domingo, 21 de abril de 2019

Entrevista com Adalberto F. N. Telles - Autor de: VERSOS DE VERSOS TEUS OU OS VERSOS QUE VOCÊ ME DEU

Nome literário de Adalberto Franco Netto Telles.
Nasceu em 21 de maio de 1958 na cidade do Rio de Janeiro e vive em São Paulo. Formou-se em Engenharia Mecânica na Universidade Católica de Petrópolis e é Mestre em Administração pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo. Trabalhou na área financeira de diversas empresas e também foi professor universitário, atuando hoje na área de consultoria empresarial. versos de versos teus ou os versos que você me deu é seu quinto livro sendo precedido por Finito (2010), Poesia Cotidiana (2005), Dos Homens e dos Movimentos (1983) e Tropeções e Esquecimentos ou Outros Tipos de Descobertas (1981).

Este livro é um agradecimento a Manuel Bandeira. Mas por que um agradecimento? Porque tive a sorte de ser apresentado a Manuel Bandeira no início de minha adolescência e, desde então, ele foi meu constante companheiro de viagem nas mudanças que vieram com o tempo: na adolescência plena, na vida adulta, no desenvolvimento dos filhos e na maturidade. Companheiro silencioso, atento e confiável que esteve e sempre estará presente nos meus momentos de alegria e tristeza, reflexão e sobriedade.
Reúno neste livro poemas escritos, desde o início dos anos 80, os quais, de alguma forma, fazem referência à poesia de Bandeira ou mencionam o seu nome, como, por exemplo, em mensagens de felicitações ou pedido de compreensão. Dessa forma, Manuel Bandeira é, de verdade para mim, uma estrela da vida inteira, e o que busco fazer neste livro é, humildemente, tentar despertar nos seus possíveis leitores a vontade de ler os poemas deste que é um dos maiores poetas brasileiros de todos os tempos.
Espero que gostem dos poucos versos que aí vão, mas que compreendam que no lugar de outros é que os ponho, pois nenhum deles poderá ser melhor dos que os seus sonhos venham a construir; aqueles em que deixarão pulsar suas palavras. Pois sei que será nessa busca que encontrarão outros poetas e suas vidas ficarão cheias de tudo aquilo que vale a pena ser sentido e vivido.

Olá Adalberto. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
versos de versos teus ou os versos que você me deu” é um livro de agradecimento a um dos maiores poetas brasileiros: Manuel Bandeira. Nele constam os poemas que fiz desde o início dos anos 80 até agora que, de alguma forma, tomaram como referência a sua obra ou mencionam o seu nome. Contudo, não se trata de um livro preconcebido. Longe disto, em um determinado momento senti a necessidade de agradecer por ter conhecido os poemas de Bandeira no início de minha adolescência e a sua influência em minha vida ao longo de diversas décadas e resolvi, então, dar a este agradecimento, a forma de um livro. Contudo, o meu desejo é ir um pouco a frente com este agradecimento e também tentar, humildemente, despertar no leitor a vontade de conhecer a poesia de Bandeira. O livro não é dirigido a um determinado público alvo e, dada a sua estrutura, pode vir a interessar tanto a jovens quanto a adultos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Este é o meu quinto livro, mas não tenho um projeto de continuidade. Se, entre meus escritos futuros, encontrar um conjunto de poemas bons e que valem a pena vir a ser publicados, talvez eu venha a fazer isso ou talvez não. A poesia possui o seu próprio tempo de maturação e publicação.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acredito que a vida de grande parte das pessoas neste mundo não seja muito fácil. Muitos lutam para simplesmente sobreviver, outros lutam para vencer alguma tristeza ou desilusão, outros para poder se expressar com liberdade, e assim caminham as coisas. No caso do escritor brasileiro que depende somente de seus livros para sobreviver, existe a incorporação de muitos desses fatores e de outros, como, por exemplo, de que forma vencer a falta de habito da leitura e o ainda baixo nível educacional da população. Esses fatores exigem do escritor um forte dispêndio de energia, uma constante busca para entender de que modo ele pode vencer num mercado tão difícil, mas se é da escrita que ele quer viver, deve buscar os melhores caminhos para realizar os seus objetivos. Um ponto importante que se deve observar: essa não é uma dificuldade restrita aos escritores atuais. Tomemos Manuel Bandeira como exemplo: muitos dos seus livros publicados foram financiados por recursos próprios ou coletados junto a amigos. Somente a constância de propósito aliada ao forte sentimento que o unia a poesia, bem como, a inegável qualidade do que ele escrevia, podem explicar a sua persistência em continuar o ato de buscar publicar os seus poemas. E essa foi a luta de uma vida inteira.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Este é o terceiro livro que publico com o apoio da Scortecci. Quando estava pesquisando de que forma publicar o primeiro deles, “Poesia cotidiana” (2005), recebi a indicação da Scortecci como uma boa editora, o que de fato estava correto, pois os serviços prestados por ela são excelentes.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim, como todo autor, acredito que meu livro mereça ser lido, no entanto, desejo que meus leitores compreendam que os poucos versos que estarão lendo na verdade em lugar de outros é que os ponho, pois nenhum deles poderá ser melhor do que aqueles que os seus sonhos venham a construir; aqueles em que deixarão pulsar suas palavras. Essa busca por colocar no papel os seus próprios versos, levará, consequentemente, ao leitor a ler outros poetas e, para mim, será uma felicidade se Manuel Bandeira for um dos primeiros.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário