sábado, 14 de janeiro de 2017

Entrevista com Caetano Junior - Autor de: BRUNA VANESSA

Nasceu em Santos-SP. Técnico em Eletrônica e em Edificações, graduado em Engenharia e em Bioquímica pela Universidade de São Paulo, compositor e pianista, estreou na Literatura em 2009 com o livro "A Chave do Almoxarifado de Cianetos e Outros Contos Contemporâneos".
Na música, lançou em 2015 o CD autoral Pele Morena e Azul - Larissa Cavalcanti Canta Caetano Júnior, classificado para a disputa do 27º Prêmio da Música Brasileira e merecedor de Menção Honrosa no site Melhores da Música 2015.


Bem vindos, leitores, aos mundos de Bruna Vanessa, Ana Cláudia, Cabral e Kele, onde há música e centros cirúrgicos, empresas e sindicatos, incêndios e favelas, onde ocorrem sequestros, pipocam greves, constroem-se unidades residenciais, mas acima de tudo onde se fala sobre amor, confiança, inveja, ciúme, bondade, raiva,egoísmo, nedo do futuro, fé em Deus...ou seja, todos os ingredientes que formam a complexidade do coração humano.
Boa leitura!


Olá Muríllo Cesar. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro contém quatro estórias, que talvez sejam excessivamente longas para serem enquadradas como contos. A ideia dessas estórias já estava há algum tempo na minha cabeça, portanto bastou colocar no papel. Devido à temática um tanto complexa, considero que o livro se destina ao público adulto.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Este é meu segundo livro. Comecei em 2009, com A Chave do Almoxarifado de Cianetos e Outros Contos Contemporâneos. Provavelmente haverá outros. Estou com uma ideia de um romance na cabeça, mas ainda está muito crua para colocar no papel.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não creio que este problema seja só nosso, deve haver muitos outros países na mesma situação. E penso que a questão da valorização da leitura é uma opção de cada um. Existem inúmeros caminhos que levam o cidadão à cultura, porém compete a ele decidir se quer ou não segui-los. Como escritor, creio que não devo me preocupar com isso, caso contrário a autenticidade da minha obra poderá ser prejudicada.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu diria que não existe escritor que nunca tenha ouvido falar da Scortecci. Fiz alguns cursos na Escola do Escritor, gostei, e daí a decidir publicar com a Scortecci foi um passo consequente.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu penso que todo livro merece ser lido, porque representa a imortalizarão do pensamento do seu autor. Espero que os textos acrescentem algo de positivo a cada leitor. Isto me dará um sentimento de missão cumprida.

Obrigado pela sua participação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário