domingo, 1 de setembro de 2019

Entrevista com Remo Rabello Mesquita - Autor de: PEREGRINAR É PRECISO

Remo Rabello Mesquita
Filho de José Antonio Mesquita Campos e Maria das Dores Rabello Campos, nasceu em Três Pontas, sul de Minas Gerais. É o sétimo filho de uma família de doze irmãos e formou-se em Odontologia na Escola de Farmácia e Odontologia de Alfenas (EFOA) Minas Gerais em 1970. Casado em 1973 com Stela Maris, tem três filhos: Remo Filho, Renata e Thiago, e cinco netos. Residiu nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Passou grande parte da sua vida na cidade de Niterói, onde residiu e trabalhou durante trinta anos. Atualmente reside em Divisa Nova (MG).


Não é uma obra de ficção. No dia 13 de julho de 2007, em Niterói (RJ), o autor é submetido a uma cirurgia para a retirada de um tumor maligno na próstata. No longo e solitário período pós operatório que se seguiu, Remo mergulha nas profundezas do seu ser e se recolhe em oração e reflexão. A oração destrava as portas do seu coração. Então ele clama por misericórdia e se encontra com o Cristo Médico. A partir desse Encontro com o Divino Mestre, Médico e Salvador, Remo passa a registrar em prosa e versos a sua peregrinação pelos sinuosos e incertos caminhos da vida. Jesus, nos diz: “Vinde a mim todos que estais fadigados e sobrecarregados e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós meu jugo e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e assim encontrareis conforto para as vossas almas, pois o meu jugo é suave e o meu peso é leve!”(Mateus 11, 28-30) Assim, como bons peregrinos, alegres e confiantes, aceitemos esse convite e vamos em frente, pois PEREGRINAR É PRECISO.

Olá Remo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
PEREGRINAR É PRECISO, Reflexões de um peregrino não é uma obra de ficção. Trata-se de uma coletânea de crônicas e poesias que relatam uma caminhada espiritual, que é comum a todos nós. Pois, nos incertos e sinuosos caminhos da vida, somos todos caminhantes, peregrinos. No dia 13 de julho de 2007, em Niterói, RJ, fui submetido a uma cirurgia para tratamento de um câncer na próstata. Após um longo período de recolhimento, oração e reflexão, passei a registrar em prosa e versos, a minha peregrinação pelos caminhos da vida. Viver é caminhar. É peregrinar em busca do sentido da vida. De onde viemos? Para onde vamos? Qual é o sentido da Vida? Nós somos todos caminhantes. Somos todos peregrinos em busca do sentido da vida. Portanto, este livro se destina a todos. Se destina a homens e mulheres de todas as idades, que apesar de todas as dificuldades que surgem nessa fascinante caminhada pela vida, acreditam nas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai, senão por mim.” (João 14:6).

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Stela e eu, temos três filhos e cinco netos. Eu já plantei muitas árvores. Estou muito feliz com o Lançamento deste primeiro livro. Mais do que a realização de um sonho, o Lançamento do livro, PEREGRINAR É PRECISO... é uma grande benção. Dou graças a Deus por isso. Já existe material para o segundo livro. Contudo, nesse momento o meu objetivo é compartilhar com um maior número de pessoas essa história, essa caminhada espiritual, essa grande benção. O futuro a Deus pertence. Vamos caminhando com a graça de Deus. Para mim, cada amanhecer é um presente, uma dádiva do Criador. Eu já estou na prorrogação do jogo da vida. Passou a infância, passou a juventude, passou a meia idade. Para mim, passou o tempo da auto afirmação. Passou o tempo em que se dá muita importância ao TER. Estou no tempo da maturidade. Estou no tempo da melhor idade. É tempo de reflexão. É preciso ter as coisas básicas para se viver com dignidade. Porem, não podemos esquecer que mais importante do que TER, é SER. Por isso, em minhas orações eu clamo a Deus: Ajuda-me Senhor! A ser uma pessoa melhor a cada dia. A ser hoje, uma pessoa melhor do que ontem. A ser amanhã, uma pessoa melhor do que hoje.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
É muito triste, lamentável e extremamente grave o que ocorre no Brasil com relação a leitura. Infelizmente no Brasil a leitura é pouco valorizada. A cada dia vai se disseminando de forma avassaladora e assustadora a falta de interesse pela leitura. A tecnologia, a era digital, traz muitos benefícios, mas traz também muitos malefícios. É preciso ter muito cuidado, para separar o joio do trigo. Hoje, a facilidade proporcionada por esta tecnologia é uma faca de dois gumes. Esta sofisticada tecnologia áudio visual é muito prática, rápida e eficiente. Em pouco tempo um grande volume de informações é disponibilizado para o usuário. Em um primeiro momento parece ser tudo muito bom. Mas também pode ser muito prejudicial. Hoje as pessoas estão avessas à leitura. As pessoas não estão lendo livros. As livrarias estão fechando por falta de leitores. È extremamente grave e prejudicial a todos, trocar a leitura pela aparente facilidade desse sistema audiovisual. Se essa situação persistir para onde iremos? Sem livro não existe leitura. Sem leitura não existe reflexão. Sem reflexão não existe criatividade. Sem criatividade não existe humanidade. Sem humanidade não existe compaixão e poesia. Assim, tudo estará perdido. Estaremos assim, retornando ao tempo das cavernas.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu cheguei até a Scortecci por indicação de Priscila Tavares de Oliveira Goularte, de Três Pontas, Minas gerais. Em todas as fases do processo de edição do livro fui muito bem atendido por todos. Por isso, recomendo os serviços da Scortecci Editora.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim, o livro PEREGRINAR É PRECISO, Reflexões de um peregrino, merece ser lido porque se trata de uma história real. O livro fala de uma caminhada espiritual, que tem início quando em momento de muita dor e sofrimento, eu clamo a Deus por misericórdia e tenho um Encontro com o Cristo Médico. Na verdade, nada acontece por acaso, para aqueles que acreditam nas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo. Assim, a mensagem especial para os leitores, vem do Divino Mestre, Médico e Salvador que nos diz: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância.” (João 10:10). “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai, senão por mim.” (João 14:6). Assim, decorridos doze anos, desse extraordinário Encontro com o Cristo Médico, eu convido vocês, para que juntos, como bons peregrinos, alegres e confiantes, sigamos as pegadas do Divino Mestre. Pois, acredite, o céu começa aqui. O céu começa em você.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Aderbal Bastos Barroso - Autor de: CARVÃO ACESSO

Aderbal Bastos Barroso (Betinho de Celina)
Nascido no povoado Carrapicho, então distrito de Neópolis, hoje cidade de Santana do São Francisco (SE). Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Sergipe, graduado em Comunicação pela Universidade Tiradentes e bacharel em Teologia pelo Seminário Betel de Aracaju. Pós-graduado em Estratégia e Marketing Empresarial pela UNIT e MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas. Iniciou sua vida profissional como professor na rede municipal de ensino de Neópolis. É funcionário concursado da Caixa Econômica Federal. Membro fundador da Academia de Letras e Artes de Neópolis (ALANE), onde ocupa a cadeira I, cujo patrono é João Cabral de Melo Neto. Pioneiro nos anos 80 do Arte Literatura, caderno cultural da Gazeta de Sergipe. Publicações coletivas: Banco de Talentos, 1999, Febraban; Aperitivo Poético, 1999/2000; Revista Aracaju nº 10, 2003, Funcaju; 500 Outonos de Prosa e Verso II, 2000, Ed. Paulista/SP; Antologia do 1º Encontro Sertanejo de Escritores, 2016, Infographics Editora/SE; Antologia do 2º Encontro Sertanejo de Escritores, 2017, Infographics Editora/SE; 5º Encontro Escritores e Leitores de Sergipe, 2017, Editora Infographics/SE; Diário do Escritor, 2017, Ed. Litteris/RJ; Chuva Literária – Uma Antologia de Autores Nordestinos, da Scortecci Editora/SP, cujo lançamento ocorreu na XI Bienal Internacional do Livro de Pernambuco 2017. Organizador da revista literária Soletrando Sonhos – I Sarau Literário de Neópolis, 2017, Editora J. Andrade/SE; Antologia do 3º Encontro Sertanejo de Escritores, 2018, Editora Infographics/SE e da coletânea Inspiração, 2018, Editora Gaya/RS – uma coletânea internacional da ALPAS 21 – Academia Internacional de Artes, Letras e Ciências. Obras individuais: No Remanso do Rio, Ed. J. Andrade, Aracaju/SE, 2014; À Sombra dos Oitizeiros, Scortecci Editora, São Paulo/SP, 2017; Agridoce Melaço de Cana e Jabuticabas Maduras, Scortecci Editora, São Paulo/SP, 2017.

Vila Nova do Rio de São Francisco, Sergipe d’El Rey, ano de 1768. Ano em que a Inquisição da Igreja Católica chega e devassa as terras do sertão do Rio São Francisco e traz à tona um dos crimes nefandos mais comentados da época, envolvendo nada mais que um nobre capitão e um escravo. Ocasião em que o frei Inácio da Purificação, carmelita da Bahia, denuncia ao Santo Ofício uma série de delitos contra a fé e os bons costumes, observados na Ouvidoria de Sergipe. Segundo historiadores, esse foi o segundo crime homofóbico registrado no Brasil. Inspirado nesse fato real, que lhe serviu de mote, em Carvão aceso Aderbal Bastos Barroso executa uma construção laboriosa neste romance ficcional, que se desenrola em uma fazenda às margens do rio e aborda de forma simples e direta, mas sem perder o romantismo, as mazelas daquela época. E em um exercício de ficção procura se encontrar com a realidade daqueles tempos, de onde surge um painel de uma época dura em costumes e ao mesmo tempo transbordante de uma sexualidade reprimida que se insurgia da senzala e adentrava a casa grande.

Olá Aderbal. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Diria que este livro sempre existiu dentro de mim. Ele foi sendo formado a partir de conversas e observações na minha infância no convívio com meus bisavós e avós. Ela fala de tempos imemoriais, um tempo muito duro na lavoura de cana de açúcar que se completava na casa grande das fazendas desse nosso sertão brasileiro. Este livro é dedicado a todos os jovens e adultos que gostam da boa leitura e de mergulhar em nossa história.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Como filho de professora desde cedo fui apresentado ao mundo dos livros. Logo tomei gosto pela leitura. Este é o meu quarto livro individual, mas tenho participação em várias antologias.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Na atual conjuntura e com a atual crise no mercado editorial brasileiro é um verdadeiro desafio.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
No princípio por amigos. Este já é o meu terceiro livro com o selo da Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Logicamente que sim! O leitor vai gostar de fazer esta viagem no tempo. Desde já fico grato a todos pela leitura.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Ricardo Carneiro Leão - Autor de: NÃO TEM MAIS GOLEIRO

Dr. Poeta
O Ortopedista Poeta e Escritor
Naturalidade: Mogi das Cruzes – São Paulo
Nascimento: 13 de março de 1951
Profissão: Médico
Graduação: Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu – SP 
Especialidade: Ortopedia e Traumatologia – Sta. Casa de Ribeirão Preto – SP
Título: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOT
Religião: Espírita
Residente: Tatuapé – São Paulo – Capital
Hobby: Futebol, Música e Leitura
Time do coração: Corinthians Paulista
Casamento: 23 de janeiro de 1976
Esposa: Walquiria Corrêa Leão
Filha: Karine Carneiro Leão Morelo – Natural de Ribeirão Preto - SP
Filho: Francis Carneiro Leão – Natural de Pederneiras – SP
Genro: Marcel Morelo
Nora: Milena Aparecida Gutierrez Leão
Netos: Felipe, Lucas, Diego e Pedro
Vida literária: Teve início em 2009 – Livro de poemas Deserto de Concreto.
Obra literária: Deserto de Concreto, No Pé do Arco Íris, Rosa Vermelha, Poemas pra quem não tem tempo de ler, Poemas a quem não tem nada pra fazer, Convite, Fantasia & Realidade – Livro Um, Fantasia & Realidade – Livro Dois, Verdades Temperadas, Simplicidade, Manuel do Amor, Confusões da Minha Mente, Recanto das Marias.
Locais de trabalho: Hospital Nipo Brasileiro – Pq. Novo Mundo – Zona Norte – SP.
Prefeitura Municipal de Itaquaquecetuba - SP

Nasceu este livro de homenagens após alguns meses de haver escrito o poema que dá título ao livro Não tem mais goleiro. Poema que eu desejava não ter tido a oportunidade de escrever. Poema homenagem escrito a um jovem amigo em um momento de muita tristeza e dor. Uma homenagem que eu não gostaria de tê-la feito nas condições que me levaram à inspiração. São versos que remetem à dolorida saudade, não apenas a mim, mas a todos que formaram o grupo de amigos na Vila Esperança que anualmente se reuniam para uma partida de futebol para comemorar o aniversário do Francis, denominado Amigos do Francis equipe que o Alexandre atuava como goleiro e também a todos os familiares do Alexandre que era mais conhecido por Copo. Foi a partida precoce desse amigo, indo habitar outras esferas, que na madrugada daquele inesquecível dia de abril de dois mil e dezoito despertei para escrever essa homenagem. 
Neste livro encontramos ainda mais de cem poemas e narrativas homenageando lugares que visitamos, passeios que participamos com grupo de amigos, lembranças do eterno ídolo Ayrton Senna. Encontramos muitos poemas homenageando futuros papais e mamães, vários recém nascidos filhos de amigos que me pediam para escrever poemas para homenageá-los. Homenagens escritas para amigos e familiares em especial minha esposa Walquiria, meus filhos Karine e Francis, meu genro-filho Marcel, minha nora-filha Milena e para meus netos, na ordem que chegaram, Felipe, Lucas, Diego e Pedro. Além de homenagens a amigos e parentes que já partiram para a outra vida.


Olá Ricardo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Nasceu após ter escrito o poema que dá título ao livro: NÃO TEM MAIS GOLEIRO. Poema homenagem, escrito a um jovem amigo que deixou essa vida em decorrência de um aneurisma cerebral. Ele era o divertido goleiro da equipe Amigos do Francis, nosso filho, que se reunião para uma descontraída partida de futebol para comemorar o aniversário do Francis, quando todos eram adolescentes. Foi a partir desse triste poema que tomei a decisão de publicar muitas outras homenagens. Muitas delas escritas por encomenda.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou médico ortopedista formado pela Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu - SP. Atualmente UNESP. Pertenço à nona turma de formandos. Sou casado, temos um casal de filhos e quatro netos. Que eu me recorde, escrevo desde os meus catorze anos. Publiquei meu primeiro livro, DESERTO DE CONCRETO, em 2009. Hoje tenho catorze títulos publicados, sendo dois romance ficção. Como tenho dito e já escrito: Escrevo porque gosto e não para que os outros gostem. Tenho centenas de poemas escritos aguardando o melhor momento para publica-los.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Se alguém pretende sobreviver com rendimentos da vida literária, está perdendo tempo. Pegue uma enxada e vá para a roça. Vivemos em um Brasil sem cultura e sem interesse.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Sou cliente desde 2009, quando iludido, sem arrependimento, publiquei meu primeiro livro. Não parei mais e não pretendo parar tão cedo. Escrever, ler e publicar é uma das minhas grandes paixões. Receber um livro escrito por mim é um troféu de estimado valor, independente do resultado e sem qualquer preocupação se será ou não lido.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim. Qualquer livro merece ser lido e meus livros de poemas não escrevo para simplesmente serem lidos. Poemas devem ser sentidos pela poesia que nasce na alma de um poeta. Após ter publicado catorze títulos ainda não sei quem realmente quem são meus leitores, além de poucos amigos e parentes. A mensagem que passo é: "Se você tem tempo para perder, perca seu tempo lendo livros assim você irá ganhar seu tempo perdido".

Obrigado pela sua participação.

Leia Mais ►