quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Entrevista com Carlos Eduardo Albuquerque Fernandes - Autor de: O DESEJO HOMOERÓTICO NO CONTO BRASILEIRO DO SÉCULO XX

É graduado em Letras e mestre em Literatura pela Universidade Estadual da Paraíba. Atualmente é professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco, na Unidade Acadêmica de Garanhuns, onde leciona componentes curriculares sobre Literatura Brasileira e Portuguesa, e é doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal da Paraíba. Sua jovem postura acadêmica tem se pautado constantemente nas discussões sobre gênero e sexualidade na literatura e na cultura. Procura, por intermédio de sua atividade de crítico literário e de docente, dar visibilidade a obras literárias marginalizadas, promover o debate entre linguagem literária e representação de grupos não hegemônicos e construir uma educação literária voltada ao currículo multiculturalista com enfoque em temas sobre diversidade sexual e de gênero.

É uma obra de crítica literária e cultural, em que se percorre os caminhos da literatura brasileira que tem como personagens principais gays, lésbicas e travestis, evidenciando seus conflitos, desejos e como se forma essa subjetividade na literatura e na sociedade do período. A obra é composta por cinco capítulos que, diacronicamente, descrevem e analisam questões como subjetividade, violência contra as minorias sexuais, erotismo, medo, opressão, constituição familiar, tais temas sempre articulados com o discurso literário. É, com efeito, um livro para ampliar saberes sobre as configurações do homoerotismo na literatura e na cultura brasileira.

Olá Carlos Eduardo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A obra discorre principalmente sobre as personagens gays, lésbicas e travestis da literatura brasileira. Construí um panorama dessas personagens principalmente aquelas presentes nos contos do século XX. Também procurei expor como a diversidade sexual foi tratada na história do Brasil e como isso se percebe nas obras literárias, seja refletindo as visões discriminatórias ou construindo olhares de aceitação, respeito e vivência dessa diversidade. O livro foi organizado de maneira que o leitor faça um passeio ou um percurso pela história o Brasil e de sua literatura, a observar fatos marcantes em relação à homossexualidade; do início ao fim do século, diversos debates são fomentados, desde a repressão instaurada com a "patologização" das sexualidades não-aceitas até a quebra desse paradigma, a ascensão das família homoparentais, a reivindicação de direitos. Essa ideia surgiu a partir da leitura dos textos literários, quanto mais eu estudava e lia a literatura brasileira que representa as minorias sexuais, percebia que havia um percurso que merecia ser explorado, um percurso que resolvi evidenciar e do qual o livro é resultado. Acredito que estudar esses "sujeitos de papel" presentes nas obras literárias é também uma forma de entender como os seres humanos se comportam, como são filtrados pelos escritores em determinado tempo e quando isso é feito de modo a compararmos o passado e o presente vemos o quanto o futuro ainda precisa ser promissor e o quanto nossa sociedade precisa se desenvolver para aceitar o diferente e conviver em harmonia com as diversidade sexual.  Meu livro é uma obra acadêmica, praticamente voltada para pesquisadores e estudantes da área de letras e outros que se interessem pelos estudos literários e pelos estudos sobre a homossexualidade.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Desejo que este seja o primeiro de muitos!!! Tenho uma produção de quase uma década sobre literatura brasileira e representação de grupos não-hegemônicos, divulgadas em eventos pelo Brasil, em Revistas acadêmicas  e livros de grupos de pesquisa nos quais estive vinculado nesse período. Este primeiro livro culmina uma etapa do exercício de docente e crítico literário. Minha postura acadêmica tem se voltado para um debate de promoção à igualdade de gênero e de sexualidade por meio da literatura, que sempre foi meu objeto de estudo e de devoção.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Acho que essa posição precisa ser observada com certo relativismo. No entanto, concordo que, de maneira geral, a população brasileira lê muito pouco e isso indica que precisamos trabalhar muito para transformar a consciência de nossos leitores.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Conheci a editora Scortecci através de outro livro de temática parecida com o meu. Trata-se do livro Literatura e homoerotismo - Uma introdução, organizado pelo professor José Luiz Foreaux de Sousa Júnior e publicado em 2002. Em 2007, adquiri essa obra e a estudei, mas não pensava em publicar um livro nessa época. Pouco tempo depois conheci outras obras publicadas pela Scortecci que considerei de grande qualidade literária como Borboleta em cinza e O íntimo ofício, ambos de Zeilton Alves Feitosa, obras que me encantaram e que me fizeram conhecer mais a obra de Z.A Feitosa, de quem sou grande admirador. Os anos passaram e um escritor amigo, o professor Antônio de Pádua Dias da Silva, publicou livros organizados pela Scortecci e também seu mais novo romance: Por enquanto, outra estação.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Creio que merece ser lido, sobretudo, pela novidade e profundidade na análise dos temas abordados. Pois ao passo que faço a descrição e análise das obras literárias, também problematizo as teorias e discussões que já foram encabeçadas sobre literatura e homoerotismo no contexto brasileiro, de maneira que o leitor interessado pelo assunto terá em mãos uma obra de valiosa posição crítica e histórica.

Obrigado pela sua participação.

Um comentário:

  1. Livro excelente. Estou lendo essa obra e muito me senti atraído, tanto pela temática, quanto pela forma como o autor conduz as suas análises críticas e históricas. Eu recomendo esse livro para todos aqueles que gostam de uma escrita bem articulada, clara e que possui um caráter de grande responsabilidade, considerando o tema tratado.
    Rayffi Gumercindo.

    ResponderExcluir