quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Entrevista com Aurora Souza - Autora de: A FORMIGA VAIDOSA E A MINHOCA CAIPIRA

Pseudônimo de Aurora Bomfim Silva Siuza. Filha de Ernesto Rodrigues da Silva e Fidelcina Oliveira Bomfim Silva. Nasceu no dia 26 de maio de 1974 na cidade de Guaratinga-Ba. Residente em Coaraci desde 1993. Casada com o carteiro Edimilton José de Souza, mãe de quatro filhos: Edimilton Jr., Lucas José, Tadeu José e Dia Bomfim. Atualmente é professora do Ensino Fundamental I no município de Coaraci.
Foi classificada em 3º lugar no Primeiro Concurso de Poesias da Diocese de Itabuna-Ba em 1992, participou da Coletânea Nacional “Nossa Arte 2003” pelas Edições DGF-MG, onde teve três poesias publicadas. Foi Premiada em 2º Lugar no Concurso Nacional Conta-Brasil e Poesi-Brasil, também pela DGF-MG. Tem uma oração publicada no Livro “Orações Carismáticas da Editora Raboni”. E em 2013 participou da Antologia dos Poetas Vivos de Coaraci.E em 20015 teve seu primeiro livro independente, Devoção em Poesia, publicado pelo Clube Brasileiro de Escritores.

De uma forma lúdica, este livro mostra como atividades físicas em exagero e alimentação sem orientação podem ser prejudiciais à saúde.
Aprendemos que devemos nos aceitar como somos e não viver tentando copiar a imagem dos outros.







Olá Aurora. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro conta a história de uma Minhoca muito tranquila e amiga de todos, mas que não se preocupava com sua aparência, muito menos com uma alimentação adequada, até a chega de uma jovem Formiga muito vaidosa à sua comunidade. A ideia surgiu a partir do desejo de incentivar as crianças a optar por uma alimentação saudável e alertar sobre os riscos inerentes às dietas e atividades físicas sem orientação de um profissional.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Escrevo poesia desde os onze anos de idade. Comecei trocando rimas e quando me dei conta já estava escrevendo poemas inteiros, mas achava tão normal e pensava que qualquer pessoa poderia fazer o mesmo até que um dia, no colégio, alguém ficou muito e começou a falar para os professores: “A urora sabe fazer poesia”! Foi quando “acordei” e aos poucos fui compreendendo o dom para o qual havia despertado. Com o passar do tempo, os meus colegas e os de outras classes passaram a me procurar para escrever roteiros de peças para as apresentações no colégio e com isso descobri que também tinha habilidade com os contos. Os meus pais sempre me pediam para escrever as respostas de cartas aos parentes, esse hábito também, me ajudou muito na desenvoltura da escrita. Já participei de algumas antologias, e no ano passado publiquei um livro de poesias em honra a Virgem Maria e agora resolvi tirar da gaveta um livro de literatura infantil. E pretendo continuar minha jornada pelo mundo das letras, pois outros livros já aguardam a oportunidade de uma publicação.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acredito que cada escritor seja um desbravador em busca de leitores. É difícil lançar-se nesse vasto mundo das letras diante da realidade que temos, mas não podemos desanimar. Existem muitos projetos maravilhosos de incentivo à leitura e, de acordo com dados estatísticos, houve um crescimento do número de leitores nos últimos anos no Brasil, isso é motivo de alegria e um ânimo a mais para continuar acreditando, assim como Monteiro Lobato, que "Um país se faz com homens e livros".

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Quando decidi publicar esse livro fiz uma busca na internet, entrei em contato com várias editoras até optar pela Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim. Merece ser lido porque aborda um tema que é sempre atual e, principalmente, porque envolve a conscientização de crianças sobre a relevância de uma alimentação adequada e importância da auto aceitação para viver bem consigo mesmas e com os outros.

Obrigado pela sua participação.

Um comentário:

  1. Parabéns, Aurora! Pela bela entrevista, pelo trabalho e por esse dom que Deus lhe deu.O tema é interessante. A importância da auto aceitação é fundamental! Continue nos presenteando com os seus escritos. Sucesso!!!

    ResponderExcluir