domingo, 9 de outubro de 2016

Entrevista com Lila Cotias - Autora de: JULIA e O FANTÁSTICO LOUCO QUE TANTO AMEI

Lila Cotias
Pseudônimo de Marília Oliveira de Araújo.
Baiana, estudou na Universidade Católica do Salvador. É empresária determinada, inquieta, apaixonada pela natureza e por todas as maravilhas do mundo por onde tem andado, fascinada por suas viagens.
Acredita que revelar a arte e ocultar o artista é a finalidade da Arte. Citando Oscar Wilde: “Um livro não é, de modo algum, moral ou imoral. Os livros são bem ou mal escritos”.
Não escreve baseada em regras. Em 2016 publicou O fantástico louco que tanto amei.

Uma menina sonhava em ter uma filha, imaginava que essa filha seria parecida com ela, pois sempre sonhava com uma menina, correndo na grama, com os cabelos cacheados, toda sorridente.
Os anos se passaram, a menina se tornou uma moça, casou-se, mas, ao invés de ter uma filha, teve um filho, depois outro e mais outro, todos homens. Os filhos cresceram e mesmo assim ela continuava sonhando com a menina dos cabelos cacheados, correndo na grama e sorrindo.

Das inúmeras viagens, desde os garimpos de Poxoréu em Mato Grosso até os sertões da Bahia, são muitas as histórias contadas por uma filha que, ainda menina, se encantava com as atitudes do seu lindo pai. Ele ensinava que religião é fazer o bem sem olhar a quem. Não ter preconceito religioso, racial ou social também fazia parte do dia a dia daquele homem aventureiro, cheio de amor. A filha cresceu e tornou-se empresária. Durante suas muitas viagens pelo mundo, resolveu escrever sobre seu pai, relembrando os seus ensinamentos. Criada com amor e respeito, aprendeu a amar a mãe natureza em toda sua forma e existência plena. Aprendeu também que “se estiver triste, faça uma viagem; se estiver alegre, faça uma viagem; se quiser comemorar algo, faça uma viagem”. Tornou-se viajante constante, assim como seu pai. Este livro retrata alguns lugares e situações vividas por ambos.

Olá Marília. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Julia
Trata da noite mágica, que foi a noite do nascimento da minha neta.
O fantástico louco que tanto amei
Neste livro falo de alguns momentos vividos ao lado do meu amado pai, um homem sem preconceitos, com paixão pela mãe natureza e a vida. Um homem aventureiro e intenso.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Julia é o meu segundo livro publicado, o primeiro é : O fantástico louco que tanto amei, um livro para todas as idades. Mas Julia é um livro infantil, com uma historia verídica, no dia que minha neta nasceu. Achei aquela noite, tão mágica, que resolvi escrever.
Na verdade, muitos amigos dizem que minha vida daria um livro a cada mês. Viajo bastante e conheço boa parte desse planeta lindo, o qual recebemos de presente. Tenho alguns contos na gaveta, daí a ideia de publicar o primeiro, exatamente onde falo da minha infância e adolescência ao lado dos meus pais.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Falar de Brasil, eu passaria anos falando! Nosso pais é um desastre no quesito educação e instrução. Se pretendesse viver como escritora, sei que morreria de fome.
Para isso, o escritor no Brasil, precisa ter uma segunda profissão, acho muito difícil a vida de escritor, exceto os já conceituados. Mas acho que está mudando, a Bienal mostrou essa grande mudança. Vi uma enorme quantidade de jovens buscando livros.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de um amigo.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Acho que Julia merece ser lido, pois mostra a magia da vida, e toda a sua essência, mostra o que não podemos tocar, mas sentir. Mostra o que vai além da nossa imaginação e o poder do universo.
O fantástico louco que tanto amei, escrevi para filhos, netos e amigos, mas todos acham que deve ser lido por muitos, pois passa uma mensagem de amor e uma visão especial da vida. Meu pai acreditava no bem pelo bem.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário