quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Entrevista com Gisele Silva - Autora de: PÉ DE MOLEQUE

Nome literária de Gisele de Oliveira Silva.
Nasceu e mora no Rio de Janeiro. Pedagoga que atua com professoras e alunos de uma Escola Especial para Autistas. Especialista em Alfabetização , apaixonada por crianças e livros, atuou como Formadora em Programas de Formação Continuada Municipal e Federal. Gosta mesmo é de ser Professora dos Anos Iniciais, para viver sempre rodeada de suas maiores paixões: a leitura e a escrita.

É um lindo gatinho malhado que recebeu esse nome por ser tão carinhoso que lembra o próprio doce. Ele e sua dona , a menina Celinha, estão sempre juntos em todas as brincadeiras que ela, seus irmãos e amigos inventam. São amigos quase inseparáveis. Quase inseparáveis, pois Pé de Moleque, de vez em quando, desaparece deixando Celinha triste e preocupada.
Este é um livro dedicado a todas as crianças que adoram e se preocupam com seus animais de estimação, proporcionando-lhes muito carinho e cuidados. Venha se emocionar e conhecer Pé de Moleque e descobrir o motivo de seus passeios misteriosos.

Olá Gisele. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
É uma história sobre três gatos que vivem diversas aventuras.
A ideia estava engavetada há muito tempo, é como uma homenagem aos três gatos e seus donos que realmente existiram. É um livro destinado ao público infantil, porém, acredito que todas as pessoas sensíveis e que amam animais também podem ler e se identificar com a história.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou iniciante no mundo das letras, no que diz respeito a publicar um livro, mas estou adorando a experiência. Este é o primeiro livro de muitos outros que pretendo escrever, além de realmente ser um sonho realizado.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Sei das dificuldades encontradas em nosso país com relação à leitura. No entanto, em minha profissão, sempre busquei e continuo buscando, o incentivo à leitura tentando disseminar o gosto pelos livros.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por estar sempre pesquisando, já conhecia a Scortecci. Quando resolvi buscar uma Editora para publicar Pé de Moleque, enviei um email e tive uma excelente receptividade.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim, meu livro merece ser lido, por ter uma mensagem importante sobre a adoção de animais. Uma adoção responsável e principalmente com muito amor. A mensagem que deixo aos meus leitores é justamente essa: amar e respeitar toda forma de vida. Cultivar sonhos e viver boas aventuras!

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Maria Lúcia Velho - Autora de: LÉO NA LUA

Maria Lúcia Velho
68 anos, casada, formação superior








Léo na Lua
História de um garoto que vai a Lua.











Olá Maria Lucia. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Meu livro se trata do sonho de um menino de 6 anos de ir à lua com seu grande amigo e parceiro, seu avô. A ideia surgiu pelo fato do meu neto de ter esse sonho de ir a lua. O público alvo do meu livro é qualquer pessoa, independente da idade e que tenha dentro de si a felicidade de ser uma eterna criança.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Meu projeto como escritora é escrever sempre e escrever muitos livros. Na verdade mais pela realização pessoal pois a alguns anos descobri que isso é o que amo fazer. Sim, já escrevi outro livro anteriormente, é um romance biográfico chamado "Driblando o destino". Vendi cerca de 300 exemplares.
Quanto a escrever outros livros, sim, inclusive já tenho outro em andamento.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Eu gostaria que escritores como eu, iniciantes, tivessem mais incentivos. Seria também ótimo que os brasileiros fossem mais interessados em leitura pois um país só é inteiramente livre quando seu povo é culto.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Cheguei através do Google.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro "Léo na lua", assim como o primeiro, merecem serem lidos pois sempre passam mensagens de amor, companheirismo, perseverança e otimismo. Sempre são bons exemplos pois isso que precisamos hoje em dia.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Andrea S. Volpe - Autora de: TATI, JANA E A TATURANA

Nome literário de Andrea Sampaio Volpe.
É professora, mestre em Língua Portuguesa e graduada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica (PUC).
Aos 13 anos escreveu este livro para participar de um concurso escolar. A ideia para a história se deu por conta do momento de vida em que a autora se encontrava: nos anos 1980, morava em São Paulo, no bairro do Ipiranga, num sobrado com a família e rodeada por vizinhos que formavam uma grande família.
Época que deixou muita saudade...


Retrata a história do descobrimento de palavras novas, as quais se apresentam boas como rimas, brincadeiras, e o mais importante: ajudam no enriquecimento do vocabulário da criança. Porém, dúvidas podem surgir e muitas vezes, dependendo do uso de determinada palavra, situações desconfortáveis acontecem para quem fala e para quem ouve. O livro mostra a importância da mediação do adulto neste processo para ensinar a criança a procurar o significado de uma palavra que desconheça antes de utilizá-la.

Olá Andrea. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro infantil Tati, Jana e a Taturana trata do descobrimento de uma palavra nova, cujo papel do adulto no processo para ensinar a criança a procurar seu significado é de suma importância. Este livro foi escrito quando estava na fase da adolescência. A ideia de publicá-lo surgiu após ter concluído minha dissertação de mestrado que, coincidentemente, trata sobre a origem de palavras. Apesar de o livro ser infantil, a obra destina-se não somente às crianças, mas também aos adultos que, como previamente mencionado, desempenham o papel de mediadores no processo de aprendizagem da criança.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou professora, mestre em Língua Portuguesa. Tati, Jana e a Taturana é meu segundo livro. Meu primeiro livro trata sobre como procurar um emprego. As duas obras procuram passar a mensagem ao leitor de forma objetiva e simples. Espero escrever mais livros no futuro.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acredito que o exemplo é uma das melhores formas de se introduzir algo em uma sociedade. Tenho observado que as pessoas estão lendo mais, porém precisamos de mais incentivo, seja do governo, da escola, da família, dos amigos e, com isso, aos poucos conseguiremos atingir nossa meta. O escritor faz a sua parte que é transmitir ao público uma mensagem que contribuirá de alguma forma. No entanto, deve-se ter em mente que o processo não é a curto prazo.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Após uma longa procura por editoras que publicassem livros infantis, encontrei a Scortecci pelo Google.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Todos os livros merecem ser lidos! O meu merece, pois apesar de ser uma história simples, ela realmente aconteceu e além disso, mostra não somente a importância do uso de um vocábulo, mas de acordo com quem já o leu há outra mensagem nele inserida..

Obrigado pela sua participação.

Leia Mais ►

Antologia - O Construtor de Amigos - Vários autores

Aldo Carpinetti, Alexandra Jacob, Américo Correia da Silva Filho, Anselmo Cabral, Antonio José de Oliveira Costa, Antônio Melo, Arlene Padrão, Carlos de Morais, Carlos Frederico, Carolina, Christiane de Murville, Cláudia Gomes, Cloris Maria Souza Peres, Cristina Biazetto, Daniel Genovez, Dany Wambire, Darlan Zurc, Deilza Lessa, Edvaldo Casemiro, Elianete Vieira, Elisa Marques, Evandro Nunes, Flavia Zogbi, Graziella Tognetti, Henrique Gondim, Henrique Ramos de Souza, Ivaneide Barboza, Jacyra Carneiro Montanari, João Scortecci, José Augusto Fontes, Linaldo Costa, Lúcia Vasconcelos, Márcia Dias, Maria Gravina Ogata, Maria Olga de Oliveira Lima, Marina Marino, Marizzia Cezare, Marli Reis Santos, Miranda Castro, Mirian Menezes de Oliveira, 
Nanna Fazzio, Nelson Maria Brechó da Silva, Nilda Antunes Lanyi, Olynda Bassan, Pierre-Richard, Quinho Caleidoscópio, R. M. Angelo Felipe, Regiluz Vieira, Robson Miguez, Rogério Duarte Fernandes dos Passos, Rômulo Caixeta, Rossidê Rodrigues Machado, Roswyta Ribeiro, Ruy Guilherme Cardoso Matos, Silmara Cosme Cravo, Simone Moura, Tauã Lima Verdan Rangel, Tropeiro Velho, Valeria Baganha, Walter Pantoja.

Coordenação: Roswyta Ribeiro
A Scortecci Editora edita, imprime e comercializa livros em pequenas tiragens desde 1982. Recebeu os prêmios: Jabuti (Câmara Brasileira do Livro), APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), FBN (Fundação Biblioteca Nacional), ABL (Academia Brasileira de Letras) e PEN Clube. Foi finalista do Prêmio Jabuti (Câmara Brasileira do Livro) por mais sete vezes nas categorias: Poesia, Contos, Reportagem e Adaptação. A Scortecci Editora é associada da CBL (Câmara Brasileira do Livro), Abigraf (Associação Brasileira da Indústria Gráfica), ABTG (Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica) e SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros). Possui gráfica própria com tecnologia digital, acabamento de qualidade, sofisticado controle de vendas online e central de logística com infraestrutura completa para atender pedidos de qualquer lugar do Brasil. Tem parceria institucional com a Canon do Brasil desde 2008, para impressão de livros em preto e branco e coloridos com equipamentos de última geração, e com a Bignardi Papéis desde 2017, para fornecimento de papéis editoriais Book Millennium (slim e bold) para livros. Desde 1994, a Scortecci marca presença na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com estande próprio e programação intensa. Foram treze participações, de 1994 a 2018, e uma participação no Salão do Livro de São Paulo em 1999. Fazem parte do Grupo Editorial Scortecci: Scortecci Editora, Gráfica Scortecci, TV Livro, Fábrica de Livros (plataforma de autopublicação para autores), Print on Demand (serviço de impressão para editoras e distribuidoras), Portal Amigos do Livro, Portal do Escritor, Blog do Escritor, Site Publique seu Livro, Livraria Asabeça e Espaço Scortecci (local para lançamentos de livros, exposições, palestras, workshops, cursos, treinamentos, reuniões e saraus).
Leia Mais ►

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Entrevista com Maria Lucia Moyses Ruiz - Autora de: POR TODO O INFINITO

Nasceu em São Paulo, em 06/09/1962. É formada em processamento de dados e psicologia com especialização em neuropsicologia e reabilitação cognitiva. Trabalha em clínica particular. Autora das obras “Você me conhece?”, “E viveram felizes para sempre” e da coleção DEZequilíbrios, com seis livros já publicados.





Adriana acorda confusa e aterrorizada. Não sabe onde está, o que lhe aconteceu, nem se lembra dos eventos da noite anterior. É invadida por um misto de angústia e medo enquanto as pessoas que a cercam, bem como o leitor, tentam desvendar o mistério.
O livro, assim, se desenrola entre o passado e o presente, contando uma história de amor e ódio entre os protagonistas Adriana e Paulo, começando quando eles se conhecem e prosseguindo até os dias atuais.
Como toda história de amor, no começo é tudo maravilhoso e fascinante. Até mesmo as brigas, cada vez mais sérias por parte de Paulo, são relegadas a segundo plano pelo amor de Adriana. Com o casamento, no entanto, os desacertos vão se consolidando e o que era exceção passa a ser regra. O opressor e a vítima trocam constantemente de papel e o relacionamento se transforma num jogo de poder onde os dois só têm a perder.
Ciúmes, inseguranças, personalidades fortes, egoísmo, tudo isso se mistura em um quadro que dificilmente poderia acabar bem.
O que realmente aconteceu com Adriana? O que deu errado naquela noite?
Este livro, o primeiro da série DEZequilíbrios, também entra no fascinante mundo de Renata, médica psiquiatra que, além de tratar de seus pacientes, tem que lidar com os problemas de sua própria vida pessoal.

Olá Maria Lucia. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Este livro faz parte da coleção DEZequilíbrios que é uma série de 10 livros onde cada um fala de um transtorno mental, sob a forma de romance e suspense. A ideia é que o leitor tente descobrir qual é o transtorno e aprenda mais sobre o assunto de uma forma leve e interessante. O primeiro livro da série, "Por todo o infinito", conta a conturbada história de amor entre Adriana e Paulo. Como toda história de amor, no começo tudo é maravilhoso e fascinante. Até mesmo as brigas, cada vez mais sérias por parte de Paulo, são relegadas a segundo plano pelo amor de Adriana. O tempo, no entanto, é implacável levando oprimido e opressor a se revezarem até um final trágico. Este livro, como todos da coleção se destina a qualquer pessoa que goste de uma leitura envolvente e com uma abordagem diferente.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou psicóloga, neuropsicóloga e escritora. Antes da coleção DEZ equilíbrios, publiquei dois livros: "Você me conhece?" e "E viveram felizes para sempre". Então, surgiu a ideia da coleção que já tem os seis primeiros livros publicados e os outros quatro já escritos. Não pretendo parar de escrever nunca. Não plantei nenhuma árvore e não tenho filhos. Os livros são minha vida, minha paixão.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Infelizmente, não são muitas pessoas que leem no Brasil, que valorizam a literatura e incentivam a arte. É uma vida difícil, mas não me impede de continuar tentando levar conhecimento ao máximo de pessoas possíveis. Os livros são eternos e a situação no Brasil pode um dia mudar.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através da Internet. Então, fui ao local conhecer e gostei muito da estrutura e das pessoas que me atenderam. Estou muito satisfeita.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro ensina enquanto entretém. Hoje em dia, a saúde mental, não só no Brasil, mas em todo o mundo está muito debilitada e a falta de conhecimento gera preconceitos e estigmas. Crianças com TDAH ou dislexia são taxadas de burras. Pessoas com depressão são estigmatizadas como fracas, sem força de vontade. Muitos indivíduos estão sofrendo com síndromes do pânico ou fobias e não sabem o que fazer. A falta de informação gera um sofrimento a mais para quem sofre de algum transtorno ou vive ao lado de alguém assim. Meus livros são obras de ficção que unem o romance ao suspense psicológico. São gostosos de ler, rápidos e elucidam diversas dúvidas sobre o assunto. Conhecimento é ouro e poder conhecer através de uma leitura leve e envolvente vale a pena.

Obrigado pela sua participação.


Leia Mais ►

Entrevista com Cida Novaes - Autora de: HISTÓRIAS DE NICA

Nome literário de Maria Aparecida Novaes
É natural de São Paulo/Capital. Formada em Serviço Social e Pedagogia, com Especialização em Administração Hospitalar e Gestão de Pessoas em Saúde, pela Faculdade de Saúde Pública da USP. Servidora Pública Estadual. Atua na área de Gestão de Pessoas, Secretaria da Saúde. Entre as áreas, destacam-se os Centros de Convivência Infantil, espaços destinados ao cuidado de filhos/filhas de servidores ou responsáveis legais.


O livro traz como protagonista, uma menina de seis anos, muito esperta e criativa. Tem características próprias, pele cor do chocolate, cabelos crespos e olhos negros. Gosta de brincadeiras ao ar livre, jogos e livros de histórias. Neste livro registra três histórias: "Nica e o monstro da porta prateada" que retrata o medo criado a partir de uma fantasia; "Nica e o doce de leite da Tia Maricota" com uma receita maravilhosa; e "O aniversário de Nica e a borboleta azul" que aborda como tema a diferença.



Olá Maria Aparecida. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro retrata três histórias da protagonista Nica. Uma menina de seis anos, muito esperta e criativa, com pele cor de chocolate, cabelos crespos e olhos negros e brilhantes. Surge da observação do reduzido número de protagonistas negras nas histórias infantis.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Natural de São Paulo/Capital. Formada em Serviço Social e Pedagogia, com Especialização em Administração Hospitalar e Gestão de Pessoas em Saúde, pela Faculdade de Saúde Pública da USP. Servidora Pública Estadual. Na Secretaria da Saúde, atuo na área de Gestão de Pessoas e neste universo, houve possibilidade de desenvolver e gerar conteúdos técnicos.
“Histórias de Nica” foi o primeiro livro infantil, a primeira experiência e, por meio dela foi possível adentrar ainda mais neste mundo, tão presente na minha vida. A avaliação de alguns leitores fundamentalmente crianças, me estimulam a pensar em novos projetos. Um compromisso e engajamento social pela ampliação da representatividade de crianças negras em histórias infantis.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Verdade, a introdução da leitura para as crianças ainda se dá pela escola e por meio delas podem ser estimuladas ou desestimuladas. Quando criança fui estimulada pela minha mãe, a leitura. Escutar as histórias, observar as imagens e posteriormente fazer a própria leitura dos textos, permitiu trabalhar com imaginário e desenvolver a criatividade. Daí a importância de envolver a família neste processo, principalmente no nosso país.
Observa-se um pequeno crescimento no consumo do livro infantil, fundamentalmente por atividades escolares. Espero que seja ampliada a participação da família na aquisição e leitura; e, que também se ampliem os conteúdos de livros infantis com protagonistas de características físicas de Nica.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por meio de uma pesquisa pela internet com o descritor “melhores empresas para edição de livros infantis”. Ao apresentar e discutir o projeto do livro, com a Editora Chefa do Pingo de Letra, entendi que havia feito à escolha certa.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Porque foi um projeto desenvolvido ao longo de um ano e elaborado com muito cuidado, visando ampliar a representatividade de crianças negras em temas pouco trabalhados na literatura infantil. A mensagem deste livro é o da possibilidade, despertando para a criação de outros contextos históricos. Leiam e se encantem com “Histórias de Nica”.

Obrigado pela sua participação.

 

Leia Mais ►

domingo, 21 de julho de 2019

Entrevista com Luiza Elena Valle - Autora de: O TESOURO DO SONO

Nome literário de Luiza Elena Leite Ribeiro do Valle.
Doutora e Mestre em Psicóloga, Especialista em Psicopedagogia e Clinica, Especialista em Psicologia do Sono, Escritora, Organizadora e autora de livros científicos e artigos de revistas.






Venha se divertir com as Aventuras da Turma do Futuro Verde para descobrir o Tesouro do Sono.






Olá Luiza. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
É um livro infantil, mas acredito que interessa muito aos pais, porque o assunto é sério: “O Tesouro do Sono”. O sono é essencial na vida das pessoas e depende de hábitos que precisam de cuidados desde cedo, mas que caminham na contramão da corrida nas atividades diárias. Não sem motivo, especialistas, como eu, se preocupam porque a qualidade de vida, saúde, aprendizagem, memória, bom humor, relacionamentos e tudo mais que realizamos despertos, está diretamente ligado ao sono. Crianças não gostam de dormir, mas com esse livro elas poderão entender sua importância e não entrar nas estatísticas de pessoas dependentes de medicação para dormir.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Adoro a ideia de que seja o primeiro de muitos livros infantis! Já plantei árvores e tenho três filhos e muitos netos! Fiquei tão animada com o livro que, pela primeira vez, o texto aparece em três línguas! É que acredito muito na curiosidade natural infantil! Aprendizagem é indispensável na infância, mas não é preciso sufocar as crianças com muitos cursos para conseguirem o que eles fazem naturalmente, quando interessados. Aprendem até o que não devem! Pense no quanto descobrir cedo que existem outras línguas pode mudar nosso relacionamento com o mundo! O desenvolvimento intelectual da criança depende dos estímulos que ela recebe, especialmente, quando está motivada, nessa fase em que a imaginação cria novas conexões neurais no cérebro, rapidamente. A capacidade do cérebro supera limites conforme é ativado por informações adequadas e isso muda a vida toda!

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Bem, esse é o desafio! Na verdade, o Brasil é um país onde a Educação se classifica entre as piores no mundo, especialmente em relação à leitura, escrita e interpretação de textos, de acordo com estatísticas oficiais (INEP): 54,73% dos alunos acima dos 8 anos apresentam nível baixo de leitura; uma em cada cinco crianças de oito anos não consegue ler uma frase inteira. Esse meu primeiro livro infantil faz parte de um projeto de Alfabetização denominado “Revolução das Letras”, que pretende a inovação necessária na educação de crianças que se encantam com a tecnologia atual, embora algumas detestem ler e estudar, porque essas atividades escolares não acompanharam os avanços de hoje. Os personagens da “Turma do Futuro Verde” têm a missão de mudar esses valores e despertar a criança fantástica que se depara com recursos disponíveis nos novos tempos, promovendo, ainda, o acolhimento de diferenças, tornando nossa sociedade mais forte e solidária.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Sou fascinada pela literatura e aproveito algumas possibilidades que a Scortecci oferece a escritores! Sou autora e organizadora de diversos livros e artigos científicos e faço parte da família de escritores Scortecci há muito tempo... A Editora merece toda admiração pela forma como trata essa riqueza, que é a literatura!

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Ler o “Tesouro do Sono” é participar de um grande plano de muito amor pelas crianças brasileiras. Meus netos adoraram! Desejo que as crianças gostem e, além de descobrir que podem fazer parte de aventuras, contribuindo com nosso desenvolvimento social, aprendam a valorizar o carinho dos pais e a respeitar suas orientações. Uma dica: aquele costume de contar histórias antes de dormir pode se tornar um momento inesquecível! Pretendemos que esse seja o primeiro de muitos livros infantis e vamos gostar muito de receber comentários e sugestões de temas. Saudações Literárias!

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

domingo, 30 de junho de 2019

Entrevista com S. Rodrigues - Autora de: FALABELLA A BORBOLETA AZUL E GINA FORMIGUINHA

Nome literário de Sandra Maria Sampaio Rodrigues.
Nascida em Caucaia - Ceará em 16/09/1966. Artista plástica, ilustradora e escritora. Primeiro livro infantil (Falabella a borboleta azul e Gina formiguinha) e vários prontos a caminho. Participação em antologias em 2018 nas coletâneas Mãe Antologia Poética e coletânea Elas e as Letras da Editora Versejar, coletânea Aquarela de Emoções, Editora Darda, Antologia Art' em Versos e Cartas Poéticas da UNY Editora, Antologia Eternizei nesse Jardim/Ebook da Editora Clube dos autores, Antologia Poética da UBE (União Brasileira de Escritores SP), Antologia Logo e Fenix da Revista Cultural eis FLUÊNCIA em junho/julho/agosto 2018 , Conexões Atlânticas Brasil/Portugal Antologia III , Antologia Ecos do Nordeste Brasil/Portugal da Editora In-Finita, Participações em 2019 na Antologia Deusas da Poesia e Caratas poéticas 2º ed. - Compose Edições Literárias. Participação com Ilustrações na Antologia de Poesia Infantil , Mulherio das Letras.

Essa é a história de duas criaturinhas bem diferentes uma da outra. Diferentes na forma de viver, em seus hábitos, desafios e a visão que tem do mundo ao seu redor. Criaturinhas que encontramos em nosso quintal, em meio as flores de nosso jardim. Necessárias e importantes na natureza!







Olá Sandra. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Meu livro conta um pequeno acontecimento entre dois bichinhos existentes em nossos jardins, diferentes em espécie e em suas formas de viver. Gosto muito de cuidar de plantas, flores muitas, vivo entre as borboletas. Gosto da curiosidade, perspicácia e da inocência tão sábia das crianças. O livro é destinado aos pequenos de 1 a 4 anos de idade, fase da curiosidade, das descobertas. Boa para entender a natureza.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Escrevo a muitos anos, poemas, contos, crônicas e contos infantis. No ano de 2018 participei de várias coletâneas com poemas. Quanto ao livro infantil, esse é o primeiro lançado, alguns já prontos para saírem da gaveta.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Triste perceber o desinteresse da criança por uma boa história com tantos aparelhos eletrônicos, onde tudo é fácil e acelerado, também a falta de incentivo dos pais, já habituados com as facilidades desses aparelhos. Aos escritores é preciso buscar novas estratégias atraentes em meio a tanta tecnologia. Complicado ao mesmo tempo interessante!

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Conheci a Scortecci Editora através do saudoso amigo e escritor Caio Porfírio, na época revisava um livro meu de poemas.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro merece ser lido pelos pais aos pequenos, deixá-los curiosos quanto a natureza e seus seres, vezes ou outras invisíveis por tantos, pois é bela e há muita vida!
Mensagens aos pequenos: “Vamos olhar mais para o céu em dias de chuva, nas flores em meio as plantas, variadas historinhas se passam por ali.” Já pensaram aonde se escondem os bichinhos quando está chovendo? Beijinhos carinhosos!!

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Entrevista com Regina Márcia - Autora de: A GRANDE AVENTURA DE CHAPEUZINHO DOURADO E O LOBO

Nome literário de Regina Márcia Ramos Fernandes.
É graduada em Pedagogia, pela USP, pós graduada em Psicopedagogia, especialista em alfabetização, desenvolve projetos psicopedagógicos no âmbito de dificuldades e ou defasagens na aprendizagem. Fascinada por histórias Infantis possui obras temáticas enfatizando a importância da oralidade, da leitura, da escrita e da imaginação ao universo infantil. Após a publicação de sua primeira obra, tornou-se Contadora de Histórias, levando seu enredo aos eventos culturais públicos e privados.


No cenário, a autora fomenta amizade, diversão e aprendizagem desvendadas pelas curiosidades e interesses permeados por registros de momentos inesquecíveis sobre a diversidade da vida na floresta.








Olá Regina. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A obra “A Grande Aventura de Chapeuzinho Dourado e o Lobo - Um dia inesquecível na floresta”, trata-se de um enredo, que enfatiza valores éticos como a amizade relacionada ao carinho, confiança e o respeito ao meio ambiente, sendo estes valores os responsáveis por uma grande empatia entre os personagens da narrativa, a qual vislumbra possibilidades fantásticas em curiosas descobertas no meio da floresta, onde o sincero laço afetivo pode proporcionar grandes aprendizados vivenciados por aventuras possíveis a transposição aos conhecimentos em diversos âmbitos da vida.
A ideia surgiu pela aceitação da obra anterior, cujo título é “Chapeuzinho Dourado e o Lobo”, que trouxe o rompimento de estereótipos entre os personagens, supridos por valores como a identidade, o amor, a cooperação através vínculos familiares, proporcionando aos leitores do cenário infantil, possíveis analogias protagonizadas na era contemporânea. 

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Por opção meu projeto é continuar escrevendo, proporcionando ao público infantil através da leitura, possibilidades de desvendar novas emoções, de presumir várias direções almejando a transformação de leitores proficientes sob a construção definitiva de sua própria existência.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Neste sentido o escritor deve ter uma visão sistemática e se colocar como promotor de mudanças essenciais, precisa acreditar e escrever, apesar da realidade banal pela leitura, a literatura precisa ser dinamizada e revolucionada em busca de visibilidade e aplausos, considerando sua magnitude atualmente ofuscada nesta escassa era leitora.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Meu primeiro contato com a Editora Scortecci, foi através do lançamento de uma Obra Poética a convite do próprio autor.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim! Meu livro deve ser lido, pois seu tema principal enfatiza importantes questões ambientais e valores éticos como a amizade verdadeira, a importância da empatia para o bom relacionamento, o respeito e harmonia do habitat animal, numa intencionalidade a despertar no leitor, de forma descontraída interesses a conhecimentos curiosos sobre a fantástica vida na floresta e descobrir os encantos da natureza, por meio de vivências e inferências realizadas no meio ambiente.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Hélios Montana - Autor de: ATELIER DAS LETRAS


Hélios Montana
Pseudônimo de Paulo Sérgio da Silva, nasceu em Bom Retiro, em 12 de outubro de 1958, e tem três filhos. É graduado em Ciências Naturais pela FEARPE e também em Ciências Físicas e Biológicas pela UFSC. Especializou-se em Ciências do 2ª grau pela UDESC e por aproximadamente três décadas lecionou Ciências Biológicas no ensino médio, no Instituto Federal de Santa Catarina. Sempre foi amante das palavras e nos últimos cinco anos vêm se dedicando mais intensamente às poesias e aos pensamentos.



A obra Atelier das Letras em suas poesias com refinadas palavras, traz rimas meticulosamente combinadas,apontando para a importância que devemos dar àquilo que rotineiramente chamamos de pequenas coisas, mas que na verdade são as que trazem a verdadeira felicidade.







Olá Helios. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro " Atelier das Letras" é uma obra de poesias confeccionadas com rimas métricas, palavras refinadas meticulosamente combinadas apresentando em todas as suas estrofes quartetos. Com exceção de alguns tributos dedicados, todas as demais poesias apresentam uma temática bastante variada, onde são abordadas coisas simples do cotidiano e da natureza de uma forma leve, agradável e ao mesmo tempo reflexiva. Ressalta-se que apesar de apresentar rimas métrica que são características da poesia clássica, também não deixa de fazer novas experimentações de combinação concomitante as rimas. Portanto, ao mesmo tempo que vem carregada de influências da poesia mais clássica, também se apresenta quebrando regras rígidas, tal qual ocorreu já no movimento literário romântico e ratificado de forma contundente no movimento literário modernista e contemporâneo. 
Quanto a ideia de escrever este livro, na verdade já vem de longa data. Desde muito jovem já me enveredava a escrever e com a aproximação de minha aposentadoria e também incentivado pelo meu filho primogênito Paulo Sérgio, que também é escritor, retomou-se a esta arte de escrever e tudo se tornou possível. 
Com relação ao público a que se dedica, registro que a poesia é um gênero literário que, comprovadamente, é aceito por todos aqueles que gostam de literatura, independente da idade. Portanto, se destina a todos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Minha experiência em escrever já ocorre desde muito jovem. Na medida que se aproximava o tempo de me aposentar, eu ia retomando a arte de escrever mais intensamente. Em 2015, após 37 anos no exercício no magistério, passei a escrever muito intensamente. Inclusive, possuo material de poesia para mais uma obra, já na perspectiva de formar, quem sabe, uma trilogia. Além das poesias, também tenho concluídas algumas crônicas. Portanto, espero que este seja apenas o primeiro de muitos outros que estão por vir.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A literatura é e sempre será uma ferramenta precípua para transformações, tanto a nível individual como para a sociedade como um todo. Urge sim, uma atenção nas escolas e até mesmo de políticas públicas efetivamente produtivas para incentivar e propiciar uma cultura que, necessariamente passe pela leitura. Tudo isto, com certeza, tem relação com os novos tempos cuja tecnologia digital, na minha opinião, afetou muito, especialmente estas novas gerações. Isto significa que há a necessidade dos escritores se reinventarem na maneira de divulgar e apresentar as suas obras. Também vejo a necessidade de quebras de certos paradigmas nas escolas no sentido de realmente fazerem com que os alunos criem gosto pela leitura e, principalmente fazendo-os distinguirem nitidamente as diferenças entre facilidades tecnológicas de literatura. É claro que o escritor deve sempre apresentar boas histórias, bons conteúdos sempre no sentido de atrair a atenção do público leitor, pois a era digital já está presente e deve ser enfrentada com criatividade, tanto por parte dos escritores quando por parte das instituições de ensino.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Fiquei conhecendo a editora através da Kathya de Oliveira Cardoso que publicou algumas poesias na editora. Recebi muitas informações dela, inclusive da iniciativa desta editora de publicar poemas e outros gêneros numa antologia com novos escritores. Então em 2011, incentivado por Kathya e pelo meu filho, que já lançou um livro, enviei a esta editora dois poemas que foram na época selecionados e publicados. A partir daí fiquei mais inteirado as ações da editora.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Toda literatura deve ser lida, justamente para que se possa ter uma visão ampla e holística do todo e também para poder julgar o que é proveitoso e profícuo daquilo que não é. O livro "Atelier das Letras" traz um conteúdo leve, atemporal, estético e cativante que visa levar o leitor a refletir acerca de muitos temas. Procura mostrar através da poesia que as coisas mais simples e rotineiras que existem, quando observadas com atenção podem nos levar a refletir e constatar que a felicidade muitas vezes é encontrada nas chamadas pequenas coisas. A obra mostra sempre coisas belas, simples e verdadeiras evitando mostrar tristezas ou aquilo que possas refletir algum sofrimento, pois isto a realidade já nos mostra constantemente. Além do exposto, propõe uma literatura em que o leitor possa "viajar" junto com a narrativa ou então imaginar nitidamente a situação retratada que está sempre priorizando tudo o que é belo. Mostra uma literatura que conserva muitos traços dos movimentos literários clássicos, mas também deixa claro uma tendência contemporânea. Por fim, que o leitor possa se deleitar com poesias leves, belas, reflexivas e atemporais e com elas perceber que tudo pode se tornar alegria, felicidade e beleza, bastando para isso, apenas direcionar o ângulo do seu olhar. Que o leitor compreenda com sinceridade que a vida é bela e que ele pode vivenciá-la da melhor forma possível.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►