segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Entrevista com Flavia Alice Zogbi - Autora de: CAMINHOS DE PEDRA, TERRA E AREIA: CAMINHOS DE UMA VIDA

Flavia Alice Zogbi
(1963) nasceu em São Paulo, capital. Sobrinha neta de Assad Bittar, filósofo e poeta, fez duas faculdades, Psicologia e Letras, e é também especialista em espanhol. Nos anos noventa escreveu seu primeiro livro, “Vindas Vida Idas”, de autoajuda, filosófico e espiritual. Foi uma produção pequena que teve muito sucesso na época. Em 2008 sofreu uma grave doença que a deixou em cadeira de rodas. Agora volta a escrever “Caminhos de pedra, terra e areia”. Caminhos de uma vida” onde conta a história de dois jovens, suas aventuras e reflexões que culminam em uma transformação espiritual em um deles. Esta história possui pinceladas da vida pessoal da autora que ela trata com carinho e sutileza.

Está é uma história de transformações e realizações. Quantos caminhos nós cruzamos na nossa vida que nos fazem crescer como indivíduos? 
Há situações na nossa vida em que não nos acontece por acaso, com o passar do tempo, começam a fazer sentido para nós. Como um quebra-cabeça, as peças do jogo da vida vão encaixando-se em perfeito equilíbrio e uma forma vai delineando-se, até que, no final, tudo se vê claramente. 
Este livro conta sobre dois rapazes que passam por mudanças pessoais e espirituais. Dois jovens que mudaram seus percursos de vida. Lipe ganha um livro do tio e começa a refletir sobre do que se trata. Pedro, personagem da história do livro, também passa por incríveis situações. Um deles passará por uma grande mudança pessoal e espiritual. Qual deles será? Lipe ou Pedro?

Olá Flavia Alice. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Eu sou professora de espanhol e português. Alguns anos atrás, eu tive um problema de saúde, artrite reumatoide, que me complicou a vida acadêmica, mas não me possibilitou a atividade de escrever pelo computador. Assim fechei uma porta e abri uma janela. Resolvi escrever um livro com uma linguagem na qual seria fácil as pessoas lerem. Uma leitura que fosse dinâmica e motivadora. Aventura e romance bem como reflexão são os temas que abordo.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Este é meu segundo livro. Escrevi na década de 90 "Vindas Vida Idas" que me baseei um pouco numa vivencia esotérica que fazia parte de minha vida na época. Um livro que ajudasse as pessoas a refletir sobre suas vidas. Como também sou psicóloga além de formada em Letras, a experiência deu certo.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acho que esta ideia, de pouco valor, está mudando, as escolas estão promovendo o incentivo a leitura.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Tenho uma amiga querida que me indicou e achei o grupo muito profissional. Fizeram um bom trabalho para mim.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro tem como objetivo ser uma leitura tranquila para qualquer idade. Transmite varias experiências para o publico pensar a respeito.


Obrigado pela sua participação.

Fotos do lançamento na Livraria da Vila


 


Leia Mais ►

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Entrevista com Carmem Teresa Elias - Autora de:PERDIDOS ATÁVICOS

Escritora dedicada a Poesia, Contos, Crônicas, Ensaios Literários, com obras publicadas no Brasil e no exterior, tanto na área acadêmica quanto literária, incluindo revistas literárias, anais de congressos, periódico e mais de 50 coletâneas e antologias, Carmem Teresa Elias é Mestre em Letras pela Universidade Federal Fluminense, especialista em Literatura e Língua Inglesa pela UERJ, pesquisadora e palestrante em Gêneros Textuais e Literatura Comparada. Trabalhou no Colégio Pedro II no Rio de Janeiro e em universidades. Membro efetivo da União Brasileira de Escritores, da REBRA. Ativista cultural.


Livro de contos que levanta uma reflexão crítica sobre conflitos individuais, familiares e sociais na esfera da violência, do preconceito, da incomunicabilidade e da perda de valores humanos e éticos. Com textos premiados internacionalmente,
em cada página, navegamos pelos sentimentos mais íntimos do homem, muitas das vezes trazidos como heranças hereditárias, como dor, perdas, traumas, desilusões, superações, amor ao próximo (ou falta dele)... Mas também de esperança e aprendizagem oriundas de feridas que marcam o inconsciente e que, quando libertas, permitem ao ser a compreensão da existência.“A esperança é um desejo atávico e imemorial que acompanha os homens desde sempre”.

Olá Carmem Teresa. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Livro de contos para um público adulto. Neles são tratadas as relações humanas em suas fragilidades e brutalidades, laços afetivos entre o amor e o ódio, entre o comovente e o absurdo da existência. Entre Lágrima e Sorriso, expõem-se dor, empatia, desespero, superação. As historias partem de casos reais observados. Independente do epílogo de cada situação, no tênue confronto das personagens com o âmago de seus sentimentos vazios, indiferentes ou exacerbados, os textos evidenciam um alerta. Um alerta contra todo tipo de julgamento, violência, preconceito, juízo de valor, distúrbio mental, seja no escopo social, familiar, pessoal, político, íntimo.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou Mestre em Letras. Este é o meu sexto livro publicado, do qual fazem parte dois contos premiados. Minhas obras incluem livros e publicações de poesias, ensaios literários, crônicas, palestras de conteúdo literário e social, além de Artes, pois sou também artista plástica.
Um romance, já em fase de finalização, é o meu próximo projeto.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
O escritor é um sonhador realista, que insiste em acreditar em seu ofício apesar de enfrentar os mais variados obstáculos. Em sua busca e missão, ele produz sentidos e novos contornos a elementos ínfimos, grandiosos ou impalpáveis da realidade. O que ele entrega ao leitor é um círculo fechado de possibilidades abertas, 'um mundo dentro do mundo' para que se possa refletir, romper limitações, e superar dramas e conjurar a existência.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por meio de livros produzidos pela editora e por recomendação de amigos escritores.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
PERDIDOS ATÁVICOS merece ser lido por aqueles que estão à procura da literatura que mergulha com delicadeza e força na realidade impiedosa e no inconsciente humano para trazer à tona elementos inerentes que não deveriam jamais ser perdidos: dignidade, respeito, amor...
Somos todos, simultaneamente, personagens, leitores, cidadãos e o livro é um exercício desta conscientização: a herança atávica da literatura.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Entrevista com Flávio Farah - Autor de: ÉTICA NA GESTÃO DE PESSOAS

É Mestre em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, Professor Universitário e especialista em Ética e Ética Empresarial.
Embora seu contato acadêmico com esses assuntos tenha ocorrido no curso de Mestrado, ele começou a estudar Ética bem antes, quando se debruçou sobre a questão do autoritarismo, característica que ainda permeia a sociedade brasileira e que está na raiz de muitas condutas antiéticas.


A Ética Empresarial assume importância cada  vez maior no Brasil.
Muitos livros, artigos e discussões sobre o assunto, porém, tratam apenas de dois tipos de conduta: as atividades da empresa que afetam o público externo – consumidores, fornecedores, governo e comunidade – e os  atos dos funcionários que atingem a empresa.
Há, porém, um terceiro tipo de relacionamento que, embora igualmente importante, parece merecer bem menos atenção dos estudiosos.
É a conduta da empresa em relação a seus empregados. Este livro busca preencher essa lacuna, discutindo regras de conduta para empresas que queiram tratar seus empregados eticamente.
Este livro trata da Ética na Gestão de Pessoas de um modo prático porém fundamentado na teoria.

Olá Flávio. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A obra trata das regras morais que uma empresa deveria seguir ao tratar com seus funcionários.
O livro surgiu como ampliação de minha dissertação de Mestrado.
A obra se destina principalmente a profissionais de RH (Recursos Humanos).

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Além de Ética na Gestão de Pessoas, sou autor de um capítulo do livro Ética na vida das empresas (DVS Editora) e de um capítulo do livro Gestão de pessoas: reflexões, ferramentas e procedimentos (Ed. Ixtlan).

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Ser escritor no Brasil é difícil; mais difícil ainda é ser autor de obras não ficcionais; e a pior situação de todas é ser autor de um livro sobre um assunto técnico especializado, como é o meu caso. Por aqui, somente alguns poucos autores de ficção se dão bem.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu já tinha contatado a Scortecci na época da 1ª edição do meu livro.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro merece ser lido porque oferece conhecimento sólido, de qualidade, a seu público-alvo. A obra vale cada centavo de seu preço.

Obrigado pela sua participação.


Leia Mais ►

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Entrevista com Geraldo Rosa - Autor de: VERSOS TRISTES, MUITA POESIA E UM SORRISO!

Paulista de Aparecida, passou a infância em contato constante com as Artes. Mudou-se para São Paulo em 1986, porém, somente em 1994 iniciou suas atividades artísticas ao ingressar no Coral da Faculdade Ibero-Americana, como Barítono. Começou a escrever por volta de 1997, mas foi após participar de um concurso de poesias e chegar ao 3º lugar que passou a sonhar com a publicação de seus textos, sonho concretizado na Antologia "Cumplicidade de Movimentos", editada e publicada pela Scortecci Editora em 2014.



Esta obra traz um pouco das centenas de poesias escritas pelo autor em momentos e em situações das mais diversas vividas por ele e escritas entre os anos de 1997 e 2016. A criação do título do livro acabou por nortear o autor a organizar as poesias de forma a levar o leitor pela linha de pensamento do título, qual seja, de que o início mais denso e melancólico [quase depressivo] conduza-o a um momento de reflexão sobre as mazelas humanas que, na verdade, permeia quase toda sua obra, mas que neste ponto é mais acentuado. De que do meio do livro em diante o leitor pode respirar novos ares com poesias mais leves, dedicadas a grandes mulheres, à Natureza e às coisas belas do mundo. E que ao final não há uma conclusão, no entanto, a esperança e a gratidão impregnadas nas poesias finais trazem ao leitor uma sensação de que se chegou a conhecer um pouco da alma do autor.

Olá Geraldo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Este é o meu primeiro livro autoral com alguns poemas já publicados em coletâneas anteriores com outros autores, mas na sua maioria são poemas inéditos. Foram escritos num período longo e bem conturbado de minha vida, muitos por impulso, inspiração, revolta, indignação, melancolia, júbilo, enfim, por motivações das mais diversas. Os temas, tamanhos e estrutura dos poemas também mostram bem essa mescla de emoções. Por todas estas características meus poemas não visam um público específico. E gosto que seja assim! Quero que meus textos cheguem tanto aos jovens quanto às mulheres e aos homens com mais "experiências de vida". Estes textos estavam todos soltos em meus arquivos, sem uma razão ou ordem preestabelecida, porém, ao inscrever um desses poemas num concurso de poesias e alcançar o 3º lugar, achei interessante organizá-los e publicá-los. Este livro é um apanhado dentre os cerca de 300 poemas já escritos por mim e revela um pouco desse Poeta que hoje sou!!!

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sempre gostei muito de ler, e ler de tudo... até bulas e manuais (risos). Na infância li toda a enciclopédia Conhecer (e por várias vezes), mas literatura era mais raro porque os livros eram caros. Eu, meu Pai e cinco irmãos tínhamos uma vida simples e com muitas dificuldades, principalmente após o falecimento de minha mãe aos 52 anos, quando eu tinha 4 anos. Na adolescência comecei a ter contato com alguns clássicos da Literatura: de Agatha Christie até a Coleção Vaga-Lume da Editora Ática, passando por Monteiro Lobato. No entanto, antes de chegar ao ensino médio, aos 17 anos, comecei a carreira militar e, desde então até a graduação, me dediquei ao estudo técnico que me ajudou em muitos trabalhos por o nde passei e na carreira profissional após a Graduação em Processamento de Dados porém, nunca deixei de desejar estudar Artes, Humanidades e voltar a ler mais Literatura, principalmente ao entrar para o Coral da Faculdade Ibero-Americana (durante minha graduação). Cheguei a estudar dança flamenca, violoncelo, piano, flauta doce, canto lírico, musicalização, mas não terminei nenhum desses estudos. Apesar de toda formação técnica, sempre fui muito bom em letras, Língua Portuguesa e Inglesa, e sempre com excelentes notas em redação. Comecei a escrever por volta de 1997, mas eram apenas desabafos sem nexo, sem regras gramaticais e maiores cuidados estéticos. Devo confessar que o meu interesse pela poesia começou mesmo quando conheci Drummond e pegou fogo quando li Florbela Espanca. Daí só parei de escrever por alguns pedaços de tempo (de meses ou anos) dentro de longos períodos de muita poesia. Nos últimos meses, vivendo nas montanhas de Cunha, estado de São Paulo, tenho escrito muit o e pensado em escrever livros infantis de poesia e de contos. Ainda sou uma criança e por isso me identifico muito com os pequeninos. Já fui professor do Estado, entre 2003 e 2008, e até coral infantil eu criei para a criançada se divertir e, é claro, para aumentar a sua bagagem cultural. Sobre ter sonhos, certamente, "Versos tristes, muita poesia e um sorriso!", que também é meu 'primeiro filho', concretiza um dentre meus mil sonhos e é o primeiro de muitos outros livros que pretendo construir com palavras e sentimentos. E também estou estudando para isto. A cada dia pesquiso mais sobre Literatura em geral, História da Arte e sobre a nossa Língua Portuguesa. Como sou muito crítico com tudo, até comigo mesmo, penso em talvez enveredar-me também pelas crônicas... quem sabe?

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Bem... pelo pouco tempo de convívio com o mundo literário brasileiro até penso estar melhor do que eu pensava que fosse. É que o público que tem mais contato com livros são os de cidades grandes onde a sociedade tem maior facilidade de acesso à Cultura como um todo: cinema, teatro, exposições de artes, museus, bibliotecas, etc, e muitas vezes de graça. Como sou nascido no interior e voltei a morar no interior, após 17 anos vivendo em São Paulo, sei bem como é esta realidade por aqui já que fui Professor de Escolas Públicas e voltei a estudar para minhas duas pós-graduações quando pude pesquisar também sobre o assunto. No interior, o acesso aos livros fora das escolas públicas quase não existe, com raras exceções de alunos que se interessam pela leitura desde sempre. Acredito que o mercado de livros no Brasil poderia ser muito melhor se os artistas se unissem em grupos voltados para o fomento da Cultura Regional de suas comunidades com o o grupo do qual faço parte. Chamado Coletivo Cultural de Cunha, o grupo vem promovendo saraus e mostras de artes para a população e turistas da cidade de Cunha, estado de São Paulo, contando apenas com o apoio cultural de parceiros e amantes das artes e também de estudantes engajados em promover movimentos culturais. O ideal seria que artistas, população e turistas se unissem ao poder público e pudessem contar com o apoio de políticas públicas bem implementadas e duradouras, e que abarcassem várias gerações de leitores numa sociedade de tão pouca educação e com tão pouco acesso à Literatura.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Numa pesquisa pela Internet encontrei diversas editoras especializadas em pequenas tiragens e fui entrando e pesquisando, uma a uma, até que me identifiquei com a Scortecci, que respondeu pronta mente aos meus e-mails e assim começou esta parceria.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Certamente, meu livro merece ser lido! Não só pelo fato de ser um livro e que todo livro merece ser lido, mas pelo fato de que há muito de mim impregnado nas páginas desse livro... então, somente lendo todo o livro para que se possa conhecer um pouquinho mais de mim!!! E se você prestar bastante atenção a sua volta verá que mensagens estão sempre aí, aqui, ali, algures... esperando para serem decodificadas, descriptografadas, traduzidas para nossa compreensão, conhecimento e crescimento próprios... basta você querer buscar tudo isso que encontrará. Em "Versos tristes, muita poesia e um sorriso!"... certamente!

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Entrevista com Mauro Bonfim - Autor de: SENSAÇÕES - POEMAS E POESIAS

Mauro Bonfim
40 Anos. Paulista. Formado em Técnico em Arte Dramática pelo Senac - SP. 
Ator, Poeta, Facilitador, Professor e Diretor.








Sensações - Poemas e Poesias
Um livro que contém experiências, inspirações e intuições do autor.Através de Poemas e Poesias.

Sensações, é realmente isso que o livro transmite, diversas sensações de diversas formas, às vezes calma, às vezes uma inquietude, bondade, felicidade... Desbrave esse misto de sensações, com poesias que emocionam com seu formato sempre diferente, inovando na escrita e renovando nas emoções.

Rafael de Lima


Olá Mauro. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Meu livro é de Poemas e Poesias. Na verdade, eu somente escrevia algumas coisas aqui e outras acolá, inspirações, intuições e cotidiano. Mostrei pra uma amiga meus escritos e ela que me incentivou muito e então decidi escrever este livro. Foram pouco mais de 1 ano pra concretização deste feito, rs. O público destinado é o que aprecia poesias e sobre tudo a arte.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Minha história na arte começa em 2006 com teatro. Comecei para perder a timidez mas foi tão bom esse contato que me apaixonei. Fui fazendo oficinas, depois fui pra um curso mais profissionalizante e nesse curso em meados de 2012 é que comecei a escrever pois lá se adaptava muitos textos para exercícios teatrais. Foi onde comecei a gostar de escrever. Logo em seguida por volta do final de 2013 tranquei esse curso pois fui fazer Senac e é onde sou formado atualmente em Técnico em Arte Dramática. Lá também se escrevia um pouco e se estudava muito sobre os grandes dramaturgos. Creio que esse projeto seja o primeiro de muitos outros que virão. Além de poesias gosto de escrever crônicas do cotidiano e esquetes de teatro e quero fazer um curso de dramaturgia e de roteiro pra escrever peças de teatro e quem sabe uma série.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Bom, sei que a vida de um escritor no Brasil não é fácil, como você mesmo disse na pergunta há de certa forma poucos leitores e acima de tudo não é valorizada. Porém eu acredito que cabe a nós com nossos escritos, com nossa arte levar aos poucos, as pessoas, começando pelos amigos, família, pessoas mais próximas e a partir daí passo a passo levar o hábito de leitura e sobretudo a arte a todos.
Eu acredito nisso...

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por que eu conheço duas pessoas que lançaram livro pela Scortecci. Um de poesias, que foi meu primeiro professor de teatro onde citei no início da entrevista em 2006 na oficina que fiz durante quase 4 anos.E uma amiga do meu irmão que também lançou um livro com vocês. Apreciei o trabalho e estamos aqui...

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Com certeza. Primeiro por que fiz com todo carinho do universo. Depositei todo meu carinho e energias boas nesse projeto. Nele contém inspirações, intuições e fatos do cotidiano que presenciei. A mensagem que deixo é que não se arrependerão dessas sensações... Obrigado desde já pelo carinho e apoio de todos. Principalmente de vocês da Scortecci.

Obrigado pela sua participação.

Leia Mais ►

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Entrevista com Ignez Ribeiro - Autora de: A PONTE

Professora e Secretária, mãe de família, participante ativa da Universidade Aberta Maturidade da PUC SP, colaboradora do Jornal Maturidades.








Poemas, crônicas e memórias de uma vida bem vivida. "Seguiram-se momentos de muitas conquistas, mas também, outros de difíceis travessias, que se mostraram um caminhar doloroso para mim, meus familiares e amigos. Cada um dos instantes que tive a oportunidade de estar com a minha “Ponte” e atravessava-a, propiciava-me oportunidade de profundas reflexões sobre a vida e a morte; que, no entanto, não deixam de ser, por si só, longas jornadas e necessárias travessias. Há muito que buscar e vencer! Sempre que possível, atravesso-a e continuo a atravessá-la, mesmo a distância, mental e introspectivamente. Sendo pequenina, o significado dela é enorme e profundo, mas sempre intangível para quem não sente na alma a poesia de uma Ponte.”

Olá Sra. Ignez. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Em síntese, memória, mas a qual interage em estilos diferentes de escrita – histórica, crônicas, poemas, paródia...  Há algum tempo, como resultado de um curso de informática e destinava-se, a principio,  ao grupo familiar e amigos próximos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Escrever sempre fez parte dos meus momentos. Nos últimos anos, participei da equipe do Jornal Maturidades da UAM-PUC-SP (Univ. Aberta à Maturidade), com reportagens, entrevistas e crônicas. Tive filhos, plantei árvores, que não foram únicos, o livro, provavelmente,  será.  Mas posso mudar de ideia... O tempo dirá!

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Concordo que a leitura é pouco valorizada, mas sempre haverá leitores. No entanto, sobreviver da escrita foi, é e será, em qualquer momento, um desafio. Aplausos para os melhores, estes sobrevivem!

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Pela informação do meu filho Marcos, administrador de empresas.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Merece sim, a quem de direito! Porque é história de luta e vida! “Meus amigos, sintam-se à vontade para lê-lo”!

Obrigado pela sua participação.

Lançamento

Leia Mais ►

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Entrevista com Edinalva da Conceição Oliveira - Autora de: INDICADO PARA CRIANÇAS DE 0 A 80 ANOS

É uma  psicopedagoga apaixonada por literatura.A autora trabalhou vários anos como educadora infantil  e atualmente trabalha como coordenadora pedagógica em uma escola pública para adolescentes.
Sua paixão pelos livros vem da infância, de quando sua mãe fazia das tardes quentes do sertão baiano, momentos inesquecíveis em companhia dos livros de literatura de cordel.





Fazer das leituras em casa e na escola uma oportunidade de registro é o que Ana Júlia, Juju , sabe fazer bem.
Apaixonada por livros de todos os gêneros ; entre brincadeiras e estudos se torna escritora com a ajuda dos pais e de sua professora.
Com uma linguagem simples e histórias divertidas, este livro desperta na criança o interesse pela leitura e escrita.
Além disso, este livro incentiva em seus leitores  o desejarem de se tornarem escritores.





Olá Edinalva. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro conta a estória de uma menina afro descendente apaixonada por leitura de todos os gêneros que com a ajuda de família e professora se torna escritora.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Desde o primeiro grau me encantei com o mundo literário, na faculdade na disciplina Literatura Infantil voltei aos contos infantis, no meu trabalho como educadora infantil usava diariamente da literatura para desenvolver trabalhos de leitura e escrita com meus pequenos alunos assim posso dizer que, esse é o primeiro de outros livros, inclusive a continuação desse conto já está a caminho.Também tenho outros contos guardados prontos para serem publicados e ou esperando conclusão.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A vida do escritor brasileiro pode ser um desafio.Mas apesar de se dizer que o Brasil é um país de poucos leitores, acredito na produção literária.As pessoas estão lendo sim.De uma forma ou de outra elas leem. Seja através de uma tela seja no material impresso.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Cheguei à Scortecci Editora através da internet. E quando tivemos contato fui muito bem acolhida e orientada por todos.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim.Costumo dizer que não apenas crianças mas adultos também devem ler. As crianças por de repente se descobrirem escritores e os adultos, principalmente aqueles que convivem com os pequenos, porque podem através dessa leitura estimular suas crianças a trilharem o caminho da escrita. A estória além de ser linda ainda retrata valores, relação familiar e diversidade.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Entrevista com Rosangela Maria Angelo Felipe - Autora de: OS PERGAMINHOS DE ÉFESO

R.M. Angelo Felipe
Pseudônimo para Rosangela Maria Angelo Felipe. Os Pergaminhos de Éfeso é o seu segundo romance. A autora formou-se em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Espírito Santo,em 1981. Posteriormente frequentou as aulas das disciplinas relacionadas às literaturas portuguesa e brasileira na mesma instituição, como aluna especial, no ano de 2003.





Os Pergaminhos de Éfeso
Conta histórias reveladas a partir de descobertas de alguns pergaminhos do início da Era Cristã. É uma ficção que traz Verônica, uma mulher judia,  como personagem principal. As suas lembranças remetem a um pouco da história da nação judaica, sua cultura,sofrimento e determinação de um povo.








Olá Rosangela Maria. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O enredo ficcional do livro Os Pergaminhos de Éfeso transita entre os anos 17 ao 33 da Era Cristã. Narra a vida de Verônica, a mulher que supostamente enxugou o rosto de Cristo a caminho do calvário. Sempre gostei de ficções e biografias voltados para mulheres que deixaram suas vidas registradas na história. Verônica suscitou em mim, uma grande curiosidade, pelo seu gesto de compaixão para com Jesus Cristo no momento dramático em que ele caminhava para a sua crucificação. Senti que poderia me "apropriar" de Verônica para criar uma história, com certa liberdade, uma vez que desconheço outro registro sobre ela. Meu público alvo são os jovens e adultos que gostam de romances cuja trama se desenvolve dentro de um cenário histórico.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Eu me formei em Artes Plásticas em 1981 pela Universidade Federal do Espírito Santo. Lecionei por algum tempo, a disciplina de Educação Artística. Posteriormente, seguindo outra inclinação, retornei à universidade para cursar, como aluna especial, as disciplinas ligadas às literaturas portuguesa e brasileira. Escrevi meu primeiro livro em 1999, intitulado Saudades e Cinzas foi o que Restou. A trama desse romance se passa entre os "anos dourados" e os "anos de chumbo". No momento, dedico-me ao trabalho de revisão desse romance para publicá-lo em segunda edição. Meu segundo livro intitulado Os Pergaminhos de ´Éfeso foi escrito ao longo da última década pois realizava outro projeto e não dispunha de tempo para dedicar-me ao processo de criação. Foi publicado em 2013 e relançado neste ano de 2016 pela Editora Scortecci. Pretendo publicar futuramente um livro de contos, pois já possuo material para dar início a esse projeto.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Particularmente acho um pouco frustrante, dada as dificuldades de tornar meu trabalho conhecido de um grande público. Penso que é necessário criar em casa e nas escolas uma pedagogia eficaz que conduza massivamente crianças e jovens ao hábito salutar da leitura, para que pudéssemos ver, a exemplo de outros países, muitas pessoas fazendo a sua leitura em lugares públicos, como praças, parques, ônibus e metrôs. Isto seria u m indicativo de um bom hábito disseminado. Em minha cidade, Vitória-ES, há bons incentivos que estimulam pessoas a ler. Existem bibliotecas móveis que saem diariamente e estacionam em bairros para empréstimos de livros e pequenos espaços destinado também a empréstimos de livros nos terminais de ônibus. As ofertas existem, mas falta algum elemento para concorrer com outras distrações e criar efetivamente o desejo permanente de buscar a leitura tão essencial ao desenvolvimento intelectual.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Pela internet, há algum tempo. Mas, só recentemente me decidi a usar os serviços da Scortecci, ao participar da antologia de contos "Memórias e Passagem de um Tempo".

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O enredo de Os Pergaminhos de Éfeso é envolvente. Está inserido num contexto histórico de 2000 anos atrás, durante o domínio romano em Israel. A trama é marcada por sentimentos de amor, amizade, compaixão, generosidade contrapondo-se com ambição, poder e subjugação.
Desejo perseverança aos que estão iniciando na estrada que conduz ao mundo mágico e encantador da leitura, e aos que já possuem alguns quilômetros percorridos, sugiro que façam discípulos.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Entrevista com Douglas Rossetto - Autor de: MATEMÁTICA PARA VESTIBULARES

Douglas Rossetto
O professor Douglas Rossetto é pós-graduado em matemática avançada pelo CPG - Universidade São Judas Tadeu, licenciado em física, matemática, ciências e pedagogia e atua há 27 anos como professor. São de sua autoria: Física para vestibulares e Integrais - manual de cálculo integral.






Esta obra é destinada aos estudantes que pretendem prestar vestibular para as áreas das engenharias e tecnologias. Os capítulos apresentam introdução histórica e teórica sobre os temas selecionados e focam na resolução comentada de questões abordadas nos atuais vestibulares do Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA.  O livro também atende aos professores que pretendem abordagens mais elaboradas da matemática junto aos seus alunos em estudos aprofundados no Ensino médio regular e cursinhos pré-vestibulares destinados a turmas especiais.
Leia Mais ►