segunda-feira, 21 de março de 2016

Entrevista com Marlene Serra - Autora de: BRUMAS

Marlene Serra
Nasceu na cidade do Rio de Janeiro. É formada em Letras – Português/Literaturas Brasileira e Portuguesa. Trabalhou e fez Mestrado na UERJ. Está aposentada como Professora-Assistente. Dedica-se à Literatura Brasileira. Tem em preparação o texto infantil Jéssica e o romance Apenas um tiro. Vive em Copacabana, Rio de Janeiro (RJ).



Famílias de diferentes lugares e classes sociais entrelaçam-se e vivem as temáticas: amor, traição, perdão e o drama da dependência química. Os personagens seguem os próprios destinos.

Depois de longo tempo dedicado à poesia, Marlene Serra decidiu experimentar o gênero narrativo. O título escolhido para o livro – BRUMAS – pode até sugerir a esperança de uma caminhada mais intensa e alcançar outros horizontes temáticos. Estamos, portanto, diante de uma bela obra, até mesmo de natureza didática, com uma linguagem simples, pondo em relevo os fatores sensoriais, como se observam na descrição de alguns personagens e na constante presença da arte culinária. Vale ressaltar, ainda, a preocupação que teve a Autora com estabelecer, entre as famílias, mesmo de posição social diferenciada, ou pertencentes ao mesmo nível, uma interação de natureza tradicional, com tratamento respeitoso. A modernidade, neste aspecto, ainda não encontra relevância, por outro lado, há um toque do contemporâneo no assunto da dependência química.
Prof. Amaury de Sá e Albuquerque


Olá Marlene. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O meu livro trata de conflitos familiares, resgate de valores esquecidos nos dias de hoje e o problema sério da dependência química.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Quando escrevo, as ideias surgem naturalmente. Os personagens criam vidas, parecem verdadeiros.
A obra se destina ao público em geral, incluindo, principalmente, os jovens.
Sou professora pública, trabalhei e fiz Mestrado na UERJ. Formada em Letras-Português e Literatura Brasileira e Portuguesa. Estou aposentada como Professora-Assistente. Para mim, o mundo das letras é fascinante, numa fusão do real e do irreal. Meus projetos se baseiam em escrever sempre, seguir mesmo a carreira de escritora. Estar em contato com os escritores desta editora para uma positiva troca de ideias. Contato com o público leitor também.
Este é o primeiro livro publicado, sendo mesmo um sonho realizado nesta nova fase de minha vida.
Ao longo dos anos, participei de concursos literários, com o livro infantil "A Floresta Amarela" - texto selecionado, Concurso Fernando Chinaglia - Editora Souza Marques, Rio de Janeiro; Teatro Infantil de Bonecos - primeiro lugar no Mobral, título: "Carnaval no Formigueiro"; O conto "Fantasmas da Inconfidência" - 3º lugar, Concurso do Sindicato dos Professores do Rio de Janeiro. Poesias nos boletins mensais da UERJ.
Trabalhos de Literatura de Cordel com o pseudônimo "Mauro Maranhão". Foram vários, como: "Viva Mandela", "Chico Mendes não Morreu", "O Gigante do Mensalão", "Subida da Rampa". Livro de poemas "Momentos", Editora Oficina de Livros do SENAI - Tijuca, Rio de Janeiro, com elogios da Poetisa Alayde Margarida (Membro da Academia Feminina de Letras, Juiz de Fora, Minas Gerais, 1997).

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A vida de escritor em um Brasil de poucos leitores é realmente difícil. É um caminho que deve ser percorrido pelo escritor com a intenção de mostrar alguma luz, passar alguma mensagem positiva, de cultura ou vivências várias para o leitor.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Fiquei sabendo da Scortecci Editora através da Editora Usina de Letras, no Rio de Janeiro, onde foi feito o livro "O Círculo do Olhar", de Eduardo Serra, meu irmão, professor e escritor.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro merece ser lido, sim. Porque apresenta mensagens positivas para o leitor, como a importância da união entre os familiares, noções de solidariedade e principalmente, a realidade da dependência química e suas consequências.

Obrigado pela sua participação.

2 comentários:

  1. Marlene, parabéns pelo livro. Trata-se de mais um excelente e imperdível convite à reflexão sobre questões importantes que perpassam no cotidiano das pessoas. Sou seu admirador e testemunha desde sempre da sua sensibilidade e pureza no trato dos percalços colocados pela vida. Beijo. Dr Carlos Serra

    ResponderExcluir