domingo, 2 de outubro de 2016

Entrevista com Ailton Teodoro - Autor de: SUBSISTÊNCIA

Ailton Teodoro
Nasceu no Rio de Janeiro é artista plástico; designer; escritor e professor de artes e desenho. Desde cedo já desenhava (com 3 anos de idade) na escola seus desenhos sempre fizeram muito sucesso, aos 12 anos fez seu primeiro curso de desenho profissionalizante e não parou mais. Nesta mesma idade criou a sua primeira revista de HQ e seu primeiro personagem de história em quadrinhos, chamado Zé Manjá (um malandro carioca) depois o Fominha (o jogador de futebol) e o justiceiro chamado Mac. Aos 14 anos começa a escrever seu primeiro livro de crítica social. Em 1992 cria os aventureiros e em 1996 realiza um dos maiores projetos de sua vida e cria um grupo com mais de 300 personagens. De 1995 a 2005 funda um atelier, onde trabalha com vários projetos de arte durante 10 anos. Em 2005 escreve sua primeira peça de teatro chamada O bar da falsidade. Em 2006 começa a escrever seus primeiros livros infanto juvenis – entre eles O café de bule enjoado, O homem minhoca, Lindalva a baratinha e O palhaço Nem. Em 2014 cria o studio de design chamado de AT studio onde trabalha até os dias atuais. 


Subsistência é um livro que reúne textos em que a crítica social é abordada de uma forma inflamada e ácida. O livro busca a cidadania plena, os direitos e deveres dos cidadãos, o respeito, a integridade, a conscientização política, a dignidade e, acima de tudo, atitude e ação dos mesmos.

Sempre gostei dessa característica de “pensar globalmente, agir localmente”, apreender o geral para melhor ação pontual. Este livro trata disso; de buscar uma ressonância junto ao multiuniverso de forma harmônica e equilibrada com ação e conscientização, reflexões que ocorrem no mundo e no Brasil, em nossa cidade, em nosso bairro, ao nosso redor, sem fórmulas prontas ou contas de números inteiros, mas a valorização da construção do caminho e não somente de seu fim. Com força, para a frente, para cima e paro alto ou ao contrário, vai depender das circunstâncias ou não! A chave talvez se encontre na hora e no lugar certo, no surto de um estalo que, ainda bem, vai além de nossa compreensão. Que sorte! Cabe a nós vivermos bem!

Olá Ailton. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Critica social. Escrevi diversas letras de músicas quando notei a enorme quantidade dessas letras e textos resolvi juntar e fazer o livro.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
É o primeiro de muitos. Também escrevo sobre artes, design e infanto-juvenil e juvenil. Tenho um projeto para escrever 02 livros juvenil de 72 págs. cada e uma série composta de 24 livros infanto-juvenil com 28 págs. cada totalizando 50 livros que pretendo escrever.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
LUTAR! Esta é a palavra; não desistir o mercado está crescendo a internet contribui positivamente para isso e essa é a nossa oportunidade de divulgação e valorização da leitura bem como o crescimento do público leitor.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
GOOGLE Pesquisa. Senti firmeza e credibilidade na editora por isso apostei nos serviços da Scortecci e não me arrependo.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Claro que sim! Acredito que quem ler o livro não será mais a mesma pessoa. As mensagens são fortes, e super positivas para levantar a auto estima e mostrar que todo mundo pode e que ninguém é inferior a ninguém.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário