segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Entrevista com Fábio Correia - Autor de: PIRATAS DO PARANOÁ

Nome literário de Fábio Correia dos Santos.
Bacharel em Administração de Empresas, formado pela FIRP. 
Trabalhou na Esso Brasileira de Petróleo, multinacional americana afiliada Exxon, incorporada pela Cosan e que atualmente pertence a Raízen. 
Trabalhou na distribuidora Repsol YPF, multinacional espanhola e na distribuidora brasileira Ale Sat Combustíveis. 
É atualmente escritor e funcionário do Banco do Brasil S.A.´



O livro trata do Brasil que nós queremos para o futuro. 
Fala de política e governo, corrupção, problemas sociais e da falta de investimentos em educação. 
E apresenta a sustentabilidade e o maior incentivo ao turismo como opções para alavancar a economia. 
Sempre preservando nossas riquezas naturais e promovendo a geração contínua e crescente de emprego e renda. 
É essencialmente o Brasil que nós queremos. E não mais o que a elite sempre quer.


Olá Fabio. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Trata do Brasil que nós brasileiros queremos para o futuro. 
Surgiu da necessidade de esclarecer alguns fatos históricos, principalmente aos jovens. Pois, nem sempre são ensinados. 
Notícias falsas ou "fake news" sempre existiram. E precisamos de mais investimentos em educação de qualidade.
Destina-se aos formadores de opinião, jovens estudantes, universitários, corpo docente, empreendedores e profissionais liberais.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou administrador. Atualmente bancário e escritor. Mas, iniciei minha vida profissional aos 15 anos e sempre estudei em escola pública. 
Na verdade, este é o primeiro de uma série sobre corrupção.
O segundo livro, já está no forno. Será o Piratas do Tibre; o rio que passa por Roma, na Itália, é testemunha fiel de corrupção no Vaticano. 
Depois, teremos o Piratas do Potomac, em Washington (DC), bem polêmico, sobre a corrupção nos Estados Unidos. 
Na sequência, Piratas do Tâmisa. O rio que passa em Londres, sabe que há sujeira sob o tapete da rainha da Inglaterra.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Ser escritor no Brasil realmente é uma grande desafio. Mas, prefiro focar nas oportunidades. 
E o conhecimento vale mais do que dinheiro.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de um escritor riopretense.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O tema é atual. Mas, a corrupção existe desde a época do descobrimento. E isso precisa ser esclarecido para todas as gerações. 
Nosso país tem todas as condições necessárias para sermos uma grande nação. 
Através da sustentabilidade e de um maior incentivo ao turismo, por exemplo, podemos promover a geração contínua e crescente de emprego e renda. E sempre objetivando a preservação de nossas riquezas naturais. 
Este é o Brasil, que realmente, nós queremos. E o futuro começa agora.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário