segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Entrevista com José Renato Ferraz da Silveira - Autor de: FLORA

Nascido em São Paulo, no ano de 1978. Professor Associado II do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Maria, UFSM/RS. Doutor em Ciências Sociais (Política) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É autor de seis livros (Sob o signo da Fênix, Sob o signo das Valquírias, Sob o signo das Fúrias, A tragédia da política em Ricardo III, A tragédia da política em Ricardo II). E organizador da obra A tragédia da política (Relações Internacionais).  



O livro Flora constitui uma coletânea de poemas do professor José Renato Ferraz da Silveira ao longo de 20 anos. São poemas de amor, ternura, espiritualidade, alegria, felicidade, amizade, política, etc. Poemas que brindam à vida. Poemas que homenageiam o nosso ciclo existencial num estágio evolutivo. Poemas cheios de musicalidade, fragrância e sabores. Por fim, o livro Flora é uma homenagem ao amor. Diz o escritor C. S. Lewis sobre o amor:
O amor nos dá a impressão de estarmos voando; e então nos puxa de repente, lembrando que somos apenas balões amarrados. É uma contínua demonstração de que somos criaturas híbridas, por um lado, semelhantes aos anjos; por outro, semelhantes aos gatos”.

Olá José Renato. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro Flora constitui uma coletânea de poemas escritos por mim ao longo de 20 anos. São poemas de amor, ternura, espiritualidade, alegria, felicidade, amizade, política, etc. Poemas que brindam à vida. Pensei em reunir todos os meus poemas escritos ao longo de todo esse tempo. Essa foi a ideia capital de escrevê-lo. Destina-se a presente obra aos amantes da poesia.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou nascido em São Paulo, no ano de 1978. Atualmente, sou Professor Associado II do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Maria, UFSM/RS. Sou Doutor em Ciências Sociais (Política) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Já sou autor de cinco livros: Sob o signo da Fênix, Sob o signo das Valquírias, Sob o signo das Fúrias, A tragédia da política em Ricardo III, A tragédia da política em Ricardo II. E organizador da obra A tragédia da política (relações internacionais). Já participei de algumas antologias de poemas de algumas editoras.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não é uma vida fácil ser escritor no Brasil. Li um estudo – há algum tempo - que o brasileiro lê muito pouco (estudantes universitários leem 4 livros por ano de acordo com a pesquisa). Além disso, o atual Ministro da Economia, Paulo Guedes considera que o livro é um artigo de luxo. Isso é uma mentira, um engodo e um retrocesso civilizacional. Infelizmente, estamos na contramão da História. Isso é muito triste e desalentador. No entanto, persevero em continuar escrevendo e publicando meus livros. Faço por gosto.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Já conhecia a fama e a credibilidade da Scortecci desde que minha mãe fez um curso de escrita há algum tempo. Decidi publicar o livro Flora depois de participar da Antologia da Scortecci no ano passado.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O livro Flora merece ser lido. É um livro com bonitos poemas. Como já disse, poemas cheios de musicalidade, fragrância e sabores. Por fim, o livro Flora é uma homenagem ao amor. Diz o escritor C. S. Lewis sobre o amor:
O amor nos dá a impressão de estarmos voando; e então nos puxa de repente, lembrando que somos apenas balões amarrados. É uma contínua demonstração de que somos criaturas híbridas, por um lado, semelhantes aos anjos; por outro, semelhantes aos gatos”. O meu poema Flora é um dos mais belos dessa Antologia.

Flora
Um emaranhado de lianas, trepadeiras e orquídeas
Maravilhosas samambaias,
Jacarandás numa variedade infindável,
Jacarandá-preto, jacarandá-rosa, jacarandá roxo,
Jacarandá-espinho, jacarandá-tan, jacarandá-violeta,
Jacarandá-mocó, jacarandá-banana...
O chão é um tapete de flores caídas, de todos os tons,
O amarelo-escuro, do vermelho rubro, da cor de rosa, até o lilás
O azul celeste e o branco.
As estações e as cores mudavam.
É uma fauna tão rica e diversa,
Tatus, preguiças e tamanduás.
Pássaros, das mais vistosas plumagens,
Muitos papagaios,
Beija-flores e um infinito de borboletas azuis, amarelas...
Ao longe, avistava tucanos e o silêncio da mata feito de mil ruídos de insetos.
No meu pensamento, só existia você: minha Flora.

A capa é espetacular!!!

A mensagem que deixo aos meus leitores: Nesses tempos difíceis, que falta faz a poesia. E que papel importante ela poderia cumprir se a permitíssemos preencher alguns momentos de nossos dias, né?

Obrigado pela sua participação.

Um comentário: