quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Entrevista com Julio Cerqueira Cesar Neto - Autor de: UM ESTADISTA URGENTE – São Paulo está precisando

Exerceu sua atividade profissional na iniciativa privada, em escritórios ou empresas de sua propriedade. Destaque à COPLASA, que fundou e presidiu por 20 anos, tendo formado uma equipe de 400 pessoas, dentre as quais 70 engenheiros e cinco filiais em outros estados. Por isso tem sido considerado como empresário, embora nunca tenha deixado de ser apenas um profissional. Entretanto, talvez se explique pela genética, nunca deixou de exercer também suas funções de cidadão. Em nenhuma ocasião participou de políticas partidárias. Nunca foi candidato nem cabo eleitoral. As funções públicas de que participou sempre resultaram de convites. Fez parte do governo Abreu Sodré, do planejamento do governo Paulo Egídio, do governo Franco Montoro e mais recentemente instituiu, instalou e presidiu a Agência da Bacia do Alto Tietê, entre 2002 e 2006. Alguns perguntam como conseguiu manter suas empresas com a participação nas políticas públicas, porém poucos sabem que na realidade não conseguiu; no final do governo Paulo Egídio foi expelido do sistema e voltou ao seu modesto escritório técnico, onde continua até hoje a cumprir também suas funções de cidadão. A passagem pela Agência da Bacia do Alto Tietê proporcionou um aprofundamento nos seus conhecimentos sobre a Região Metropolitana, assim como nas relações com as autoridades constituídas. A observação dos graves passivos urbanos, ambientais, sanitários e até institucionais que essa região apresenta e que vêm se acumulando há mais de 20 anos (e continuam a se acumular) estimulou sua curiosidade para entender melhor as causas do fenômeno. Tendo concluído que essas causas têm origem numa mudança radical no comportamento dos governos e da sociedade a partir de 1990, decidiu escrever este livro para chamar a atenção sobre o problema e as conclusões a que chegou, e através dele submetê-las à consideração da sociedade.

O objetivo principal é chamar a atenção para uma mudança radical ocorrida no comportamento dos governos e da sociedade a partir do início da década de 1990 e que tem passado despercebida por grande parte das pessoas. Os governos deixaram de governar, passando a se dedicar exclusivamente aos processos eleitorais, e a sociedade deixou de reclamar e exigir seus direitos. Para demonstrar essa realidade, Julio Cerqueira Cesar Neto apresenta um retrospecto dos nossos governos nos últimos 68 anos e, para dar uma medida da gravidade da situação atual da Região Metropolitana de São Paulo, detalha a evolução dos passivos urbanos, sanitários, ambientais e institucionais a partir de 1990. Mostra que os problemas, embora de grande porte e complexidade, podem ser superados desde que apareça um governador estadista como já tivemos no passado.


Olá Sr. Julio. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro identifica uma mudança radical no comportamento dos governos e da sociedade ocorrida a partir de 1990 não só no Brasil, mas também além das suas fronteiras: os governos deixaram de governar e passaram a se preocupar exclusivamente com os processos eleitorais e a sociedade deixou de reclamar e exigir os seus direitos fundamentais.
A ideia de escrevê-lo partiu da constatação de que esse importante fato politico e social até hoje ainda não foi percebido por grande parte das pessoas e da necessidade de chamar a atenção sobre ele para que se possa pensar numa forma de modificar essa situação que já atinge níveis insustentáveis.
O livro se dirige a toda a sociedade não apenas para informa-la como também para submeter à ela as preocupações e argumentações do autor.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Acredito que não viemos ao mundo apenas para “cumprir tabela” mas com uma missão, para o cumprimento da qual recebemos a necessária competência e  precisamos assumir a respectiva responsabilidade. Os nossos compromissos são com a nossa família e com a nossa sociedade.
Não deixo de me reportar à “Oração da Serenidade“ de Abraham Lincoln:
Concedei-nos Senhor:
- serenidade necessária para aceitar como são as coisas que não podemos modificar;
- coragem para modificar as que podemos e
- a sabedoria necessária para distinguirmos umas das outras.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não sou um escritor profissional. Escrevo apenas quando sinto necessidade de transmitir ideias que acredito poderem servir aos outros.
A situação no Brasil decorre do baixo nível de educação da nossa população.

 Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por indicação da minha filha, Carmen S. V. de Cerqueira Cesar, poeta com 3 livros publicados e conheceu o Snr. Scortecci no ambiente literário dos anos 80.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Considerando o tamanho dos passivos acumulados descritos, especialmente na região metropolitana de São Paulo, eu acho que o meu livro precisaria ser lido, não se trata de merecimento, mas de necessidade, porque contem informações que ainda não estão disponibilizadas, mas que não deveriam continuar na ignorância de muitos. Infelizmente estamos ainda longe de um sistema político transparente.
Mensagem aos leitores: é preciso fazer com que os governos voltem a governar e quem pode conseguir isso é a sociedade organizada e, não estamos tão organizados como seria desejável. Quem sabe a informação venha ajudar.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário