segunda-feira, 10 de junho de 2019

Entrevista com Hélios Montana - Autor de: ATELIER DAS LETRAS


Hélios Montana
Pseudônimo de Paulo Sérgio da Silva, nasceu em Bom Retiro, em 12 de outubro de 1958, e tem três filhos. É graduado em Ciências Naturais pela FEARPE e também em Ciências Físicas e Biológicas pela UFSC. Especializou-se em Ciências do 2ª grau pela UDESC e por aproximadamente três décadas lecionou Ciências Biológicas no ensino médio, no Instituto Federal de Santa Catarina. Sempre foi amante das palavras e nos últimos cinco anos vêm se dedicando mais intensamente às poesias e aos pensamentos.



A obra Atelier das Letras em suas poesias com refinadas palavras, traz rimas meticulosamente combinadas,apontando para a importância que devemos dar àquilo que rotineiramente chamamos de pequenas coisas, mas que na verdade são as que trazem a verdadeira felicidade.







Olá Helios. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro " Atelier das Letras" é uma obra de poesias confeccionadas com rimas métricas, palavras refinadas meticulosamente combinadas apresentando em todas as suas estrofes quartetos. Com exceção de alguns tributos dedicados, todas as demais poesias apresentam uma temática bastante variada, onde são abordadas coisas simples do cotidiano e da natureza de uma forma leve, agradável e ao mesmo tempo reflexiva. Ressalta-se que apesar de apresentar rimas métrica que são características da poesia clássica, também não deixa de fazer novas experimentações de combinação concomitante as rimas. Portanto, ao mesmo tempo que vem carregada de influências da poesia mais clássica, também se apresenta quebrando regras rígidas, tal qual ocorreu já no movimento literário romântico e ratificado de forma contundente no movimento literário modernista e contemporâneo. 
Quanto a ideia de escrever este livro, na verdade já vem de longa data. Desde muito jovem já me enveredava a escrever e com a aproximação de minha aposentadoria e também incentivado pelo meu filho primogênito Paulo Sérgio, que também é escritor, retomou-se a esta arte de escrever e tudo se tornou possível. 
Com relação ao público a que se dedica, registro que a poesia é um gênero literário que, comprovadamente, é aceito por todos aqueles que gostam de literatura, independente da idade. Portanto, se destina a todos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Minha experiência em escrever já ocorre desde muito jovem. Na medida que se aproximava o tempo de me aposentar, eu ia retomando a arte de escrever mais intensamente. Em 2015, após 37 anos no exercício no magistério, passei a escrever muito intensamente. Inclusive, possuo material de poesia para mais uma obra, já na perspectiva de formar, quem sabe, uma trilogia. Além das poesias, também tenho concluídas algumas crônicas. Portanto, espero que este seja apenas o primeiro de muitos outros que estão por vir.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A literatura é e sempre será uma ferramenta precípua para transformações, tanto a nível individual como para a sociedade como um todo. Urge sim, uma atenção nas escolas e até mesmo de políticas públicas efetivamente produtivas para incentivar e propiciar uma cultura que, necessariamente passe pela leitura. Tudo isto, com certeza, tem relação com os novos tempos cuja tecnologia digital, na minha opinião, afetou muito, especialmente estas novas gerações. Isto significa que há a necessidade dos escritores se reinventarem na maneira de divulgar e apresentar as suas obras. Também vejo a necessidade de quebras de certos paradigmas nas escolas no sentido de realmente fazerem com que os alunos criem gosto pela leitura e, principalmente fazendo-os distinguirem nitidamente as diferenças entre facilidades tecnológicas de literatura. É claro que o escritor deve sempre apresentar boas histórias, bons conteúdos sempre no sentido de atrair a atenção do público leitor, pois a era digital já está presente e deve ser enfrentada com criatividade, tanto por parte dos escritores quando por parte das instituições de ensino.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Fiquei conhecendo a editora através da Kathya de Oliveira Cardoso que publicou algumas poesias na editora. Recebi muitas informações dela, inclusive da iniciativa desta editora de publicar poemas e outros gêneros numa antologia com novos escritores. Então em 2011, incentivado por Kathya e pelo meu filho, que já lançou um livro, enviei a esta editora dois poemas que foram na época selecionados e publicados. A partir daí fiquei mais inteirado as ações da editora.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Toda literatura deve ser lida, justamente para que se possa ter uma visão ampla e holística do todo e também para poder julgar o que é proveitoso e profícuo daquilo que não é. O livro "Atelier das Letras" traz um conteúdo leve, atemporal, estético e cativante que visa levar o leitor a refletir acerca de muitos temas. Procura mostrar através da poesia que as coisas mais simples e rotineiras que existem, quando observadas com atenção podem nos levar a refletir e constatar que a felicidade muitas vezes é encontrada nas chamadas pequenas coisas. A obra mostra sempre coisas belas, simples e verdadeiras evitando mostrar tristezas ou aquilo que possas refletir algum sofrimento, pois isto a realidade já nos mostra constantemente. Além do exposto, propõe uma literatura em que o leitor possa "viajar" junto com a narrativa ou então imaginar nitidamente a situação retratada que está sempre priorizando tudo o que é belo. Mostra uma literatura que conserva muitos traços dos movimentos literários clássicos, mas também deixa claro uma tendência contemporânea. Por fim, que o leitor possa se deleitar com poesias leves, belas, reflexivas e atemporais e com elas perceber que tudo pode se tornar alegria, felicidade e beleza, bastando para isso, apenas direcionar o ângulo do seu olhar. Que o leitor compreenda com sinceridade que a vida é bela e que ele pode vivenciá-la da melhor forma possível.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário