quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Entrevista com Loyése Gomes dos Santos - Autor de: INDISCIPLINA ESCOLAR

Loyése Gomes dos Santos
O autor nasceu em Santa Rita do Sapucaí, MG, no dia 30 de outubro de 1968. É especialista em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), graduado em Pedagogia pelo Centro Universitário Fundação Santo André e em História pela Unifec (União para Formação, Educação e Cultura do ABC). Atualmente é professor titular PEB II da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo.
Em 2010 apresentou à PUC-SP pesquisa monográfica in-titulada: As causas da indisciplina investigadas a partir da análise do livro de ocorrências de uma escola pública do ABC Paulista. O trabalho deu origem a este livro que se pretende seja instrumento para divulgar de forma mais abrangente os resultados da pesquisa, bem como disponibilizar mais uma cadeira junto à mesa de debates para que o leitor se posicione, inteire-se da problemática, tire suas próprias conclusões e contribua de alguma forma, no âmbito de seu papel social, para uma educação de melhor qualidade.

O presente livro traz para a mesa de debates os resultados obtidos a partir de uma pesquisa que investigou as causas que desencadeiam e mantêm comportamentos indisciplinados em alunos de escolas, sobretudo públicas, e assim almeja fomentar ações que visem manter tais comportamentos em níveis aceitáveis. A referida pesquisa (de cunho documental) se desenrolou a partir de um livro de ocorrências, pertencente a uma escola pública do ABC paulista, cujo conteúdo remete a casos de indisciplina envolvendo alunos do Ensino Fundamental II, do período vespertino. 
Num primeiro momento buscou-se o significado e o significante da palavra disciplina e de seu antônimo (estudo etimológico com busca em dicionários, com apoio de cunho filosófico e histórico) passando, a seguir, pela revisão da literatura que trata do tema indisciplina com as posições de renomados autores; e num segundo momento dirigiu-se ao conteúdo do livro de ocorrências, já citado, esmiuçando os relatos e colocando-os sob um olhar questionador/verificador (tendo como suporte e comparativo, trabalhos de estudiosos que também se debruçaram sobre tais questões) confrontando com conhecimentos prévios sobre o assunto e observações feitas durante visitas à escola. O conjunto de informações demonstrou que as causas da indisciplina estão espalhadas numa complexa rede de relações sociais e interpessoais internas e externas à escola, ganhando contornos ainda mais perturbadores e de difícil solução porque estão associadas ao que, no texto, foram tratadas como complicações agregadas. A pesquisa indicou, também, que a problemática exige abrangência no seu enfrentamento; portanto, a interdisciplinaridade, a aproximação entre escola e família, o comprometimento do Estado e a leitura atenta deste livro, são fatores preponderantes, ou seja, união de esforços para edificar uma escola melhor.

Olá Loyése. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro trata da indisciplina que se apresenta de forma exagerada nas escolas. Fui amadurecendo a ideia enquanto pesquisava para desenvolver uma monografia e constatei que a temática era menosprezada.
Meu objeto de estudo foi um livro de ocorrências (do Ensino Fundamental II). Ampliei a pesquisa e fiz uma revisão da literatura; verifiquei, em vários aspectos, a palavra indisciplina e seu antônimo trazendo, também, à luz, as complicações agregadas (expressão que criei para designar o que vem no bojo da indisciplina escolar). Quando concluí e apresentei a referida monografia, transformei-a em uma linguagem para livro e a partir daí propus um debate para juntar subsídios na busca pelos porquês e por possíveis soluções em relação à indisciplina escolar. O livro destina-se a cada cidadão, já que a problemática envolve todos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Cursei Pedagogia, História e me Pós-graduei em Magistério do Ensino Superior. Atualmente sou professor da rede pública do Estado de São Paulo.
Tenho vários manuscritos (de assuntos diversos) espalhados em gavetas, armários... Preciso encontrar tempo para juntá-los, organizá-los, conseguir verba e transformá-los em livro ou livros. Minha próxima “empreitada”, acredito, será na literatura infantil.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não é fácil. Existe uma oligarquia (as ditas grandes editoras), sem generalizar, que pensa só no cifrão e emperra a ascensão de pessoas pobres com grande potencial literário. Mas, graças a ações idealistas de Editoras como a Scortecci as coisas estão melhorando, como o preço dos livros que vêm caindo.
É preciso que livros, guardada atenção quanto ao conteúdo, estejam espalhados pela casa, à disposição, sem imposição, alimento de fácil obtenção, ao alcance das mãos. Assim formamos leitores.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Uma colega da pós-graduação, Diana Ostam Romanini, me presenteou com seu livro publicado, há alguns anos, pela Scortecci. Li, reli e guardei em uma de minhas prateleiras.
Quando o material que daria origem a meu livro estava em fase adiantada, perambulei por várias editoras e só tive decepções: preço injusto, só alta tiragem, descaso... Já estava desolado quando, deitado em minha cama e mergulhado em pensamentos, olhei de forma despretensiosa para a tal prateleira e bingo; lá estava o livro que ganhei. Verifiquei qual era a editora e... Enfim, assim nasceu minha relação com a Scortecci Editora.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim. Porque foi concebido após muita dedicação, porque é revelador e aborda a indisciplina escolar desde suas minúcias, deixando de lado as mesmices. Amigos leitores, meu objetivo é compartilhar os resultados da pesquisa e revelar bastidores que conheço in loco, a sala está com a porta aberta, cada livro adquirido simboliza mais um integrante que ocupará uma cadeira disponibilizada junto à mesa de debates para, em conjunto, buscarmos os porquês e as prováveis soluções para o problema e, assim, contribuir para a edificação de uma escola melhor.
Os leitores profissionais da educação se identificarão com as situações ali dispostas, enquanto os demais vão percorrer o intramuros obscuro da escola atual.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário