quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Entrevista com Zélia Mercêdes de Oliveira - Autora de: TEMPOS AZUIS

Zélia Mercêdes de Oliveira
Nascida em São Paulo, Parque Boturussu, casada, mãe de dois filhos. Sou professora aposentada, resido na mesma rua desde que nasci. Realizo trabalho voluntario, sou compositora musical e quero continuar escrevendo.
Tomei a decisão de escrever este livro porque, quando comecei a criar os meus dois filhos (dois meninos), percebi que não podia mais ensinar para eles as coisas como eu aprendi. As brincadeiras eram outras e o modo de enfrentar a vida havia se modificado por conta do progresso. A tecnologia avançou, o nosso bairro cresceu e tudo mudou.

Relatos de uma vida, como muitas outras vividas nos primeiros bairros da periferia de São Paulo. Não havia água encanada, luz e tantas outras comodidades que temos atualmente. Naquela vida artesanal sobressaíam fatos curiosos e saudosos que o leitor poderá relembrar. Um exemplo é o Grupo Escolar, eficiência em alfabetização.








Olá Zélia. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O meu livro é o documento de um tempo, de um passado que não volta mais. É o registro de tudo o que foi importante na minha infância. Há fatos, pensamentos, atitudes em que o leitor mais velho pode identificar-se e que os jovens possam tomar conhecimento de um passado não tão distante da história das nossas vidas.
A ideia de escrevê-lo surgiu a partir do momento em que parei para pensar que eu tenho uma história para contar. E que essa história se transforma em uma novidade para os tempos atuais. Quando eu conto para os mais jovens como eu vivi despertam neles a curiosidade de saberem mais e exclamam: — Nossa! Seu mundo era assim mesmo?

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Esse não é o meu último livro. Eu tenho muito a criar. Eu estou escrevendo mais dois livros simultaneamente. Um é a história do desaparecimento de um homem em que tudo ficará esclarecido ao final da trama. O outro é uma série de fatos reais, de pessoas, que por falta de esclarecimentos no mundo da saúde, cometem erros equivocados e engraçados. Com isso só posso dizer uma coisa: aguardem-me!

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Eu estou iniciando a minha carreira de escritora. Ainda não tenho experiência dos acontecimentos futuros, mas vejo que a diversão somada à falta de estímulo bloqueia o caminho de se encontrar novos leitores. Há também uma queixa de que os livros são caros. Então para o escritor e dar um “tiro” no escuro.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu busquei informações na internet para lançar a minha obra. Há vários orçamentos, algumas não editam biografias, outras ficam com a obra para análise e tira a esperança de aprovação da mesma, outras são caras, outras só produzem grandes tiragens ... E foi assim que cheguei a Scortecci Editora; respeito pelo conteúdo da obra, pequenas tiragens, gostei do preço, oportunidade desta entrevista para melhor divulgação da obra. É a minha primeira porta aberta aos meus sonhos.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O meu livro merece ser lido, sim! Ele pode levar os jovens a questionar valores passados com a própria família (pais e avós). Estes confirmarão os fatos e até acrescentarão outros vividos por eles. É um livro que vai crescer na mente do leitor. É um livro vivo!
Caro leitor,
Você vai se deliciar com a graciosidade da leitura, emocionar-se, rir. Escrevi para você refletir o mundo e sua evolução a partir da sua casa, do seu bairro, da sua vida. Observe que a sua vida já não é a mesma de um ano atrás. Que surgiu algo novo para facilitá-la e com isso muda os valores sociais e coloca você a trilhar novos caminhos. Escrevi para você que não teve oportunidade de escrever a sua história e que acho são tão bonitas e importantes como a minha.

Obrigado pela sua participação.



Nenhum comentário:

Postar um comentário