quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Entrevista com Luis Eduardo Garcia Aguiar - Autor de: ALÉM DA FRONTEIRA

Luis Eduardo Garcia Aguiar
O poeta  nasceu em 6 de outubro de 1952, em Montevidéu, Uruguai, e hoje é naturalizado brasileiro e reside em Pernambuco. Também conhecido pelo pseudônimo Charrua, é autor do livro Poesitando, publicado em 2010, e atualmente trabalha na construção de outros livros, inclusive de poesia.




É a autobiografia de Luis Eduardo Garcia Aguiar, que narra sua história a partir do momento em que deixa Montevidéu, no Uruguai, e chega a São Paulo. O livro conta ainda os fatos mais marcantes durante os treze anos de sua permanência na cidade e sua mudança para Paulista, na região metropolitana de Recife (PE), onde reside e é muito feliz até hoje. Desde o Uruguai, passando por São Paulo até chegar ao Recife. Uma história de aventura, de emprego e desemprego, de amor e de família, de aprendizado, de superação, de muitas mudanças. Uma história que certamente fará você pensar na sua história.

Olá Luis Eduardo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Além da fronteira é minha autobiografia que narro a partir do momento em que deixo Montevidéu, no Uruguai, e chego a São Paulo. O livro conta ainda os fatos mais marcantes durante os treze anos da minha permanência na cidade e a posterior mudança para Paulista, na região metropolitana de Recife (PE), onde resido até hoje. Desde o Uruguai, passando por São Paulo até chegar ao Recife.
Conversando com pessoas, com meus amigos, sempre surge curiosidade e a indagação deles, como foi que eu vim parar em Pernambuco, no Brasil?
Então tive a ideia de transcrever em livro toda esta trajetória; uma viagem como qualquer outra, uma história, a história da minha viagem, partindo de Montevidéu – Uruguai para o Brasil rumo a São Paulo além da fronteira.
O público alvo é o imigrante, que pode identificar-se com a história, a família, os colegas escritores da Academia de Letras, UBE (União Brasileira de Escritores), Sociedade dos Poetas Vivos de Olinda e por último ou em primeiro lugar, o leitor, aquele que já conhece outras publicações, meus livros de poesias.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Tenho três livros publicados e a participação em seis antologias uma delas internacional.
O projeto já está em desenvolvimento, estou com o quarto livro pronto para ser publicado, participo de eventos, recitais, mesas redondas, entre eles o 1º Encontro das Academias de Letras das Microrregiões de PE, Fórum de escritores do Recife e FLIPORTO.
Escrevo colunas em três sites de Literatura, publiquei artigos em duas revistas da área, tenho poemas publicados na Revista de Lusofonia Divulga Escritor, intensa divulgação em redes sociais e blogs e concedi várias entrevistas, como ao Diário de PE, impresso e vídeo , TV Jornal, e Divulga Escritor.
Faço parte das seguintes instituições: Academia de Letras e Artes da Cidade de Paulista, PE, Brasil, União Brasileira de Escritores, PE, Sociedade dos Poetas Vivos de Olinda, PE, Movimento Artístico e Literário de Olinda e Pêgasus Internacional.
O próximo passo é a continuidade do trabalho, entre eles continuar com o trabalho de pesquisa para os artigos e a divulgação dos escritores pernambucanos.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Deveria haver incentivo à leitura desde a infância, a começar pelo lar e em toda a etapa da formação profissional.
Baratear custos para o escritor, portanto como consequência cairia o preço final.
Valorização do escritor iniciante, como pode vir a ser um bom, se não tem um começo.
Criar mais espaços nas livrarias, onde possa ter lugar para lançamentos e sobretudo para vender o seu produto, o livro.
Muitos são obrigados a fazer uma tiragem acima de duzentos livros, com orçamento elevado e por vezes muitos ficam encalhados.
Por fim levar o livro aonde não chega, aos lugares humildes, praças e passeios públicos, não esquecendo a ampliação do número de bibliotecas e a conservação das que já existem, que deixam muito a desejar.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Fiquei sabendo através de amigos, que me indicaram, depois com a posterior pesquisa, então entrei em contato com a equipe que me ajudou na publicação do meu livro.
Por isso devo agradecer a toda a Equipe e a João Scortecci, que tive oportunidade de conhecê-los na 22ª Bienal do Livro de São Paulo, quando da ocasião do lançamento.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Como disse anteriormente pode interessar ao imigrante que já passou pelo que eu já passei, ou aquele que pretende imigrar.
Quem sabe despertar a curiosidade de como o autor pensa ou vive, o poder de adaptação e como aprendeu a gostar de outro solo.
Ao leitor minha saudação.
A quem está lendo esta entrevista, tenha certeza que as respostas foram dadas de forma sincera.
A Equipe, o meu agradecimento, nos vemos pelas estradas das Letras.
Recebam todos o meu abraço carinhoso. Saudações Literárias!

Obrigado pela sua participação.

2 comentários:

  1. Ok meu querido amigo Eduardo Garcia, admiro seu talento e estamos juntos nessa caminhada em busca de reconhecimentos pelos nossos trabalhos escritos, onde narramos fatos pessoais e contos históricos criados em nossas imaginações e que divulgamos entre amigos, onde gostaríamos de expandir nossas obras literárias pelo país e quiça pelo mundo. parabéns amigo e sucessos e um forte abraço do amigo Newber Macieira, escritor e poeta.
    31/10/2014 as15:13horas local.

    ResponderExcluir
  2. Confrade, sabes que é um grande Escritor e apaixonado no que faz, pois você é merecedor de todos os frutos que seu trabalho esta lhe oferecendo, partilho sempre de sua alegria. Parabéns e receba minhas saudações fraternas.

    ResponderExcluir