sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Entrevista com Adriana Silva Santiago - Autora de : MAR REVOLTO

É formada em Jornalismo na UNI-BH, em História pela PUC-MINAS.Atualmente vive na cidade de Três Pontas, sul de Minas Gerais, onde desenvolve o Projeto de Leitura Passarinho, biblioteca infantil itinerante.
Trabalhou como repórter em diversos veículos de comunicação em Belo Horizonte, na década de 90.
Em 2008 participou da antologia Del´Secchi - Vol.XVIII, pela Editora Del´Secchi, Rio de Janeiro, com dois poemas. Em 2015 participou da Antologia Rede de Palavras, pela Editora Scortecci, São Paulo, com a crônica "Encontro não marcado: a turista e o morto". Em 2015 participou também da Antologia Devaneios, pela Editora Hórus, Almada, Potugal.

Pensar em poesia é pensar em fluidez, sensibilidade, crítica social, louvor à natureza, ao amor, à paixão. O sentir poético é o que a autora traz neste livro através dos poemas, convidando o leitor a uma viagem: diferentes trilhas, mergulho íntimo, revelador.
As crônicas...Ah! Essas divertem e emocionam. Poeticamente contam casos e "causos" bem-humorados, verídicos ou não? Quem vai saber? Coisas do cotidiano. Bom humor, emoção à flor da pele e reflexão marcam poesias e crônicas de Mar Revolto. Leitura leve, simultaneamente reflexiva, introspectiva e ainda, estimulante.
Boa leitura e voe com esse pássaro chamado Poesia. Suas asas se chamam Amor.

Olá Adriana. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A poesia é o foco do livro. Uma obra que em seus poemas e crônicas respiram poesia transformando o simples amanhecer em motivo para celebração da vida. Onde um pequeno passeio pelas ruas da cidade, inspiram e se transformam em um momento de descobertas. Efeitos que a natureza, a harmonia e a proximidade, o olhar ao outro podem provocar no íntimo de cada um de nós. Um profundo mergulho para valorizar as belezas e oportunidades que a vida nos proporciona a cada nascer do sol.
Leitura leve, carregada de emoção, paixões, amor à vida, feita de alegrias e, inevitável, momentos de dor. Um convite a se deixar levar e ter a coragem de navegar esse Mar Revolto, cheio de perigos e belezas.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Antigo sonho sim. Mas este sonho não termina aqui. O que seria de nós se não fossem os sonhos que nos alimentam, nos movem? Publicar outros livros? Pretendo sim. E buscarei, com toda dedicação, realizar novos sonhos, novos projetos literários. Até mesmo, porque não, publicar romances. Motivos para sonhar é o que não faltam!

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Poderia dizer que, a princípio, é desanimador. No entanto, temos que, cada um de nós, tentarmos incentivar novos leitores com iniciativas simples que podem mudar essa realidade. Faço isso através do Projeto de Leitura Passarinho, que leva livros infantis para crianças nas praças de onde moro. São atitudes simples, uma sementinha frágil. Mas temos que acreditar que, pelo menos algumas dessas sementes ganharão força e se tornarão árvores frondosas!

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Em 2014, através de anuncio via internet, participei da Antologia Rede de Palavras da editora. A partir daí comecei a fazer cursos na Escola do Escritor da Scortecci e, naturalmente, decidi publicar o livro que há tanto sonhava em concretizar.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Leiam. Deixem a poesia entrar em seus corações e as pequenas estórias (crônicas) os divertirem e, ao mesmo tempo, emocionarem vocês, caros leitores!

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário