sábado, 1 de setembro de 2018

Entrevista com Rafael Moia Filho - Autor de: DE SARNEY A TEMER

Nasceu em São Paulo em 1958. Trabalhou na CESP - Cia. Energética de São Paulo, prestando serviço à Fundação Cesp entre 1977 a 1995. Em 1996, fixou residência em Bauru, SP, e trabalhou na Cteep e posteriormente na Hidrovia Tietê Paraná em Bariri, onde se aposentou em 2011, depois de 38 anos de atividades. 

Escreve há 20 anos para o JC - Jornal da Cidade de Bauru onde é um de seus colaboradores. Da mesma forma escreve para o Diário da Manhã de Goiânia e tem seus artigos publicados semanalmente no Blog Uberlândia Hoje. 

Após sua aposentadoria foi colunista da Rádio Auriverde de Bauru, onde atuou como comentarista dos programas de jornalismo da emissora. Hoje é da equipe de comentaristas da Rádio FM Jovem Pan News Bauru semanalmente.

O livro De Sarney a Temer – Uma incipiente democracia retrata um período de aproximadamente 33 anos da democracia brasileira, desde o final da Ditadura Militar em 1984. Fazendo um passeio desde a retomada da liberdade de expressão e a plenitude da nossa democracia até os dias atuais. 

O autor lançou em 2012 sua primeira obra uma coletânea de poesias chamada O Tempo na Varanda. Em 2013 lançou seu segundo livro O Humor no Trabalho. Há tempos escreve e trabalha com projetos de cidadania. Conheça mais sobre o Rafael acessando o Blog dele, http://falandoummonte.blogspot.com.br, ou pelo twitter @rafamfilho.

Nossa incipiente democracia terceiro livro do autor, retrata um período de aproximadamente 33 anos da democracia brasileira, desde o final da Ditadura Militar em 1984 até os dias atuais da nossa conturbada democracia. 

Fazendo um passeio desde a retomada da liberdade de expressão e a plenitude da nossa democracia, passando pelas eleições, seus vencedores, pelos resultados dos pleitos eleitorais e pelo impeachment de Fernando Collor e Dilma Rousseff.

O livro contém dados, números, nomes e fatos deste período intenso da nossa jovem democracia. Tentando demonstrar ao leitor o quão incipiente e imatura é a nossa democracia. Onde fica claro a necessidade do maior envolvimento e participação política da nossa sociedade, que muitas vezes se afasta permitindo que os atores principais fiquem sem controle e sem nenhuma fiscalização daqueles que justamente os colocaram no poder executivo ou legislativo.

O livro revê os episódios marcantes dos últimos 33 anos da política brasileira como a luta pela redemocratização, o impeachment de Collor, a era FHC, a chegada do PT de Lula e Dilma ao poder e a posse de Temer com o impeachment de Dilma.


Olá Rafael. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.



Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Surgiu ao perceber que muitos jovens estavam sem saber a verdadeira história do país pós revolução militar, incluindo o período que se seguiu até os dias atuais. Resolvi então, escrever e reproduzir estes momentos vividos por mim e com a ajuda de pesquisas para poder compreender o período de 33 anos entre 1985 e os dias atuais. Período que compreende a redemocratização do país, com a volta da liberdade de expressão e o direito sagrado ao voto para poder eleger um presidente da república e os demais representantes.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Este é meu terceiro livro após me aposentar no Setor Elétrico Paulista, onde trabalhei por 38 anos, até 2011, quando comecei a escrever meus livros. Pretendo seguir escrevendo livros, além de manter meu Blog Falando Um Monte - https://falandoummonte.blogspot.com/ onde coloco artigos, textos sobre política, economia e assuntos diversos do nosso cotidiano.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não é fácil ser escritor ou viver de literatura num país onde a Educação é relegada a terceiro plano, a economia é feita para grandes grupos e não para o conjunto da sociedade. A quantidade e o valor dos impostos é aviltante, em relação ao retorno praticamente inexistente. Editar um livro tem um custo relativamente alto, as vendas são muito difíceis e os autores tem pouco espaço para divulgação.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
É meu segundo lançamento pela Scortecci, conheci pela internet, e, não consigo imaginar um novo livro que não seja lançado por esta equipe profissional e extremamente gentil deste Grupo Editorial. Desde o primeiro contato até a entrega dos exemplares recebemos todas as informações com muita qualidade e rapidez.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Vou transcrever uma critica literária sobre o livro, feita pelo critica Profº José C. Bortoloti do Rio Grande do Sul: "Rafael começa a mostrar, historicamente, com dados, com bibliografia, com fontes fidedignas lá com Tancredo Neves e a posse de Sarney e chega a Temer, nosso atual Presidente da República.
Nesse período todo, nada foi esquecido por Rafael: A inflação, os salários, as moedas, os congressos, os partidos, as alianças...
Todo brasilês deveria ler essa obra do Bauruense, antes de votar nessas eleições que estão próximas. Espero que haja.
Nada vai mudar. Não importa. Continuemos na obra de Rafael – De Sarney a Temer -, eis o que importa agora.
Na dedicatória você poderá estranhar ter duas citações:
A primeira de Eduardo Galeano, o jornalista e escritor Uruguaio que morreu em 2015 famoso por sua obra “As Veias Abertas da América Latina”, considerado por muitos como socialista. Mas você entende, logo em seguida por que Rafael coloca Winston Churchil como segunda citação. Pronto está formado o inicio e o final do livro, assim como seu título faz referência.
A continuidade da frase (utilizada no inicio) de Stephen Kanitz continua ...(...) Nós administradores, colocamos os melhores profissionais mesmo não os conhecendo, e colocamos auditores internos e externos e ainda sistemas de segurança para não sermos pegos de surpresa. Nem sempre isso funciona, mas tente despedir um amigo que se mostra incompetente que você conhece há 20 anos.....!” Conclui a frase do autor, citada por Rafael.
Com essa frase, na página 122, Rafael faz um clara referência com advertência do que acontece nos meios públicos, principalmente o federal, com os amigos e os amigos dos amigos, todos literalmente sendo muito bem tratados pelo Estado, para não haver, digamos traição.
Rafael foi feliz. Não deixa opiniõesinhas baratas na obra. Mostra a história política recente para quem quiser ver. E creiam-me a grande maioria dos Brasileses precisa ver, ler, estudar e saber o que está acontecendo nesse período da obra, com a política nacional.
Não se preocupe, não é uma enciclopédia, é um volume de 140 páginas. A grande maioria vai necessitar ler duas vezes para entender. 
Uma pequena maioria vai ler, reconhecer (se viveu nesse período) ou então conhecer se é além do período inicial.
Rafael teve um prefácio magnifico escrito por Paulo Cesar Razuk. Professor Titular aposentado da UNESP – campus de Bauru.
A análise inicial da obra é claríssima e dotada de um espírito profundo de cidadania e civilidade.
De Sarney A Temer – Nossa Incipiente Democracia – É a obra atual brasilesa, que, repito, todos deveriam ler, antes das eleições.
Valeu guerreiro paulista e bauruense, amigo, sobretudo, pela brilhante reflexão histórica de nosso atual Brasil político.
Eis tua ajuda, guerreiro, para a juventude atual entender o processo após os Militares no Brasil".

Obrigado pela sua participação.

Um comentário: