quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Entrevista com Valdir Cecil Schirmer - Autor de: O HERÓI DE WALDLAUBERSHEIM

Nasceu no Rio Grande do Sul; é advogado, fundador de duas instituições religiosas, Mestre da Maçonaria e membro do Rotary Club, entre outros. Hoje atua apenas como palestrante e escritor. Reside em Arraial da Ajuda, Porto Seguro, Bahia.








A obra conta a história dos imigrantes europeus, principalmente alemães, e suas dificuldades. Inicia com as Guerras Napoleônicas, das quais muitos participaram, a propaganda brasileira convidando imigrantes para colonizarem o Sul do Brasil, a viagem; doenças, mortes e toda sorte de dificuldades iniciais, bem como o destino de alguns dos imigrantes e seus descendentes. O herói que gerou o nome do livro, é GEORG SCHIRMER. A localidade de origem, é WALDLAUBERSHEIM, na Alemanha. A época é o final dos anos 1700 a 1826, data da saída da Europa e ingresso no Brasil.


Olá Valdir. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Trata-se de um livro histórico romanceado, inspirado em fatos reais. A ideia surgiu de um amigo alemão que solicitou que eu escrevesse a história da imigração germânica, com seus diversos desdobramentos, com ênfase nos meus antepassados, que são da mesma aldeia medieval desse amigo. Inclusive fui convidado para participar das festividades de comemoração de 1250 anos de fundação da localidade, no ano que vem, e lá lançar o livro em alemão. O público a que se destina é geral, pois a todos deve interessar a construção de nosso país, mas em especial aos descendentes desses combativos e corajosos imigrantes.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Este é o meu terceiro livro, e pretendo continuar escrevendo. Já tenho agora várias árvores plantadas, três livros escritos e sete filhos para os lerem.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Eu consegui através das redes sociais formar uma carteira de amigos-clientes muito sólida e suficiente para absorver a quantidade de livros que eu publico. Assim como a TV não acabou com o rádio, o livro impresso também será eterno. Há poucas coisas tão agradáveis quanto manusear um exemplar de um bom livro. Esse contato transita entre o lúdico e o sagrado.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Fiquei sabendo da Scortecci como empresa conceituada, através de pesquisas sobre editoras confiáveis e realmente interessados não só em obter lucro, mas em se relacionar de forma interessada e respeitosa com o autor.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Comparando com muitas publicações que vi, e eu leio muito, eu me convenci de que o meu livro merece muito ser lido, porque tem história, tem qualidade e tem beleza. A mensagem para os meus leitores é de que adquiram esta obra para dirimirem a dúvida a respeito de que autor devem prestigiar doravante com a certeza de obterem boa leitura.

Obrigado pela sua participação.

2 comentários:

  1. Louvável ideia. O Brasil germânico (descendentes de imigrantes) precisa conhecer o elo, que para muitos pode parecer perdido, com o velho continente e as contingências que desembocaram na América do Sul. Certamente será uma cativante leitura.

    ResponderExcluir
  2. Boa Waldir. Tenho certeza de que será uma leitura de um texto justo é perfeito. Abs.

    ResponderExcluir