segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Entrevista com Vivi Arenzano - Autora de: INCENSOS E TATAMES

Nasceu em São Paulo (SP), no bairro da Vila Madalena. Formou-se em Letras, Pedagogia e Filosofia e fez pós-graduação em Material Didático. Especializou-se na área da educação e visitou algumas escolas públicas no sul da Califórnia (EUA). Lecionou Inglês e Literaturas. É casada com o rolfista Paulo Marcelo, um homem muito doce e generoso. Optaram com muita convicção em não perpetuar a raça humana por diversos motivos. Vivi explica: “Tenho vasta experiência no mundo infantil e juvenil e na andragogia. Confesso que isso me desanimou em ter filhos. Mil desculpas para quem os têm! Não é pessoal, é filosófico, estilo de vida”. Há décadas estuda a Ciência Espiritual ensinada por Paramahansa Yogananda através da Self-Realization Fellowship da Índia. Em 2000, publicou o livro de poesias intitulado Encontro em Caxemira, nascido das necessidades e vicissitudes de sua trajetória espiritual, na qual atravessou períodos de grandes transformações. Teve alguns contos premiados pela Litteris Editora, do Rio de Janeiro. Seu novo livro, Incensos e tatames, reúne contos contemporâneos que, a partir de suas observações ao longo da vida, mostram a fragilidade, frustrações, medos, incompetências, virtudes, alegrias, tristezas e saudosismos do ser humano. Acredita que os contos retratam a vida como ela é e, por isso, podem chocar alguns leitores mais próximos e desavisados. “Toda pessoa já viveu alguma história esdrúxula, que nunca foi revelada. Não temos noção de até onde pode chegar o homem em sua complexidade. É isso que espero mostrar em meu livro”, deseja Vivi. Então, leitor, sente-se no tatame, inspire o incenso e embarque nessa jornada, repleta de experiências verdadeiras e reflexões.

Existe situação mais gostosa do que ficar totalmente esparramada num tatame com muitas almofadas de pura seda, numa sensual camisola de algodão até os pés, e estar muito linda e muito cheirosa com nenhum sentimento de culpa? Nenhum? Ao lado, um suntuoso incensário indiano exalando raríssimas fragrâncias... e de presente a presença magnificente das deusas. Uma xícara de chá bem quentinha com ervas finérrimas e de vez em quando, ou muito raramente, um lindo homem, pornograficamente nu ao seu lado.
(trecho de Cidade Azul)


Olá Viviane. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
É um livro, agridoce, pessoas distraídas, não entenderão o teor do conteúdo, pois aborda temas do dia-a-dia do ser humano, Toda pessoa já viveu uma história muito esdrúxula, "show de horrores", que jamais foi revelada. Não temos noção de onde pode chegar o homem em sua complexidade. É exatamente temas como amor, rejeição, angustia, loucura, etc e tal.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
É mais ou menos essa história, realizado de plantar uma árvore, NÃO ter filhos e escrever alguns livros. Nada contra a perpetuação da espécie, nada pessoal, especialmente filosófico.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
O escritor no Brasil? (risos) ser escritor no Brasil é ter a sensação de ser uma pessoa clandestina. Quanto ao Brasil de ter poucos leitores, já sabemos que é cultural! Acredito numa mudança, se mudar o sistema Pedagógico de nosso País.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Pela Internet.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Ele merece ser lido, porque há muita informação eclética, aquele leitor que está com vontade de se divertir com uma leitura cheia de mistérios e contratempos que a vida nos prega. Uma pessoa sensível, atenta, curiosa!

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário