terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Entrevista com João Gomes da Silveira - Autor de: POEMAÇÕES

Nasceu no sítio Canadá, município de Redenção (CE) e foi registrado em Maranguape, terra do historiador Capistrano de Abreu e do humorista Chico Anysio. É pós-graduado em Língua Portuguesa. Já tem dez livros publicados, metade deles de poesia:

Em seu décimo primeiro livro - mais um de poemas -. João Gomes da Silveira apresenta-nos uma obra com a seguinte arquitetura: 45 sonetos na primeira parte, 15 sonetilhos (versos com métrica menos que de eneasílabos) na segunda e, alternadamente, na terceira parte do opúsculo, 15 rondéis e 15 indrisos. Trabalho eclético, que vai do lírico ao mais genérico; ou seja, obra de temática bem diversificada, a fim de adequar-se à multiplicidade de gostos do leitor de poesia. E por que P o e m a ç õ e s? É ele que nos conta: "minha filha, ainda criança, vendo-me à mesa, a rabiscar algo, me pergunta: - Pai, tá fazendo aí umas poemações? Criança também cria neologismos".

Olá João. É um prazer contar, novamente, com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro atual - “Poemações: Sonetos & outros poemas” - é de poesia. Trabalho eclético, de temática bastante variada. Compõe-se de sonetos, sonetilhos, rondéis e indrisos. Como rodapés de página, nos 45 sonetos inserimos igual número de haicais e, nos 15 sonetilhos, igual quantidade de poetrix. Estes servem como petiscos para o leitor (risos). Na parte final, alternam-se os rondéis e indrios, num total de 30 poemas. Sigo um sítio literário, o Recanto das Letras, já faz alguns tempos, e lá, quase diariamente, faço inserções de textos em prosa e em versos; daí a ideia de enfeixar esta e outras obras já publicadas. POEMAÇÕES é um texto destinado a todos os diletantes de literatura, em especial aos amantes da poesia.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Trabalhei como técnico de laboratório, depois no Magistério. Como professor de Língua e Literatura, sempre garatujava poemas, crônicas, artigos e “causos”. Mas não tinha a veleidade de me tornar um escritor. Com mais de uma dezena de edições tiradas a lume, ainda assim me considero um simples e modesto escrevinhador. Escritor é algo de muita responsabilidade. Com o presente livro, só pela Scortecci, este é o sétimo; existem mais quatro impressos por duas outras casas publicadoras. As publicações têm sido entre linguagem / linguística e poesia.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não é fácil, no Brasil, seguir a carreira de um escritor profissional. O País se ressente de possuir um modesto poder aquisitivo e o coletivo da população se preocupa mais é com o “de comer” do dia a dia. Por outro lado, os incentivos à Cultura, de modo geral, são ainda pífios e a divulgação editorial também não é das melhores. E os ledores mais esnobes preferem valorizar as “buchadas” de importação. Chego numa grande livraria de Fortaleza, que tem filiais em todo o Brasil, e o que vejo? Uma pouco alentada estante de literatura nacional e cinco outras com farta livrança estrangeira.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Creio que foi a internet que me repassou a dica sobre a existência da Scortecci Editora. Aqui cheguei, fui ficando e, como assinalei supra, estou no sétimo volume pela Scortecci. Tem “know-how”, é responsável, sabe bem publicar obras em papel.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Todo escriba, vaidades à parte, almeja sinceramente que seus escritos sejam bem divulgados e lidos. Penso que os amigos que nos lerem sentir-se-ão contemplados, sim. E não estarão a pôr no ralo os seus reais deixados à livraria. Imagino que o gosto e o prazer - lá deles - pela poesia, levando-se em conta seu engajamento para com a literatura, estes gosto e prazer são bem mais imperativos que a tentação de nos passar um pito e nos reprovar o esforço do empreendimento e da feitura do livro (risos). O que deixo de mensagem especial é o mesmo que digo sempre de mim para mim mesmo: a leitura só nos elastece em conhecimentos e enobrece o espírito. E, portanto, leiamos sempre, mas com a alma genuflexa.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Marisa Golin da Cunha e Flávia Angelini - Co- autoras de: SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO PARA ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA

Mestre em Engenharia pela UFRGS, Concentração em Gestão de Serviços. Economista pela UFRGS. Advogada pela UNIRITTER. Consultora de gestão em Escritórios de Advocacia e Departamentos Jurídicos de empresas. Coach Executivo e de Negócios para Alta Performance em Escritórios de Advocacia.





Especialista em Gestão de Processos Operacionais, Gestão Financeira para Escritórios de Advocacia, Parametrização e Implantação de Softwares de Gestão e Controle Processual, Implantação de Indicadores, Estruturação de Controladorias Jurídicas em Escritórios de Advocacia e Departamento Jurídico. Graduação em Direito e Administração. Especialista em Administração Legal. Sócia da Resultato – Gestão em Escritórios de Advocacia.


Mestre em Engenharia Mecânica pela EFEI. Engenheiro Mecânico e Industrial pelo IME e Estatístico pela ENCE/ IBGE. Autor do livro: Governança Organizacional: Uma Metodologia Universal – NBR ISO 9001:2015 (10ª edição), e coautor dos livros: O Processo Nosso de Cada Dia: Modelagem de Processos de Trabalho; Os Indicadores Nossos de Cada Dia; A Reforma do Poder Judiciário no Estado do Rio de Janeiro; Poder Judiciário: Novos Olhares sobre Gestão e Jurisdição e Como Implementar a Gestão em Unidades Judiciárias. Professor (graduação e pós-graduação) da FGV, UFF, UNIFA, CTA, IME, UNESP, CEFET e outras. Consultor de organizações públicas e privadas.

Maria Elisa Bastos Macieira
Mestre em Administração pela EBAPE/ FGV. Administradora pela EBAPE/FGV. Coautora dos livros: O Processo Nosso de Cada Dia: Modelagem de Processos de Trabalho; Os Indicadores Nossos de Cada Dia; A Reforma do Poder Judiciário no Estado do Rio de Janeiro e Como Implementar a Gestão em Unidades Judiciárias. Autora do Curso “Gestão do Poder Judiciário” da FGV Online. Professora da FGV Direito-Rio, da FGV IDE/In Company e da UFF. Consultora de organizações públicas e privadas.




O Escritórios de Advocacia, em face da atual dinâmica do mercado, necessitam alcançar níveis de gestão compatíveis com as novas necessidades dos clientes. Dessa forma, a adoção de práticas de racionalização de fluxos de trabalho, de tecnologia da informação e de ampliação do foco nos clientes deve ser uma busca contínua. O Livro tem como objetivo apresentar as principais âncoras de um modelo de gestão que permitirá a aplicação de boas práticas de gestão no dia a dia dos Escritórios, especialmente a adoção da unidade de Controladoria Jurídica. Essa unidade possibilitará que os Advogados sejam liberados dos trabalhos administrativo-jurídico-operacionais e se dediquem à atividade jurídica e à tomada de decisão.
O Livro propõe uma metodologia de gestão, baseada nos princípios da Norma NBR ISO 9001:2015, onde são apresentados os seguintes elementos, com as respectivas orientações para a implementação: Gestão Estratégica, Estrutura Organizacional, Clientes e Requisitos, Comunicação, Tecnologia da Informação, Processos de Trabalho, Documentação, Indicadores, Gestão de Pessoas e Análise Crítica da Gestão.

Olá Marisa e Flavia. É um prazer contar com as suas participações no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A ideia inicial foi sugerida por mim e Flávia que há anos implementamos unidades de Controladoria Jurídica em escritórios de advocacia e em departamentos jurídicos de empresas, bem como realizamos treinamentos e ministramos cursos sobre esse assunto. Para que esse modelo fosse ampliado para os clientes e alunos pensamos em escrever um livro. A associação com o Mauriti e Maria Elisa nasceu por conhecermos e adotarmos os Livros deles “O Processo Nosso de Cada Dia: Modelagem de Processos”, que trata das questões conceituais para estruturação de um sistema de gestão. A parceria então se viabilizou e com isso escrevemos o Livro, com o intuito de tratarmos as questões abstratas (conceitos) de um sistema de gestão aplicadas à nossa experiência (concretude).

Fale de vocês e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Esse é meu primeiro Livro e da Flavia....
No entanto, o Mauriti e Maria Elisa possuem outros Livros: “Governança Organizacional NBR ISO 9001:2015”, “O Processo Nosso de Cada Dia: Modelagem de Processos”, “Os Indicadores Nossos de Cada Dia” e “Como Implementar a Gestão em Unidades Judiciais
Escrever um Livro é uma atividade que exige dedicação, foco e muito amor. É uma experiência diferente pois temos que traduzir em palavras o que está no conhecimento e no saber, mas que nos proporciona muito prazer ao saber que temos alunos e clientes que o adotam e constroem suas novas escolhas e oportunidades ao conhecerem o que já tanto experimentam.

O que vocês acham da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Para os profissionais que vivem de livros acadêmicos é uma vida muito delicada, pois as Editoras estão passando por um momento difícil, bem como as Livrarias. Essa dificuldade diz respeito à mudança das necessidades e expectativas dos clientes em relação à forma de absorção do conhecimento e ao ensino no Brasil. Infelizmente a leitura não é incentivada para as crianças e, portanto, temos adultos que não desenvolveram esse hábito. 
Mas a nossa esperança é de que o ensino ainda possa ser uma perspectiva e um ponto forte do brasileiro, certo de que a ampliação de conhecimentos é o que permite fazer maiores e melhores escolhas.

Como vocês ficaram sabendo e chegaram até a Scortecci Editora?
Fizemos pesquisas com profissionais, Google e os mais diversos contatos e identificamos a Scortecci como uma empresa séria, dedicada e de excelência.

O livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Desejamos que o aprendizado que acumulamos ao longo das nossas experiências sirvam de orientação para todos aqueles que enxergam que a gestão das organizações, em especial aos advogados e gestores de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos, precisa ser profissionalizada e vista como essencial para a busca da eficácia e da eficiência, pois a criação de um setor para controles processuais e operacionais no negócio “Direito” é enxergar a possibilidade de desenvolvimento e crescimento em termos de estudo, atendimento ao cliente, segurança e padrão de produção e procedimentos.

Obrigado pelas suas participações.
Leia Mais ►

Entrevista com Luciane Madrid Cesar - Autora de: GATO CAMALEÃO

Nascida em São Paulo, mora atualmente no sul de Minas. Graduou -se em Letras e participa desde 1986 de concursos literários, sendo premiada algumas vezes. Foi diretora de escola infantil por 8 anos. Este é seu primeiro livro dedicado às crianças.




Olá, amiguinhos. Vocês já viram um gato, não é mesmo? Mas... e camaleão, quem já viu? Ele tem a capacidade de mudar de cor para se confundir com o ambiente onde ele está e assim se esconder de seus predadores. Entenderam por que Dona Leonor chama o gato de GATO CAMALEÃO? Boa leitura!




Olá Luciane. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro é sobre cores e destina-se a crianças pequenas que estejam aprendendo cores (tendo um adulto como leitor) ou a crianças que estejam começando a ler. A ideia surgiu de uma coletânea de poemas infantis que fiz para presentear.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Eu escrevo desde criança. Meu pai e meu avô escreviam poemas, contos, teatro, músicas e eu convivi com isso desde muito cedo. Escrevi contos e poemas ao longo da vida. Fui engavetando. Vez ou outra participava de concursos literários, conquistando, ocasionalmente, algum prêmio. Trabalhei 28 anos em banco e o tempo era escasso para o mundo das letras. Com a aposentadoria, retomei meus projetos. Em literatura infantil, espero que este seja o primeiro de muitos. Este livro faz parte de um conjunto de poesias infantis e já estou trabalhando na ilustração de mais duas poesias para futura publicação. Além disso tenho dois livros para adultos publicados: um de contos “Encontros em Contos” e um de poesias “Café com poesia”. E estou trabalhando em um romance.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Ser escritor no Brasil não é tarefa fácil, já que, culturalmente, não temos o hábito de ler. O baixo nível educacional da população também dificulta a formação de leitores. Além disso, o perfil do leitor mudou muito e com as novas tecnologias o escritor tem que fazer muito mais do que escrever. As mídias sociais tem hoje um papel importantíssimo na divulgação de autores. O profissional da escrita precisa atuar na internet, não só disponibilizando e-books, mas divulgando seus livros nas plataformas, com booktrailers, resenhas, contatos com influenciadores... No meu caso, com um livro infantil, estou preparando um canal de contação de histórias no youtube. Se trabalhar bem, terei visibilidade como autora e conquistarei leitores.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Um conhecido meu publicou com vocês há alguns anos. Fiz contato com seus editores, recebi algum material mas só agora me senti preparada para a publicação.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O Gato Camaleão é um livro lindo, com uma história alegre e engraçada. Já recebi vários retornos positivos dos exemplares que já vendi. As crianças gostam de bichinhos domésticos e o cenário lhes é familiar também. O texto apresenta algumas palavras que talvez sejam novas para os pequenos, o que estimula a curiosidade e enriquece o vocabulário. Tenho certeza de que vão amar! 

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Carla Brandão - Autora de: #DOECORAGEM

Carla Brandão
Comunicadora por opção. Jornalista por profissão. Especialista em desenvolvimento humano por vocação. Pensamentos transformadores, evolução e treinamento. Visão divertida sobre automotivação, administração do tempo, melhoria contínua e inovação. Life Coach e Palestrante com foco na transformação da vida em uma fonte de aprendizado e felicidade!





É um manual, uma alavanca, um incentivador diário, trazendo exemplos e relatos próprios, com um tom divertido e prático, características típicas da autora, para ajudar o leitor a superar dificuldades corriqueiras. O texto fluido chega ao ponto e indica caminhos que podem servir como um bom farol para quem quer alcançar um objetivo e obter as conquistas tão sonhadas. A autora indica: tudo começa com CORAGEM




Olá Carla. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro #DoeCoragem trata dos desafios do cotidiano e aponta, de forma descontraída, algumas ferramentas que podem ser úteis para a tarefa de descomplicar a vida. Eu já tinha começado a escrever esse livro há algum tempo. Mas, o empurrão veio com o último curso que fiz. Tenho o hábito de compartilhar o que aprendo, em casa em palestras que faço. E o livro vem para carimbar essa ideia. Todos os textos nele contidos começam com hashtag. As páginas são tracejadas, para que possam ser doadas para alguém que está precisado ou para ficar de lembrete pela casa ou escritório. O verbo do momento é compartilhar e eu estou fazendo a minha parte.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Eu gosto de me comunicar, compartilhar. Vou sentir a receptividade desse trabalho e me balizar para futuras investidas no universo das letras. Eu escrevo, semanalmente, em dois sites. E se sonhar é necessário, não me furtarei de usufruir disso. Já tenho um filho e, ainda jovem, plantei árvores. Mas, agora, já combinei, vou com meu filho plantar mais árvores, aproveitando esse momento. Quem ler meu livro terá uma surpresa no final em relação a isso.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Eu acredito na leitura e creio que a tecnologia auxiliou o jovem a ter acesso a livros clássicos e modernos. O aumento da inserção do jovem na escola e da longevidade do brasileiro facilita a ampliação desse mercado também.
Pesquisa recente indica tendência do aumento da importância dos livros lidos por iniciativa própria em relação aos indicados pela escola, mesmo entre os estudantes. Isso é um bom sinal também. Percebo no metrô muita gente lendo, como em países europeus e isso é animador.
Portanto, os eventos como Bienal do Livro e Flip são importantíssimos, mas não maiores que feiras de livros em escolas e universidades.
Adoro iniciativas comunitárias ligadas à troca e doação de livros. Acredito no compartilhamento. Tanto é que o título do meu livro leva uma hashtag e dentro também segue a mesma linha.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Por indicação de uma antiga amiga, chamada Carmen Barreto. Eu senti confiança e competência desde o primeiro contato. Todos os setores se mostraram eficientes e capacitados para entregar o resultado final do jeito que eu solicitei, agregando sugestões pertinentes para o melhor produto.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu aposto que seja uma boa leitura para quem gosta de assuntos ligados ao desenvolvimento humano, a quem procura uma rota mais assertiva para a vida, já tão conturbada e cheia de desafios. Proponho saídas palpáveis e práticas, embaladas pelo meu estilo divertido de encarar os desafios da vida. Sinta-se convidado a compartilhar coragem comigo.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

domingo, 9 de dezembro de 2018

Entrevista com Vera Melis - Autora de: ESPAÇOS EM EDUCAÇÃO INFANTIL

Nome literário de Vera Lucia Anselmi Melis Paolillo
Nascida em São Paulo, capital, teve o privilegio de começar a vida escolar na Pré escola do Grupo Experimental da Lapa, onde brincava de casinha, rolava na grama, ficava entre livros e desenhava muito. Esta foi sua referencia no inicio de sua carreira como professora de Jardim da Infância. Pedagoga, Mestre em Educação pela University of Houston, Doutor em Administração, Mackenzie, Especialista em Espaços Educativos e formação de professores. Em 2005 foi a primeira brasileira escolhida como Global Leader for Young Children.
Os direitos das crianças e a formação continuada dos profissionais da educação,fazem parte de todos os projetos desenvolvidos como consultora, professora universitária e palestrante. Sua atuação acadêmica contempla a docência, chefia de Departamento e coordenação de Pós Graduação Strito Sensu. Coordenou o Escritório da UNESCO no Estado de São Paulo. Elaborou e implementou programas de educação infantil para Institutos, Empresas e Prefeituras. Certificada pela La Bottega di Geppetto para formação acerca da Abordagem Toscana de educação para a infância.
Representante do Brasil no World Forum Foundation desde 2001. Membro da Diretoria da AABRi ( Associação Brasileira de Brinquedotecas) e do Conselho Consultivo da Revista Pátio Educação Infantil. 
Membro do Grupo de pesquisa da UNICAMP/IA Processos de Criação, Projeto e Educação. Autora de livros e artigos.

Este livro discute a importância dos espaços escolares no processo de aprendizagem das crianças e professores, convidando os leitores a revisitar sua memória docente. Esta volta ao passado, não tão distante, conduz cada professor leitor a pensar em sua atuação. Identificar ações realizadas fundamentadas nas necessidades e expectativas das crianças é o ponto de partida para construir uma metodologia que respeite a infância e proponha atividades para que esta seja vivida.
Não discutimos este espaço à luz de diferentes teóricos e nem abordagens curriculares, mas sim a partir das reflexões de uma jovem professora, que ao encontrar um espaço pré-organizado para atuar, percebe nas aulas, nas leituras realizadas e do conhecimento sobre as crianças com quem dividirá um ano de vida, a possibilidade de alteração de uma rotina e exercício de sua criatividade.
A nossa personagem é uma jovem professora que atua como figura central desta nossa proposta. O caso de Patrícia, relatado nesta reflexão, baseia-se em relatos reais de vários professores que iniciam sua trajetória profissional, que ouvi durante muitos anos atuando na formação de professores. Apresenta também, sentimentos presentes em nossa memória. Este caminho nos ajuda a reviver as trilhas que percorremos e a buscar respostas ou justificativas para a prática construída a cada dia.
A cada cena do cotidiano desta professora, acrescentamos comentários, sugestões e algumas luzes para que cada leitor possa direcionar uma reflexão sobre as práticas já vividas.
Luzes, sombras, cenários e ação. Elementos que podem ser utilizados em mais um encontro de formação e desenvolvimento profissional.

Olá Vera. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Comecei minha carreira como professora de maternal e jardim da infância. Tinha 17 anos como muitas professoras começam. Retomei minha experiência inicial e agreguei a jornada de uma vida dedicada a estudos e praticas na área da educação infantil. Atuei na politica publica, com gestores, apoiando a implantação de creches em municípios, em ONGs e na universidade. Neste percurso pude escrever documentos, livros que auxiliaram muitos interessados na infância. Este livro pode ser utilizado na formação continuada de professores de educação infantil espero assim, poder inspirar e sensibilizar alterações simples na pratica pedagógica.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sempre escrevi artigos e livros destinados a educadores e gestores da primeira infância. Não é meu primeiro e nem o ultimo. Quero sempre poder disseminar praticas e ideias para contribuir no cotidiano das crianças . Escrevo para professores e para famílias pois em todos os locais as crianças merecem conviver em um ambiente rico e estimulante.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A vida de escritor é mais difícil pois muitos não tem paciência de ler um bom livro ou discutir as ideias. Na área da educação voltada para professores é preciso correr atrás e divulgar seu trabalho em congressos específicos . Temos que valorizar a cultura da leitura ente professores.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Conheço há muito a editora e este livro já é a segunda edição. Na primeira vendemos 1000 livros e o lançamento foi um sucesso na livraria. Agora, há pedidos, fiz a segunda educação ampliada.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Este livro é um convite para a formação continuada. A teoria e as sugestões para uma pratica pedagógica destinada a educação infantil é entremeada com a jornada de uma jovem professora que, recém formada, se vê diante de uma turma de crianças avidas por brincar, interagir e descobrir o mundo. Dicas, sugestões, desafios são encontrados neste percurso e cada leitor(a) poderá acrescentar novas situações em sua docência.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Carolina Q. P. Rout - Autora de: CHOCO, LATE!

Nome literário de Carolina Queiroz Porto Rout.
Oi, eu me chamo Carol, escrevi essa história em 2006 quando morava na Inglaterra em uma casa com três crianças muito especiais. Hoje, moro em São Paulo com meu marido, Philip, e três filhos, Benjamin, Samuel e Joanna. Gosto muito de escrever histórias para crianças, de comer chocolates e de passar tempo com minha família.




Você gosta de comer chocolates? Com quem você divide os seus? Este livro conta um pedacinho da vida de uma menina muito atenta às coisas ao seu redor.





Olá Carolina. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A história do livro foi pensada para pessoas que apreciam jogo de palavras e chocolates e que são atentas às coisas do dia-a-dia. Essa história veio a mim quando eu morava na Inglaterra, com uma família que tinha 3 crianças com idades entre 2 e 8 anos. Sempre que eu tinha um tempinho eu sentava em meu quarto e escrevia o que vinha à mente. Essa história foi uma delas, e eu me diverti muito no processo de criação dela! Meu público alvo são crianças de 4 a 10 anos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Eu espero que seja o primeiro livro de muitos! Mas com certeza já é um sonho realizado. Criar é algo que nos aproxima de Deus, nosso Criador. Ele nos deu a capacidade para criarmos, desde simples histórias a tudo o mais que temos no mundo hoje. Cada um de nós cria desde a mais tenra idade. Minhas inspirações mais divertidas são aquelas que vêm pelas lembranças da minha infância e pela observação de meus filhos brincando.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
De fato, não é uma vida que vai de vento em popa, porém, o Brasil somos nós, e não algo fora de nós. Cada um de nós tem seu círculo de influências, e devemos usá-lo para despertar o prazer da leitura nessas pessoas próximas a nós. Por que não presentear uns aos outros com livros, sejam e-books ou de papel? Passar tempo lendo em voz alta para alguém, seja criança ou adulto, todos gostam de ouvir histórias.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Há uns 3 anos comecei a procurar na internet editoras que publicavam livros em pequenas tiragens, que davam cursos, palestras sobre ser um escritor, etc. Numa dessas buscas conheci a Scortecci e passei a receber os informes mensais. Gostei muito de ter esse primeiro contato, e, aos poucos, fui confiando na editora para expor minha primeira história. Agradeço muito o acolhimento que tive nesse processo.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Com certeza! É um livro divertido e sutil. Em sua sutileza mostra a beleza de coisas simples do dia a dia e da simplicidade de uma criança. Também traz a alegria da brincadeira com palavras e de se deliciar com chocolates. Para meus leitores mais que especiais só posso dizer: divirtam-se com o Choco, e soltem sua imaginação a partir dessa história.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

Entrevista com Alex Moura - Autor de: NÓRDICOS

Nasceu no dia 24 de março de 1978, na cidade de Surubim, Estado de Pernambuco. Casado com Eduarda Lima de Almeida Queiroz; pai de dois filhos: Emyli Laiana Queiroz e Pedro Rafael Queiroz; Reside atualmente na cidade de Santa Maria do Cambucá - PE. Professor de História, filosofia e Sociologia no Colégio Nossa Senhora do Amparo, Surubim - PE, Licenciatura Plena em História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caruaru (FAFICA); Pós- Graduação em História do Brasil; Especialização em Teologia, publicou em 2014 a obra: As flores nascem por amor (Editora Scortecci).

Surgimos como névoa nos abismos da vida e quase sempre estamos seguros do que fazemos e do que faremos. Esta obra foi escrita nos dias 06 e 07 de abril de 1998 e adaptado nos dias 27 e 28 de fevereiro e 01 de março de 2015 e readaptada no mês julho de 2015, que fez em mim uma nova fase de sonhos e de realizações.
Imaginava como era os tempos dos reinos vinkings dos guerreiros e navegadores magnificantes. Fortes reis soberanos e de suas façanhas religiosas; o mito dos deuses, das princesas que traziam no seu ego o amor e o ódio, o poder e a vingança; das magias dos monges ou dos bruxos; a busca das riquezas no brilho das pedras escondidas nas façanhas das descobertas. 
Como não poderia nascer e viver naquela época minha imaginação me fez nascer e viver. Nas minhas “ilusões” fazia de mim alguém que assistia cada feitor. E , assim desenvolvi este singelo livro com muita simplicidade mais com muito carinho. No princípio fiz do título OS REIS: o renascimento da liberdade. Viajando ainda mais na histórias mitológicas renovei o título como: OS NÓRDICOS, do amor vem à liberdade. Homens que se tornaram reis jovens depois de cada destino realizado entre espinhos e flores, entre a morte e a vida e principalmente por lutas realizadas por vingança e por amor. Enfatizando o caminho do amor para a libertação de um povo. Para uma libertação familiar; da vontade de querer sempre renascer entre as cinzas a felicidade.
A mensagem deste livro reflete no amor que podemos oferecer a cada um. Foi explorado também no abismo da ganância que nos faz viver dias de lutas. Enfim, construí uma história para viajar no tempo e estudar um dom que nunca podemos abandonar: o livre acesso a imaginação para desenvolver comigo A EMOÇÃO, transmitindo para a sua sensível vida esta missão de amar, com a total confiança libertária de qualquer dor ou angústia.
Desejo a todos uma viajem para um mundo onde iremos enxergar até que ponto o sentimento poderá nos afetar quando o amor e o ódio tentam se superar um contra o outro e principalmente quando fazemos isto sem temer. 
Lembre-se: “Seja a favor da sua imaginação e clame por liberdade e esta liberdade lhe oferecerá oportunidades para amar”. 
Para você, amigo leitor: Os Nórdicos, do amor vem à liberdade.


Olá Alex. É um prazer contar, novamente , com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro traz um romance que relaciona em uma época de guerreiros o duelo entre o amor e o ódio na era dos vikings.
A ideia veio para descobrir este mundo viking tão rico em formações de povos e de lutas; rico em formação de poderes e de guerras doutrinárias religiosas;
O público alvo; ADOLESCENTES e ADULTOS.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Hoje sou educador, ensino as disciplinas de história, sociologia e filosofia. Mas pretendo conquistar um sonho: ser contratado por uma editora e viver escrevendo, realizando palestras e vendendo livros.
AMO escrever é o maior divertimento ou lazer que existe. Ser escritor é ser completo na vida. 
Este é o segundo livro, o primeiro foi um romance italiano com o título: AS FLORES NASCEM POR AMOR.
Tenho ainda mais três projetos quase prontos que serão: Brayan o último anjo; Eu estive ao seu lado (a história da minha esposa sobre a vitória contra o câncer); "CASSAÇÃO" ( a volta do cangaço). 
Quero ser escritor sempre, e ser meu ofício; pretendo lançar a cada ano um livro. Minha vida é relacionada ao mundo mágico da escrita e da imaginação.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
MUITO DIFÍCIL. Mas com esperança que tudo possa mudar. Porém, através da tecnologia creio que é uma porta ampla, "gigantesca" para trabalhar incentivando e procurando novos leitores. Porém, é necessário que a editora possa convidar seus escritores para participação de eventos e premiações literárias. Acho que a editora tem que ter uma relação aberta com o escritor e divulgá-lo em feiras literárias, palestras, bienais, etc. 
A editora e o escritor devem estar juntos para o incentivo literário e não esperar pelo Estado.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através da internet; sites.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Sim. Por trazer emoção. Os leitores que já leram o livro "viajaram" e sentiram muita emoção pela trajetória de personagens que lutaram em uma cultura violenta a favor do amor. O misticismo, a religião, a cultura viking...um leque cheios de caminhos improváveis da história. Garanto que você não vai dormir sem completar toda a leitura do livro. 
Minha mensagem é: Incentivo aos escritores, precisamos muito de vocês. Suas críticas são de grande importância para o futuro e para os sonhos destes "guerreiros" escritores. Leiam e divulguem; amem a literatura; façam valer a pena a leitura e leve para a sociedade a ética, o respeito de sermos o futuro da educação brasileira.

Obrigado pela sua participação.

Leia Mais ►

Entrevista com Maria José de Faria - Autora de: O QUE SERÁ?

Maria José de Farias
Nasceu em Cipotânea/MG, filha de Joviano e Regina, tinha 11 irmãos. 
Cursou o primeiro e segundo grau em Barbacena/MG e veio para São Paulo com 19 anos, onde concluiu os estudos e realizou seu sonho profissional, se tornou professora.
Aposentada, casada com José Airton, teve 4 filhos: Rosemary, Renata, Regina e Rodrigo.
Acredita que só a justiça nos trará paz.



A obra sugere a busca do conhecimento entre o homem e a natureza para refletir o quão é importante e necessário o respeito pela vida na terra.








Olá Maria José. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O meu livro “O Que Será?”, trata-se de uma história alusiva ao meio ambiente. Surgiu ao perceber que muitos valores ligados ao respeito à natureza estavam sendo esquecidos no geral e destina-se prioritariamente as crianças embora se estenda aos adultos.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Eu sou uma vovó apaixonada pelas crianças e muito preocupada com a destruição do meio ambiente.
Espero que este livro seja o primeiro de muitos.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Muito triste que no Brasil não exista incentivos como deveria, pois a falta de investimento e responsabilidade de alguns do poder público não permite que a cultura de leitura chegue em todos os lugares.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Cheguei a esta editora por indicação de um profissional da editora CIRANDA DO LIVRO. Meu livro ficou em análise com eles uma boa temporada, porém como a fila estava grande e sem previsão de retorno busquei outra opção.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro merece ser lido por ser questionador, por aguçar a curiosidade e ser necessário nos dias de hoje discutir em todos os lugares as questões ambientais.
Espero que os leitores ao lê-lo sintam a necessidade de fazer o que estiver ao seu alcance para melhorar a qualidade de vida no planeta.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►