segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Entrevista com Grace Cristina Ferreira-Donati - Autora de: RETALHOS DE ALMA INTEIRA

É fonoaudióloga e pesquisadora, especialista em Linguagem, mestre e doutor a em Educação. Mas é no exercício da escrita poética, que se desenrola desde a sua infância, que se pode ter clara a identidade da autora. A escritora é membro da Oficina da Palavra, grupo de escritores de Bauru – SP, tem textos e poesias publicados em antologias e coletâneas de concursos e compartilha frequentemente seus escritos no blog de sua autoria Verbogeren (www.verbogeren.net).



É um livro de poesias e contos poéticos que trata de temas cotidianos e sentimentos essenciais do homem, com rebuscada sensibilidade. A maioria das produções é construída em verso livre, e, assim como o título sugere, expõe a alma da escritora, suas percepções e sensações, sem proteções, e exibindo elevado domínio de assonâncias, aliterações, rima e ritmo. As palavras costuram ora delicadezas, ora cruezas sobre o amor, as angústias, as flores, a solidão, o tempo, as repressões e a esperança. Ler Retalhos de alma inteira é tornar-se linha no cerzir de muitas reflexões poéticas do que se passa em cada um de nós.

Olá Grace Cristina. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
É um livro de poesias e contos poéticos que reúne a atividade criativa dos últimos 20 anos. As poesias têm por tema o amor, a natureza, o tempo e o sufocamento provocado pelo cotidiano. O livro se destina a todos que desejam se expor a uma leitura sensível do ser humano e gosta de se entregar a um exercício reflexivo a respeito da vida.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Tenho planos de que seja o primeiro livro de muitos. O processo de organização do livro me pôs em contato com minha identidade mais genuína, onde a escritora vive. Hoje tenho consciência de que é a escrita que me define. Atualmente, estou me dedicando a um projeto de Inter-Linguagens com o tema Árvores, em parceria com o artista André Marques. Dentre as várias ações previstas no projeto está a publicação de um livro com reproduções dos trabalhos de Artes Visuais e de poesias originais minhas.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Penso que não há caminho possível a um escritor senão escrever. Por questões profissionais, vivi sem escrever por um bom tempo e fui intoxicada com a escrita que não se expressava. Sou uma fonoaudióloga apaixonada pela minha profissão e tenho uma rotina intensa de trabalho. Mas hoje, consegui inserir a escrita em meu cotidiano como tantos outros afazeres e prazeres. Cabe o caminho da escrita ao escritor, o papel de verter em palavras o que vê, pensa e sente. O encontro com os leitores faz parte dos encontros da vida. Acho que a saída é dar luz à escrita e, da forma que for possível, fazê-la chegar ao outro, que muitas vezes, não vai ao seu encontro, mas se regozija quando ele ocorre.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Conheci a Scortecci por meio da indicação do amigo de um amigo ao que sou muito grata!

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Retalhos de alma inteira é um livro para ser apreciado aos poucos, dando tempo ao eco das palavras, à repercussão do abstrato e das mensagens cifradas tão presentes nas poesias. Mas há quem o lê de uma só vez... em um único fôlego... e o relê e relê. Eu desejo que cada leitor encontre o seu próprio jeito de interagir com Retalhos... e não se furte a se encontrar nas palavras ora doces, ora dramáticas. Afinal de contas, é preciso coragem para mergulhar em poesia e descobrir os próprios retalhos em meio aos versos.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário