sábado, 24 de janeiro de 2015

Entrevista com Desiderium - Autor de: AUTISMO E ESCAPISMO

Nasceu em Bagé (RS), na fronteira do Brasil com a República Oriental do Uruguai, em 1953. Até 12 anos de idade morou com seus pais e irmãos na zona rural do município, onde sua mãe era professora. Completou o ensino de primeiro grau na cidade de Bagé e o segundo grau em Porto Alegre. Graduou-se geólogo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e fez seu mestrado em Geofísica Aplicada na Universidade Federal da Bahia. Escreveu diversos relatórios internos, técnicos e de viagens, como funcionário da Petrobras. Autismo & Escapismo – Crônicas e indagações sobre as duas faces da síndrome é sua primeira incursão no mundo literário, narrando seu convívio e de seus familiares com o filho DH, autista.


O livro AUTISMO & ESCAPISMO - Crônicas e indagações sobre as duas faces da síndrome, aborda a vida de DH, diagnosticado como autista desde os três anos de idade, citando pequenos detalhes observados pelo pai desde antes de seu nascimento, passando por sua infância, adolescência e chegando aos dias de hoje, onde DH se encontra na idade adulta.
Relata as opiniões que a família recebeu de diversos especialistas sobre o transtorno autista, bem como os tratamentos que os mesmos aconselharam a DH, destacando os que não trouxeram os efeitos esperados e aqueles que melhoraram substancialmente a vida do jovem. O autor propõe ainda o termo “escapismo” como uma característica do transtorno, relacionado ao comportamento que alguns autistas têm de sair caminhando como se quisessem escapar de seu cotidiano. Muitas das complicadas situações vividas por DH e sua família, citadas no livro, ocorrem pelo fato de DH ser um excelente “escapista”. Esta é uma obra indispensável para os interessados neste intrigante transtorno, sejam familiares, profissionais ou mesmo curiosos.

Olá Desiderium. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro aborda a vida de DH (abreviatura do nome verdadeiro), diagnosticado como autista desde os três anos de idade. Trata-se de pequenos detalhes observados pelo pai desde antes de seu nascimento, passando por sua infância, adolescência e chegando aos dias de hoje, onde DH se encontra na idade adulta. Em cada situação narrada eu faço indagações ao leitor na esperança de obter alguma resposta para o comportamento autista de meu filho.
A ideia de escrever o livro surgiu de conversa com outros pais, que vivenciam problemas semelhantes com seus filhos autistas. O incentivo maior veio após a publicação do livro Brincanto - Autismo Tamanho Família, cujo co-autor, Argemiro de Paula Garcia Filho, é meu colega de profissão. Foi assim que conheci a Editora Scortecci.
O público a que se destina a obra é aquele que lida com o transtorno autista, seja médico, psicólogo, psiquiatra, psico-terapeuta, etc. Porém, escrevi o livro pensando em primeiro lugar nos pais dessas crianças e adultos ditos "especiais".

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Desde criança eu gostava de escrever historinhas e poesias. No entanto, acho que não teria grande futuro como escritor. A vida me levou para uma profissão científica. Sou graduado em Geologia e fiz mestrado em Geofísica Aplicada. Agora, que me aposentei, escrevi esse primeiro livro e gostei. Já escrevi o segundo que acabou de ser publicado também pela Scortecci. Tenho projetos para escrever outros mais, voltados para minha área de formação.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acho que é uma carreira bem difícil! Poucos privilegiados conseguem obter sucesso. A Internet e as chamadas "redes sociais" abocanham a maior parte do tempo dos jovens e adultos no mundo de hoje. No Brasil, onde a leitura de livros já era pouco valorizada, talvez agora fique mais difícil ainda.

 Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Como disse na primeira pergunta acima, foi através de meu colega e amigo Argemiro.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O Autismo hoje é uma síndrome bem conhecida do público não só no Brasil, mas também nos EUA e na Europa. No entanto, a despeito de tudo que já se escreveu a respeito, continua a ser um grande desconhecido em relação às causas fisiológicas ou psicológicas (mental ou espiritual) de sua origem. O meu livro é uma visão muito mais de pai, que estudou e continua interessado no assunto, do que um profissional da área médica ou psiquiátrica que pesquisa a fundo essa síndrome. No entanto, acho que o livro é útil porque descreve comportamentos do meu filho que pode trazer subsídios para ajudar a decifrar esse enigma. Também espero que seja útil para aqueles pais que acabam de receber o diagnóstico que seu filho de 2 ou 3 anos de idade é autista. O livro poderá lhes preparar para as possíveis complicações criadas pelo comportamento inusitado do filho, à medida que ele vai crescendo. Especialmente se ele for um "escapista".. Especialmente se ele for um "escapista".

Obrigado pela sua participação.

2 comentários:

  1. Li esse livro no ano passado, confesso, por curiosidade, pois para mim trata-se de um enigma. Aprendi muito com a narração deste pai que aprendeu a conviver com seu filho, lhe ensinou tudo o que pode e lhe deu a liberdade de aprender a viver. Parabéns pela obra. Espero que ela chegue às mãos de todas as famílias que estão em busca desde aprendizado. Sucesso!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Elianete! Agradeço pelo seu interesse no meu livro mesmo sem ter um autista na família. Você escreveu em seu comentário algo que me chamou a atenção: “...lhe deu a liberdade de aprender a viver.”. Acho que meu filho é feliz por isso! DH sabe que sou seu fiel amigo e que pode confiar em mim para viver nesse estranho mundo. Abraço. Desiderio.

      Excluir