sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Entrevista com Rogério Garbin - Autor de: ENXUGUE SUAS LÁGRIMAS E SIGA EM FRENTE

Rogério Garbin
Casado há 15 anos, pai de dois filhos, bacharel em teologia pela Faculdade Metodista de São Paulo, graduado em gestão financeira pela Facinter de Curitiba, professor de Teoogi sistemática e Teologia Pastoral no CEFORTE - Centro de Formação Teológica da Igreja Metodista Wesleyana em Porto Velho-RO.
Atualmente funcionário público e pastor da Igreja Metodista Wesleyana do bairro Areal em Porto Velho





Ser feliz é uma questão de decisão, pois as circunstâncias nem sempre serão favoráveis. Se dependermos das circunstâncias, corremos o risco de sofrer mais do que deveríamos. Enxugue suas Lágrimas e siga em Frente poderia ajudar você a olhar a vida sob uma ótica em que Deus conduz nosso destino.


Não permita que seu dia defina sua felicidade, mas deixe Deus, através da revelação da sua Palavra, mostre um caminho para a felicidade que independe de qualquer situação vivida, pois ser feliz é uma decisão que começa quando a gente enxuga as lágrimas e segue em frente.
Leia Mais ►

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Entrevista com Arides Leite Santos - Autor de: IPUPIARA E IBIPETUM

É natural de Ipupiara, Bahia. Bacharel em Ciências Contábeis e em Direito. Fez MPA (Master Public Administration) em Controle Externo pela FGV/RJ. Tem Especialização em Direito Público e Controle Externo pela UnB e Especialização em Direito Constitucional pela Universidade Gama Filho. É coautor da obra Estado Democrático, Direito Público e Controle Externo - Organizador: José Geraldo de Sousa Júnior. É autor dos livros: História dos Batistas em Ipupiara e Tomada de Contas Especial: o exercício do contraditório perante o Tribunal de Contas da União. É Auditor de Controle Externo do Tribunal de Contas da União.


Trata-se das comunidades de Ipupiara e Ibipetum: suas origens ao final do séc. XIX e seu desenvolvimento ao longo do séc. XX, abordando os fatos relevantes até a sua realidade contemporânea (2015). Descreve a luta comum de seus líderes para desmembrar os dois distritos do município de Brotas de Macaúbas e criar o município de Ipupiara, no que foram vitoriosos (1958). Descreve o antagonismo político entre eles, algo marcante em suas histórias; os embates eleitorais travados entre si, cobrindo a primeira eleição em 1958 até a última em 2012. Aborda a importância que teve para a economia local o cultivo do fumo e o seu extraordinário comércio entre pequenos produtores e empreendedores locais, que o exportava para outros Estados. O ciclo da produção e exportação do fumo produzido na região teve início na década de 1920, atingiu o seu auge na década de 1960, fez a fortuna de algumas famílias, que acumularam um capital invejável, e se exauriu ao final da década de 1980. Trata das dificuldades que o município enfrentou no início de sua existência para construir escola e contratar professores ante a necessidade dos munícipes da época. Fala dos educadores que se empenharam para mudar essa situação. Enfim, este livro conta a história de homens e mulheres de valor estabelecidos em duas comunidades rivais na política, sim, mas que compartilham dos mesmos hábitos, costumes e valores. História de lutas travadas no ambiente da Chapada Diamantina, Bahia, Brasil.
Leia Mais ►

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Entrevista com Leo Sousa - Autora de: O VOO DA LIBERDADE


Leo Sousa

Pseudônimo de Leonilda de Oliveira Sousa. Nascida em São Paulo, teve uma infância e muitas brincadeiras, sendo a caçula da família sempre foi criada com muito mimo. Atualmente formadora de professores é mãe de três filhos, proprietária a dezoito anos de uma Escola particular e acredita que podemos fazer a diferença, fazer sempre melhor.





A história de uma família e pássaros que por ordem do destino o papai pássaro é preso em uma gaiola e assim mamãe passarinha passa a perceber o quanto sua família é importante, passa a trabalhar menos para aproveitar mais os momentos com sua família.Conta a importância da amizade, da liberdade e principalmente da família.
Leia Mais ►

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Entrevista com Morgana Lima - Autora de: NA CASA DE VOVÔ, TUDO POSSO e FLOR DE LÓTUS

Nome literário de Andreia Cristina da Silva. Professora da PMSP, POSL, contadora de história amadora, contudo, ama ler e escrever.








Dois continentes e alguns países invisíveis aos olhos humanos... Uma guerra entre duas etnias: feiticeiros e bruxos. Os bruxos querem uma raça pura e são a favor dos ideais de Hitler e da Segunda Guerra Mundial. Será que conseguirão pôr em prática mais esta mazela no currículo da humanidade?! Vocês, bons leitores, não poderão deixar escapar aos seus olhos vorazes personagens cativantes, como Mago Dornellas, Ronaldo, Mariane e Merlin, uma vida de outras vidas, muito a cumprir e aprender. Este livro também traz histórias de amores eróticos e quentes, possíveis e impossíveis! Há como não se apaixonar por Mago Merlin? Não! Odiá-lo por causa de seus segredos? Também não! E sua luta contra Adolf Hitler? Ele conseguirá vencer o ditador? Ah, não posso responder... Você terá de ler este magnífico romance!

Morte não considera ninguém, leva para uma longa viagem brancos, negros e amarelos, sem dó, mas Morte apaixona-se por Chinu, o que acontecerá? Leia o livro e terá a resposta!

Você tem medo da Morte? Chinu não tem! Você tem de conhecer Matheus e Yago e apaixonar-se por eles, assim como eu! Você acha a Morte feia? Leia este livro para mudar o seu conceito!
Leia Mais ►

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Entrevista com Eliana Di Donato Carosini - Autora de: ERVA DANINHA

Nascida em São Paulo – Capital, onde mora até hoje, casada e mãe de três filhos, lança seu sexto livro “Erva Daninha”.
Culpa” foi seu primeiro romance, lançado em 2010.
Na sequência Marolinhas do Pensamento e “Árvore da Minha Vida”, dois livros de crônicas e pensamentos.
Depois, na linha de livros infantis, publicou: “Como a Vida Acontece” e “Doca”.
A autora costuma transferir para o papel todo sentimento que lhe brota na alma.
Agora, como não poderia deixar de ser, este livro também revela muitas de suas emoções.

O objetivo deste livro é alertar os jovens que se sentem perdidos diante de tantas adversidades da vida.
Tanto os momentos bons como os ruins, passam. Eles existem para nos ensinar a desamarrar o emaranhado que se faz muitas vezes no nosso viver.
não vale a pena fugir à realidade. É,com palavras da própria autora
“nada que interfere no modo de agir e pensar é digno de ser consumido”.
Todos os momentos são dignos de serem para ser vividos e enfrentados com raça e coragem, pois cada milésimo de segundo nos é dado para aprendizado. Assim, devemos tirar proveito desses momentos o máximo possível.
Devemos tirar proveito desses momentos o máximo possível.
Os momentos felizes significam que o que planejamos para nossas vidas deu certo.
Os momentos tristes servem para que fiquemos atentos para o aprendizado e o novo crescimento interior.
Leia Mais ►

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Entrevista com Leão Moysés Zagury - Autor de: NOVIDADE

Nasceu no Rio de Janeiro em 11 de fevereiro de 1954,de família amapaense.Estudou parte de sua infância em Macapá, tendo concluído o antigo ginásio,o segundo grau e a Faculdade de Letras(hoje chamada Anglo-Americano) na cidade do Rio de Janeiro.
No ano de 1991 lançou em Macapá o livro de poemas Ciranda Matinal, e posteriormente as obras: Cidade Sem Rosto (poemas),Ciranda Matinal(poesias,e outros textos)volumes 1 e 2 e Caderno Literário - volume 1 ( ensaios e cronicas).
Em seu histórico de atividades Leão possui: noites de autógrafos,reuniões no Clube dos Poetas,entrevistas na midia (rádio,televisão e jornais), palestras em faculdades e escolas.
Leão produziu trabalhos de suas atividades em vídeo com a produtora Rec Vídeo.
Em 1997,lançou o livro de poesias Ciranda Matinal 2 na Biblioteca Estadual Elcy Lacerda em Macapá.
Leão é membro da Associação Amapaense de Escritores(APES).
Participou de projetos literários e culturais, durante todo o tempo em que residiu em Macapá.

Esta obra apresenta poemas profundos,apesar de terem simplicidade aparente.
Quando produzi o livro tinha em mente a praticidade e o envolvimento do leitor com a leitura.A obra referida possui lirismo conduzindo o leitor(a) a um mundo repleto de imagens,através da sonoridade das palavras. O leitor se chocará com alguns deles e noutro momento, chorará ao perceber tanta sensibilidade nos mesmos.
A fim de ter esses momentos coloco aqui um desses poemas para deleite e apreciação.
Leia Mais ►

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Entrevista com Allan Fonseca Autor de: ENQUANTO DANÇAS

É paulistano e tem 29 anos. Formado em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo, cursou medicina por quatro anos na Unicamp. É autor também de “A paisagem vem de dentro”, publicado pela Editora Scortecci, em 2011.
Participou, como dançarino, dos espetáculos “Anatomia do Desejo” (2007) e “Kashmir Bouquet” (2007), de Ivaldo Bertazzo. Escreveu para o espetáculo “Volúpia” (2010) e compôs o roteiro de “Garimpo” (2012), ambos dirigidos pelo coreógrafo Rubens Oliveira e encenados pelo Núcleo Pélagos de Dança, do Projeto Arrastão. Teve ainda o texto “Estereótipos” inspirando coreografia homônima, de criação do Coletivo Las Caboclas e encenada por Renata Daibes, na II Mostra de Intérpretes Criadores – Solos, do Núcleo Pedro Costa (2015).
Desde 2008, mantém atualizado o blog “A paisagem vem de dentro” (allanbff.blogspot.com), que inspirou a concepção de sua primeira obra literária.

Fonseca escreveu o poema que intitula o livro em 2011, na doce inquietude da aurora urbana, observado por um bem-te-vi que, impaciente, bicava o vidro da janela do escritório, reclamando atenção.
“Enquanto danças”, segunda publicação do autor, é uma obra sobre o tempo – ou melhor, sobre um tempo. Um tempo que é de saudade, mas também presença; de rio, mas também vapor; de périplo, mas também pose; de perda, mas também esperança. De um corpo que, fiel à essência da dança que executa, expande-se no espaço até ele, corpo, ser o tempo presente e ilimitado em que tudo parece possível. O templo em que se ora pelas dádivas de agora.
Assim como em seu primeiro livro, o escritor alterna-se entre crônicas e poemas, prosa e verso. A opção visa a conferir à obra o ritmo e a cadência do tempo subjetivo de quem dança, o que faz, da leitura dos textos, uma experiência igualmente profunda no domínio sensorial.
Leia Mais ►

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Entrevista com Adônis de Perséfone - Autor de: A NOVA TEOGONIA - Livro 1

Adônis de Perséfone
Pseudônimo de Cézar de Almeida Grossi Corrêa da Silva. Nasceu em São Paulo, capital, e é franciscano honorário. Suas paixões, além dos estudos de Mitologia, incluem História, Geopolítica, Astronomia e videogames de estratégia.







A
Nova Teogonia - Livro 1

Imaginemos o que ocorreria se Zeus encontrasse Odin. Se Ísis e Hera se conhecessem e se odiassem. Se a tríade helênica divina (Zeus, Hades e Poseidon) entrasse em atrito. Se panteões tão distintos quanto o celta e o africano se confrontassem.
Tais acontecimentos são apenas alguns dentre tantos outros insólitos e inimagináveis que Adônis narra e descreve com tanta maestria nesta obra - apropriadamente batizada de "A Nova Teogonia". Hesíodo para as novas gerações.
Utilizando-se de um ritmo veloz e narrativa fragmentária, porém bem amarrada, Adônis compôs uma obra intrigante, que levará o leitor a adentrar os bastidores mais sórdidos e também nos mais sublimes das moradas e mentes divinas, demoníacas e titânicas.
A história, que tem início numa harmonia olimpiana já relativamente precária, se transforma rapidamente num jogo geopolítico divino, com direito a segredos, manipulações, traições e alianças dignas de uma Guerra Fria mitológica, que escala rapidamente a níveis absurdos de tensão, suspense, amor e ódio.
Será um prenúncio bélico? Ou apenas explosões de sentimentos passageiros horríveis, em nível supra-humano? Agirão os deuses como os humanos o fariam? Leia se tiver coragem.
Leia Mais ►

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Entrevista com Jane Gatti - Autora de: O OLHAR DA MADONA

Jane Gatti
É natural de Mogi das Cruzes - SP. Dedicou sua vida ao magistério, como professora de Língua Portuguesa e Produção de Textos. Graduada em Letras pela Universidade de Mogi das Cruzes e Mestre em Linguística Geral  pela Universidade de São Paulo, encerrou sua carreira no magistério como Coordenadora dos Cursos de Letras e Pedagogia da Unisuz, Faculdade de Suzano. Durante toda sua vida escreveu peças teatrais, textos poéticos, contos,  sem a preocupação de publicá-los. O Olhar da Madona é seu primeiro livro de contos. Atualmente, publica seus poemas e crônicas em seu blog http://viveremprosaeverso.blogspot.com.

Traz dezesseis contos de temática variada. O fio condutor é a vida, o cotidiano de pessoas comuns. Mas esse cotidiano se caracteriza por uma busca de autoconhecimento, de raízes, de acertos de contas. No entrelaçar das vidas descritas surge ainda  o mistério, o inexplicável, que surpreende, revela, indica novos rumos, novas decisões... Como na vida real, o acaso redireciona ações e provoca  reações. Essa coletânea, de leitura nem sempre linear, mostra ao leitor a busca do ser humano em encontrar e mostrar a sua verdadeira face, muitas vezes encoberta pelas máscaras que a vida impõe.
Leia Mais ►

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Entrevista com José Vicente Jardim de Camargo - Autor de: AOS 70

José Vicente Jardim de Camargo
Natural de São Paulo/SP, 70 anos, engenheiro químico com doutoramento na Alemanha onde viveu por 9 anos, aposentado desde 2010, casado, 01 filha.









Nos seus contos, crônicas e poesias, o autor revela a essência de seu pensamento, a beleza de seus sentimentos com leveza, bom humor e muitas vezes com ternura. Histórias de vida em família, sobre relacionamentos, sobre o amor onde apresenta soluções inusitadas e divertidas para as surpresas que surgem na simplicidade de situações do dia a dia. Ao longo dos textos retrata também, com detalhes, aspectos da paisagem histórica, geográfica e cultural de diversos lugares. O resgate das memórias do passado dá força ao presente tecendo reflexões e críticas sobre as transformações da sociedade com criatividade e a "liberdade de dar idéias à imaginação".
Leia Mais ►