sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Entrevista com Leonel Ferreira da Silva - Autor de: O NÃO EU E OUTRAS POESIAS

Leonel Ferreira da Silva
Nascido em 9 de outubro de 1927, o autor é médico psiquiatra, e começou a se interessar pela poesia depois de ter lido Augusto dos Anjos. Como é facilmente perceptível, o título deste livro está fortemente calcado no título da obra de Augusto, e a poesia que mais se identifica com a obra de Augusto é aquela intitulada de “Panegírico ao Indigente”, produzida nos tempos da faculdade de Medicina, em função das aulas de Anatomia. É uma homenagem aos indigentes, que antes de serem sepultados são enviados às faculdades de Medicina para serem dissecados. Além destas poesias, o autor dedica-se também a fazer paródias de músicas conhecidas, as quais deverão ser publicadas em um próximo livro. Espero que gostem destas poesias. Para os que quiserem dar opinião sobre elas, meu endereço eletrônico é: artedevivercomdeus@hotmail.com
Facebook: Leonel Ferreira 
Skype: leonelfdasilva
As músicas encontram-se no Youtube: Leonel Ferreira da Silva

O livro está dividido em duas partes: a primeira são poesias mais de cunho espiritual, por isso denominei de "Não Eu". A segunda parte contem poesias que versam sobre assuntos variados, e denominei de "Outras Poesias".

Para obter mudança
Companheiro, toma cuidado,
Com o mundo que em volta crias, 
É neste mundo assim criado,
Que vais viver os teus dias. 
Se desejas alguma mudança
Em teu mundo, em teu parceiro,
Por que não mudas  teus modos, 
Por que não mudas primeiro?

Olá Leonel. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Trata-se de um livro de poesias, que foram escritas ao longo dos anos, e quando já existia um número razoável, tomei a decisão de publicá-las.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
É o primeiro livro, mas tenho a intenção de escrever outros, mais voltados para a auto-ajuda.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acho que devemos escrever pelo prazer de fazê-lo, sem preocupação com a quantidade de leitores. O maior problema é relacionado com a divulgação, pois estou com os livros estocados em casa, e não sei como fazer a divulgação.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de pesquisa no Google.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Merece, pois minhas poesias têm sempre um cunho educativo.

Obrigado pela sua participação.

Um comentário: