sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Entrevista com Vadô Cabrera - Autor de: REMINISCÊNCIAS

Salvador Cabrera Santiago - “Vadô Cabrera”
Nasceu no dia 1º de janeiro de 1955, na cidade de Porecatú – PR. Em 1959, sua família migrou para São Paulo, Capital, onde morou até se casar. Logo após, mudou-se para Jacareí – SP. Escreve desde os catorze anos, porém, nunca havia divulgado seus trabalhos. Poeta, compositor e cronista possui, também, vários artigos publicados no jornal Diário de Jacareí. Em 1999, participou do Concurso Literário da Fundação Cultural de Jacareí “José Maria de Abreu”, conquistando o 6º lugar, em “Poesias”. Em 2009, participou do Concurso Literário, da Academia Jacarehyense de Letras, recebendo medalha Menção Honrosa, em “Crônicas”. Em 2010, pela AJL, conquistou o 1º lugar, em “Crônicas” e Menção Honrosa, em “Poesias”. Em 2011, pela AJL, recebeu Menção Honrosa, em “Crônicas”. Em 2012, pela AJL, foi premiado nas três categorias: “Poesias”, “Contos” e “Crônicas”. Em 2012, foi premiado no 1º Prêmio SFX de Literatura, da JAC – Editora, na categoria “Poesias”. Todos os trabalhos foram publicados em Coletâneas dos organizadores. É autor da letra da música Senhora Aparecida, gravada por uma dupla de Jacareí. Em 2012, foi convidado a participar da Academia Jacarehyense de Letras, como pré acadêmico, vindo tomar posse, em junho de 2013, como acadêmico, ocupando a cadeira nº 01 tendo como patrono o poeta Mário Guerra.
Tem trabalhos inseridos no site:
www.recantodasletras.com.br/autores/1955
e-mail’s: 
vadocabrera@ig.com.br cabrerajac@yahoo.com.br


Reminiscências - Poesias em Dois Tempos
Neste primeiro trabalho, o poeta Vadô Cabrera reúne poesias em dois tempos: do início da juventude, quando começou a escrever e dos tempos maduros, já com família constituída, passando por temas atuais. É uma viagem pelo passado longínquo, aonde descreve suas ilusões, sonhos e desejos chegando a um passado mais recente, com temas mais maduros e espirituais.
O que é ser poeta? Não é fácil ser poeta. É mais fácil ser prosador. O poeta trabalha mais com as palavras. Não só com seu sentido, mas com sua estrutura física, a sua geografia espacial na frase, ou melhor, no verso. O poeta não é apenas um artesão das palavras, é um escultor. Ele é mais do que isso, não pode se preocupar apenas com a forma, o poeta vai além, muito além. O poeta é, ao mesmo tempo que garimpador das palavras, aquele que procura extrair delas a sua essência. Algo que está escondido nas suas entranhas, no seu íntimo. 
Ela diz mais com o poeta, do que com ela expressa, o prosador, ainda mais, ela tem que estar intimamente ligada com sua companheira adiante em harmonia. Seu relacionamento não segue as regras do comum, do dia a dia. Ela ganha expressão, sua cor é mais vibrante, seu som é mais puro e penetra no âmago dos nossos sentimentos. Ela não vibra no cérebro, mas em algum ponto indistinto da alma.

O poeta, só é poeta, se consegue arranjar as palavras com a mesma harmonia de uma iquebana – reproduzir num vaso todo esplendor de uma sequoia ou, com uma só flor, compor todo um discurso. Cabrera demonstra que tem essas qualidades, mesmo nesse primeiro livro. Seus poemas transmitem seus sentimentos e sua vontade de, com palavras, abraçar as pessoas, acolhê-las com amor fraternal. Não consegue o poeta Cabrera, deixar de ser um Salvador das esperanças e da fé. Essa grandeza de cantar o belo, o amor, a fé, e os sentimentos nobres transforma o homem em algo mais que uma presença.
Benedicto Sérgio Leencioni - Professor, historiador e membro da Academia Jacarehyense de Letras.

Olá Vadô. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
São poesias selecionadas em dois períodos de minha vida: dos primeiros versos, na adolescência até me casar e formar Família e daí em diante até os tempos atuais.
Meu desejo de publicar o primeiro livro vem desde que me casei e amadureci meus textos.
Este livro é destinado aos leitores dos 14 aos 90 anos, pois, meus primeiros versos, trazem uma história muito gostosa deste tempo passado e os demais versos falam de momentos especiais que todos nós vivemos e presenciamos no dia a dia.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Escrevo desde os 16 anos e a partir da década de 80, intensifiquei e aprimorei minha verve literária, diversificando as categorias. Escrevo Artigos, Crônicas e estou ensaiando alguns Contos. Pretendo continuar escrevendo e publicar mais alguns trabalhos, inclusive, já vislumbro a possibilidade do segundo livro.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Este é o maior entrave para os novos escritores. A falta de incentivo à leitura, o alto custo de impressão e a forte concorrência da Internet. Vemos que só as grandes editoras, com seus escritores renomados, conseguem sucesso editorial e comercial. Agradeço à  Scortecci Editora por nos oferecer a opção de pequenas tiragens, caso contrário, continuaríamos no anonimato.

 Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Conheci a Scortecci Editora através da Academia Jacarehyense de Letras que, num trabalho conjunto a presidente Salette Granato e o Sr. João Scortecci, fizeram uma parceria, dando oportunidade a todos os escritores de Jacareí lançarem seus livros.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
"Reminiscências" merece ser lido, presenteado e indicado. É um livro escrito com as batidas do coração de um poeta que viveu momentos especiais em dois tempos, os quais foram belos e intensos. Os amantes da Poesia vão gostar. Quem é jovem vai ter poesias atuais e os mais experientes vão se emocionar com as lembranças dos tempos idos e vividos. É um livro muito agradável.

Obrigado pela sua participação.

2 comentários:

  1. Vadô, parabéns pelo livro, pela participação na Bienal do Livro de São Paulo 2014 e pela entrevista ao Portal Escritor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elianete!
      Eu é que te agradeço pela gentil acolhida.

      Sucesso pra nóa!

      Excluir