sábado, 3 de novembro de 2018

Entrevista com José Adriano Alves - Autor de: QUASE POESIA, TALVEZ ABISMO

José Adriano Alves
É pernambucano e reside no Rio de Janeiro. Autor de 4 livros de poesias, é doutor em Literatura Brasileira pela UFRJ. o autor obteve prêmios em concursos literários e agora está lançando seu quarto livro de poesias "Quase poesia talvez abismo" pela editora Scortecci.



É um livro de poesias que lança um olhar reflexivo e com uma certa melancolia, mas sem ser pessimista, sobre a vida, o próprio fazer literário e sobre o ser/estar no mundo. Numa dicção lírica e reflexiva com um viés crítico social, os poemas desse livro propõem uma reflexão sobre a sociedade, a literatura e a memória.






Olá José Adriano. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro é uma reflexão sobre a vida e o ser/estar no mundo, através de um olhar poético que trabalha a memória e as relações humanas, sobretudo tendo um olhar que reflete sobre o próprio fazer literário, às vezes tocando num viés lírico e até certo ponto com uma certa melancolia mas sem cair no pessimismo.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
"Quase poesia talvez abismo" é o meu quarto livro de poesias. Todos tiveram excelente aceitação de público e crítica, bem como foram destaques em concursos literários. Sou professor doutor em Literatura Brasileira e tenho um compromisso com a literatura tanto de divulgá-la quanto exercer o papel de escritor que preza por levar uma poesia de qualidade e que fuja do lugar comum, tentando captar a alma humana e o viver em sociedade.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Ser escritor no Brasil de fato é algo muito delicado. Em geral temos que ter uma profissão já sedimentada pois é muito difícil ganhar dinheiro escrevendo livros, sobretudo de poesias. Por outro lado, a quantidade de leitores é pequena e muitas vezes mal formada, o que acarreta numa concentração ou predominância da chamada literatura de auto-ajuda ou dos clássicos, não tendo espaço para leitores jovens que fazem uma literatura mais refinada. Consequentemente, escrever livros vira um verdadeiro sacerdócio diante do atual cenário brasileiro.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
A editora Scortecci foi uma grata surpresa para mim, travei contato com ela através da internet. De início, tive um certo receio mas o trabalho foi tão bem feito que esse é o segundo livro que público pela Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Quem procura uma literatura que prima na busca pelo refinamento literário e por uma abordagem poética da vida mas sem cair nas facilidades ou armadilhas românticas, vai encontrar em QUASE POESIA TALVEZ ABISMO um livro que procura unir o literário e a vida numa poesia que trabalha a memória e as relações humanas.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário