segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Entrevista com Pedro Paulo Ramos Ventura - autor de: RACISMO A SÍNDROME DE LÚCIFER

Pedro Paulo Ramos Ventura
Angolano, nascido em 1975 em Luanda - Angola, casado com a brasileira Arcela Hubner Rocke Ramos Ventura, pai de Pedro Emanuel Hubner Rocke Ventura, Licenciando em Filosofia e Mestre em filosofia. Licenciado em Letras; Licenciado em História. Bacharel em Teologia. Pesquisador dos Estudos Africanos - UFRGS. Atualmente professor de Filosofia na Universidade Católica de Angola.





Racismo a Síndrome de Lúcifer
Deixo claro que este livro não excita  nenhuma prática xenofóbica, muito menos implicações racistas. Embora o livro aborda o racismo, porém, não se trata de um livro de dados estatísticos, pesquisas, confrontos sociais,  comparações de grupos etnicoracias, escalas de valores deste ou daquele grupo de sujeitos...
O presente livro não tem nenhuma pretensão para este fim. O fim último é mostrar o dialogo que é travado entre dois filósofos que problematizam a questão do racismo numa perspectiva não filosófica, embora as vezes aparecem linguagens filosóficas. A discussão no livro é de caráter ficcional. Qual é o problema? O problema central é: O racista é o próprio Lúcifer?  O Diabo é a personificação do racista? Ou o racista  é a personificação de Satanás?
Todo e qualquer que seja racista é o próprio Lúcifer. Lúcifer é mau por natureza, assim como é o racista. Satanás é Egoístas, Difamador, Caluniador, Enganador, Sagaz, Serpente, Astuto, Mentiroso, Blasfemador e Inimigo do Bem. Assim é o racista, Inimigo do Bem, Mentiroso, Caluniador, Difamador, Serpente, Sagaz, Astuto, Blasfemador e Egoísta.
É nesse nível em que os diálogos dos dois filósofos tomam seu curso. Os filósofos que aparecem no texto são fictícios, não representam nenhum filosofo da tradição grega ao moderno. Se há alguma verdade em um livro de ficção, a ambiguidade é a virtude dos sábios; e se existe alguma virtude nas palavras é porque por detrás dela há um sábios. Mas o racista é tolo, tal como é o Lúcifer.

Olá Pedro Paulo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro trata de Racismo. Surgiu em momentos de muitas reflexões sobre o racismo. O Público é geral, desde o mais culto e letrado homem, ao menos letrado. O assunto interessa a todos...

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sempre tive vontade de escrever algum dia um livro. Hoje tenho três livros publicados. Meu projeto é continuar escrever.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não devemos escrever pensando na quantidade de leitores que possivelmente lerão nossa obra, devemos apenas escrever pensando que alguém em algum lugar desse Brasil vai ler o que escrevemos.
Não sei como são feitas as estatísticas  de números de leitores no Brasil, mas, eu tenho a impressão que há número grande de pessoas leitoras no Brasil, não as vemos, mas sentimos que há. Caso contrário, os escritores parariam de escrever. Escrevem-se é porque existem leitores.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por simples e-mail que recebi sem eu ter tido contato com a mesma. Como bom leitor que sou, li a propaganda da Editora me interessei das propostas contida no folder, e de lá pra ca, não parei mais de publicar meus livros e como indico outros escritores internacionais a publicarem seus livros pela Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Qualquer livro deve ser lido, por isso que é livro... O meu merece ser lido simplesmente por ser um livro. Qualquer livro tem uma mensagem. O meu não foge a regra.
Existe uma mensagem não só especial no meu livro, mas intrigante e excitante no modo inteligente como se desenrola as ideias...

Obrigado pela sua participação.

2 comentários:

  1. é um dos melhores professores do nosso Instituto Superior Dom Bosco-Angola. Prof. você esta me ensinando a descobrir o Homem em nós. ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, não mereço tanto, mas vamos a luta juntos que chegaremos lá

    ResponderExcluir