segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Entrevista com Roberval de Jesus Leone dos Santos - Autor de: PROFISSÃO DE FÉ


Roberval de Jesus Leone dos Santos

É natural de Salvador (BA). Atualmente vive em Brasília. É servidor público desde 1994, tendo trabalhado em vários órgãos e entidades da Administração Pública. Esta é a sua primeira obra de ficção.







O livro narra as aventuras de um funcionário público em uma instituição criada exclusivamente para conduzir um evento esportivo de magnitude internacional. Pedro, o protagonista, lida com todos os tipos de estereótipos existentes na máquina pública e enceta uma batalha incessante contra as patologias da Administração Pública nacional. Apesar de ser um livro de mera ficção, tudo aquilo que acontece na história é plausível e serve de elemento para repensar o desenho institucional do serviço público no Brasil, o qual, até hoje, jamais sofreu uma melhora qualitativa considerável. Livro de estreia de Roberval de Jesus Leone dos Santos, o texto objetiva um acerto de contas com a trajetória do burocrata.

Olá Roberval. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro narra as aventuras de um funcionário público em uma instituição criada exclusivamente para conduzir um evento esportivo de magnitude internacional. Pedro, o protagonista, lida com todos os tipos de estereótipos existentes na máquina pública e enceta uma batalha incessante contra as patologias da Administração Pública nacional. Apesar de ser um livro de mera ficção, tudo aquilo que acontece na história é plausível e serve de elemento para repensar o desenho institucional do serviço público no Brasil, o qual, até hoje, jamais sofreu uma melhora qualitativa considerável.
O livro surgiu a partir de uma espécie de epifania. As ideias surgiram rapidamente e posteriormente apenas as organizei no papel.
O público-alvo do livro são os cidadãos brasileiros, especialmente aqueles que mais sofrem com a desorganização e dificuldade de prestação de serviço do Estado nacional
.
Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Não me considero um escritor profissional. Também, não tenho ambições literárias. Creio que com essa obra consegui expor o ponto de vista de uma multidão de gente que já lidou com funcionários públicos, mas também expõe como realmente funciona a máquina pública do ponto de vista interno, este muito pouco visto por quem está de fora. Não sei se virá outra obra no futuro. Essas coisas dependem muito do momento e de uma boa dose de inspiração.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
De fato, o Brasil tem poucos leitores. Talvez seja um dos poucos países da América do Sul onde ler é um martírio para a maioria. Isso decorre muito das más escolhas de nossas políticas públicas aliadas a instâncias de controle privadas que lucram com essa situação, as quais direcionaram a população para uma dependência absurda da mídia televisiva, num primeiro momento, e, agora, mais recentemente, para a Internet. O ensino nacional apenas cresce em quantidade, mas, não, em qualidade.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu conheci a Scortecci por meio de pesquisa que fiz após concluir o livro. Trata-se de um pessoal bastante profissional e respeitoso com o autor.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu tenho um julgamento bastante severo em relação àquilo que escrevo. Eu preferiria que as pessoas em geral lessem meu livro mais do que meus pares do serviço público. Mas não tenho nenhum elemento para convencer qualquer pessoa em usar seu tempo para ler esse livro, na medida em que há milhares de autores à minha frente, com obras mais importantes e consagradas. Contudo, todo autor tem essa esperança.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário