril de 2015

Entrevista com Marilina Baccarat de Almeida Leão - Autora de: VIVAS EMOÇÕES

Descendentes de franceses, a autora nasceu em São Paulo - Capital, onde viveu sua infância e juventude. Seu avô José Baccarat, foi delegado e prefeito de Santos-SP na década de quarenta.Atualmente, reside em Londrina (PR) a nossa pequena Londres, onde vive com seu marido,José Almeida Leão, advogado aposentado do Banco do Brasil e professor aposentado do curso de Direito da Universidade Estadual de Londrina.
Nas artes, foi professora de música clássica e canto erudito com especialização em órgão, e é afiliada a REBRA - Rede de Escritoras Brasileiras, à AJEB - associação de Jornalistas e escritoras do Brasil.
É membro da Academia de Letras de Goiás, acadêmica imortal da Academia de Letras de Vitória -ES, onde tem uma cadeira patronímica em seu nome.
Recebeu no dia 17 de Janeiro de 2015, o prêmio Luso Brasileiro de Poesias, na Ilha da Madeira.

Ao sentir minhas emoções, cheguei à conclusão de que emoções são sentimentos extremamente pessoais da gente.
Tenho emoções, sentindo cada uma à sua maneira, como se eu confabulasse com elas.
São emoções, que procuro entender até chegar a uma conclusão muito minha, acerca do que senti.
Isso torna minhas emoções muito mais do que sentimentos possuídos por mim.
A partir do momento em que sinto minhas emoções, meus sentimentos afloram em várias direções.
Minhas emoções a partir do instante em que os sentimentos se tornam vivos, se transformam em Vivas Emoções.
Porque para mim, cada emoção é uma viagem, onde, solitariamente, percorro os meus sentimentos e eles me levam a descobrir incríveis e vivas emoções sobre mim.
 Quem sente emoções e os sentimentos afloram, poderá sentir o mesmo que sinto com as impressões de minhas emoções.
Como um diálogo intenso travado entre os sentimentos pelas emoções afora.
Assim, são as Vivas Emoções.
Olá Marilina. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.
       

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Vivas Emoções é como se bebêssemos além da conta, minhas emoções, naquele interstício entre o sentir e os sentimentos.
Sentindo entre o sono e a lucidez, quando tudo parecia bem claro, onde a vontade de sentir as emoções, vem com tal força, como se os sentimentos carecesse delas.
Esse ópio dos sentimentos, que me faz brilhar, mesmo na escuridão.
Revejo nas emoções, tudo o que quero, o que preciso sentir.
Sorvendo em pequenos goles, as emoções dos sentimentos, para que eles tomem forma, tomem a mim.
Vivas Emoções atinge várias classes de público, senhoras, jovens, até casais de namorados.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Vivas Emoções é o meu 10° livro, todos editados pela Scortecci.
O meu objetivo é poder voar até as alturas alcandoradas, galgar degraus na literatura.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Engano, a leitura é muito valorizada. Claro que há certas literaturas, que não interessa ao público.

 Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Pela Internet.
Estou satisfeita com a Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O meu livro, procura alcançar o coração das pessoas, quero ser uma pescadora de corações.
A mensagem que deixo para os meus leitores: Leiam, leiam muito, pois somente a leitura abre as portas para a cultura.

Obrigado pela sua participação.



Um comentário:

  1. Marilina ...quem tem coisas boas para transmitir atrai pessoas. Você já é uma pescadora de corações. Sucesso e parabéns.

    ResponderExcluir