domingo, 1 de setembro de 2019

Entrevista com Ricardo Carneiro Leão - Autor de: NÃO TEM MAIS GOLEIRO

Dr. Poeta
O Ortopedista Poeta e Escritor
Naturalidade: Mogi das Cruzes – São Paulo
Nascimento: 13 de março de 1951
Profissão: Médico
Graduação: Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu – SP 
Especialidade: Ortopedia e Traumatologia – Sta. Casa de Ribeirão Preto – SP
Título: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOT
Religião: Espírita
Residente: Tatuapé – São Paulo – Capital
Hobby: Futebol, Música e Leitura
Time do coração: Corinthians Paulista
Casamento: 23 de janeiro de 1976
Esposa: Walquiria Corrêa Leão
Filha: Karine Carneiro Leão Morelo – Natural de Ribeirão Preto - SP
Filho: Francis Carneiro Leão – Natural de Pederneiras – SP
Genro: Marcel Morelo
Nora: Milena Aparecida Gutierrez Leão
Netos: Felipe, Lucas, Diego e Pedro
Vida literária: Teve início em 2009 – Livro de poemas Deserto de Concreto.
Obra literária: Deserto de Concreto, No Pé do Arco Íris, Rosa Vermelha, Poemas pra quem não tem tempo de ler, Poemas a quem não tem nada pra fazer, Convite, Fantasia & Realidade – Livro Um, Fantasia & Realidade – Livro Dois, Verdades Temperadas, Simplicidade, Manuel do Amor, Confusões da Minha Mente, Recanto das Marias.
Locais de trabalho: Hospital Nipo Brasileiro – Pq. Novo Mundo – Zona Norte – SP.
Prefeitura Municipal de Itaquaquecetuba - SP

Nasceu este livro de homenagens após alguns meses de haver escrito o poema que dá título ao livro Não tem mais goleiro. Poema que eu desejava não ter tido a oportunidade de escrever. Poema homenagem escrito a um jovem amigo em um momento de muita tristeza e dor. Uma homenagem que eu não gostaria de tê-la feito nas condições que me levaram à inspiração. São versos que remetem à dolorida saudade, não apenas a mim, mas a todos que formaram o grupo de amigos na Vila Esperança que anualmente se reuniam para uma partida de futebol para comemorar o aniversário do Francis, denominado Amigos do Francis equipe que o Alexandre atuava como goleiro e também a todos os familiares do Alexandre que era mais conhecido por Copo. Foi a partida precoce desse amigo, indo habitar outras esferas, que na madrugada daquele inesquecível dia de abril de dois mil e dezoito despertei para escrever essa homenagem. 
Neste livro encontramos ainda mais de cem poemas e narrativas homenageando lugares que visitamos, passeios que participamos com grupo de amigos, lembranças do eterno ídolo Ayrton Senna. Encontramos muitos poemas homenageando futuros papais e mamães, vários recém nascidos filhos de amigos que me pediam para escrever poemas para homenageá-los. Homenagens escritas para amigos e familiares em especial minha esposa Walquiria, meus filhos Karine e Francis, meu genro-filho Marcel, minha nora-filha Milena e para meus netos, na ordem que chegaram, Felipe, Lucas, Diego e Pedro. Além de homenagens a amigos e parentes que já partiram para a outra vida.


Olá Ricardo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Nasceu após ter escrito o poema que dá título ao livro: NÃO TEM MAIS GOLEIRO. Poema homenagem, escrito a um jovem amigo que deixou essa vida em decorrência de um aneurisma cerebral. Ele era o divertido goleiro da equipe Amigos do Francis, nosso filho, que se reunião para uma descontraída partida de futebol para comemorar o aniversário do Francis, quando todos eram adolescentes. Foi a partir desse triste poema que tomei a decisão de publicar muitas outras homenagens. Muitas delas escritas por encomenda.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou médico ortopedista formado pela Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu - SP. Atualmente UNESP. Pertenço à nona turma de formandos. Sou casado, temos um casal de filhos e quatro netos. Que eu me recorde, escrevo desde os meus catorze anos. Publiquei meu primeiro livro, DESERTO DE CONCRETO, em 2009. Hoje tenho catorze títulos publicados, sendo dois romance ficção. Como tenho dito e já escrito: Escrevo porque gosto e não para que os outros gostem. Tenho centenas de poemas escritos aguardando o melhor momento para publica-los.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Se alguém pretende sobreviver com rendimentos da vida literária, está perdendo tempo. Pegue uma enxada e vá para a roça. Vivemos em um Brasil sem cultura e sem interesse.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Sou cliente desde 2009, quando iludido, sem arrependimento, publiquei meu primeiro livro. Não parei mais e não pretendo parar tão cedo. Escrever, ler e publicar é uma das minhas grandes paixões. Receber um livro escrito por mim é um troféu de estimado valor, independente do resultado e sem qualquer preocupação se será ou não lido.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim. Qualquer livro merece ser lido e meus livros de poemas não escrevo para simplesmente serem lidos. Poemas devem ser sentidos pela poesia que nasce na alma de um poeta. Após ter publicado catorze títulos ainda não sei quem realmente quem são meus leitores, além de poucos amigos e parentes. A mensagem que passo é: "Se você tem tempo para perder, perca seu tempo lendo livros assim você irá ganhar seu tempo perdido".

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário