sábado, 15 de setembro de 2018

Entrevista com Ítalo Anderson - Autor de: PÁSSAROS PRETOS

É o nome literário de Ítalo Anderson Lopes Pinheiro Clarindo.
Nasceu em 13 de dezembro de 1993, natural de Fortaleza, onde frequentou cursos nas áreas de Artes e Literatura. Aos 19 anos, passou a viver em São Paulo. É autor dos livros de poesia Gaveta Aberta (Rio de Janeiro: Futurarte poesias), Pelo Ralo e Pássaros Pretos (São Paulo: Scortecci), além de membro da The International Association of Art- IAA / AIAP, L'Association Internationale des Arts Plastiques-UNESCO.



É o terceiro livro de Ítalo Anderson. Reúne trinta poemas curtos, resultados da intenção do poeta em explorar uma criação mais concisa. Em palavras dotadas de simplicidade e talento, moram uma forte essência e diversos significados. São como o voo de uma passarinhada: rápidos, cheios de vida, cheios de ritmo e em perfeita sintonia.






Olá Ítalo. É um prazer contar novamente com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro surgiu quando comecei a explorar poemas menores. Quis trazer uma simplicidade com grandes significados.
Ele se destina a todos, de qualquer faixa etária ou momento de vida. Cada um traz um pouco de si para a leitura.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Pássaros Pretos é o meu terceiro livro de poemas. Também tive outros trabalhos no mundo das letras e da cultura em geral, mas gostaria de ressaltar o projeto Conversas Poéticas que realizo junto ao Museu da Energia de São Paulo. Nele, sempre recebo convidados para um diálogo sobre a relação do gênero Poesia em diferentes contextos.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Sempre digo que autores brasileiros, ao publicar, automaticamente têm um compromisso com a formação de leitores. No caso da Poesia, é um processo ainda mais longo - pois nem todos os leitores são adeptos ao gênero.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Publiquei o livro Pelo Ralo: Poesias que se foram no ano de 2016.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Gostaria de convidar a todos e pedir que sempre separem alguns poucos minutos do dia para a leitura, seja qual for o gênero.
Quanto ao livro Pássaros Pretos, pode ser lido inteiramente de uma só vez, ou alguém pode apenas abrir em uma página aleatória e apreciar um tímido poema isoladamente.

Obrigado a todos os leitores do blog.

Obrigado pela sua participação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário