domingo, 9 de setembro de 2018

Entrevista com Lumar - Autor de: COLEÇÃO CENAS OBSCENAS - LIVRO I - A DANADINHA

Nome literário de Luiz Marcelo Bicalho Simões.
Vigia Portuário e Aposentado. Escritor na OGMO / INSS / Editora Scortecci
Obras do autor:
2001 - Casal OK / Scortecci
2016 - Ele, o Deus Existe / Scortecci
2018 - Coleção Cenas Obscenas - Livro 1 - A Danadinha




O livro trata da abordagem sexual. De uma forma exclusiva. Aonde uma mania sobressai. Trazendo uma realidade que existe neste século. As ruas, e o aconchego da residência. Dois mundos divididos. E que trazem essa mania do marido. Em escrever um diário sobre as peripécias de sua mulher. E sobre a própria realidade. Sobre essas manias peculiares o marido exige que sua esposa faça sexo. Com quer que seja. em que maneira quiser. Trata-se do casamento participativo de um casal. E de uma maneira diferente de ver a vida. Mas que é tão comum nos nossos dias. Aonde o casual passa a conviver com as pessoas em seu dia a dia. O sexo extravasa e se multiplica em muitas formas. Mas focando no interesse do marido em ver sua esposa na companhia de outros machos. São quatro historinhas diferentes. Cada uma de um jeito louco de ver o mundo. Lumar.

Olá Lumar. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro é sobre uma menina. Uma mulher que muda de São Paulo para Santos. Conhece um cara que acaba sendo seu marido. O Marido tem uma mania moderna. Uma mania dos tempos modernos. Gosta de ver a mulher transando com outros homens. E disso a mulher tira proveito para extorquir dinheiro do cara. Essa ação bilateral não termina nunca. Em todos os momentos algo faz girar em torno do sexo. E dos elogios à mulher do homem corno. Que incentiva a esposa a procurar outros homens. A comunicação entre eles é feita através do celular. Com filmes, vídeos e mídias dela transando com outros homens nas mais variadas situações.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
O meu projeto literário começou muito cedo. E essa ideia de escrever um livro foi amadurecendo. Em 2001 editei o meu primeiro livro. Na Editora Scortecci. O Seu João aceitou publicar na hora. O título é Casal OK. O Casal OK fala do militarismo, do terrorismo brasileiro, de sexo entre o casal. Já abordando essa mania do parceiro aceitar ser traído sexualmente pela parceira. O meu segundo livro demorou quinze anos para ser editado. Isso só aconteceu em 2016. O título é Ele, o Deus Existe. Esse livro aborda um assunto tabu. E apresenta uma nova visão filosófica sobre o aparecimento do Universo, da vida, de Deus, da Terra e dos seres humanos. Entre outros assuntos aborda a questão da alma e do espírito. A educação, o ensino e a cultura. E o terceiro livro é A Danadinha, de 2018. Lançado na Bienal do Livro.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acho o seguinte. Vamos falar de futebol e de literatura. A paixão pelo futebol. Milhões de admiradores. O futebol apesar de ser manipulado por interesses estranhos é uma atividade econômica importante para o Brasil. Através do futebol cadeias de televisão transmitem o assunto até a exaustão. Por que os jogadores se esmeram em querer ganhar e fazer o melhor em campo. A literatura para mim é vista da mesma maneira que o futebol. Os escritores precisam fazer o melhor de si para chamar a atenção das pessoas. Procurar transmitir assuntos interessantes para transformar a literatura em uma paixão. Alavancando essa atividade econômica. Apesar da concorrência ser grande. Eu me esforço em popularizar o assunto. Quero que a literatura seja valorizada. Não me importa ficar sem vender ou divulgar minhas obras. Mesmo sendo péssimas ou ruins eu vou lutar para popularizar a literatura por todo o Brasil. Só não sei quando.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu cheguei na Scortecci Editora em 2001. Com um disquete embaixo do braço. Naquela data éramos atendidos diretamente pelo Doutor João Scortecci. Que muito simpaticamente aceitou publicar meu livro. Meus temas são polêmicos. E minhas posições são provocativas. Mesmo assim o Seu João não se importou com o conteúdo. Sinceramente achei que seria censurado. Mas a obra saiu. Foram editados 500 exemplares. Eu não me importo de bancar minhas obras. Me esforço, edito e depois distribuo para quem se interessar. O meu projeto é transformar meus livros em E-Book. e até nisso encontro respaldo na Scortecci Editora. Espero conseguir vender muitos livros e me transformar em um escritor respeitado no meio editorial.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
No meu primeiro livro ensino aos jovens como foi o período militar. Não sou professor. Apenas escrevo e por isso sou escritor. Talvez meu papel seja o de ensinar os professores. Assim acredito. O meu segundo livro Ele, o Deus Existe começa no capítulo I ensinando de onde vem o Universo. Fala dos vegetais como forma de domínio do mundo de então. No Capítulo II esse domínio é exercido pelos dinossauros em detalhes. No Capítulo II escrevo sobre a humanidade como portadora da alma. Suas conquistas e como chegou aos dias de hoje. No Capítulo IV mostro o homem em seu estado presente e ensino como se portar para o futuro. E o que acontecerá se o homem não alterar sua conduta. No meu terceiro livro faço um romance sobre manias humanas. Nada do que se encontra em casa, no lar, na residência e na família. Um tipo de ser que desvirtua qualquer mandato de bem viver..

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário